Quorn: os prós e os contras desta “falsa carne”

A quorn é bastante consumida no seu local de origem, o Reino Unido. De sabor idêntico à carne, é feita com recurso a um fungo. Saiba tudo sobre este alimento.

Quorn: os prós e os contras desta “falsa carne”
Uma alternativa à carne rica em micoproteínas.

A quorn é uma alternativa ao consumo de carne que tanto os vegetarianos como os carnívoros adoram.

Já se imaginou a comer algo que sabe a frango, mas se for a ver bem não é frango que está a comer, mas sim uma alternativa sem qualquer carne presente na composição?

Este é um produto realmente surpreendente, no entanto desconhecido pela maioria das pessoas.

Mas será uma boa aposta na alimentação? É isso que vamos esclarecer neste artigo sobre esta “falsa carne”.

Afinal, de que é feito a quorn?


quorn micoproteina

O ingrediente principal de todos os produtos é a micoproteína, ou proteínas fúngicas, que são derivadas do fungo Fusarium venenatum. Por esse motivo, são extremamente ricas em proteínas, são naturalmente livres de gorduras saturadas e possuem uma boa quantidade de fibra. Não contém soja.

Existe uma ampla gama de produtos análogos de carne: produtos sem carne feitos para terem sabor e aspeto semelhantes a carne e frango.

 1. O que é uma micoproteína?

A micoproteína é um produto processado, produzido através de um processo de fermentação, que começa com um tipo natural de fungo, o Fusarium venenatum, tal como descrito anteriormente.

Os fungos são colocados num tanque de fermentação onde são alimentados com glicose, oxigénio, dióxido de carbono, azoto, vitaminas, minerais e outros ingredientes.Todos estes elementos permitem que os fungos cresçam enquanto o recipiente é mantido a uma temperatura constante.

Quando atinge o tamanho desejado, são adicionados aos fungos ovo e temperos (específicos de cada qualidade de quorn), que são depois cozidos e transformados. Posteriormente são congelados, resultando numa estrutura parecida com carne.

2. O que está mais na lista de ingredientes?

Estes produtos não contêm apenas fungos. A micoproteína não pode ser vendida como alimento por si só, e por isso precisa de muitos ingredientes extras para fazer com que pareça um produto que imite a carne. Por isso são adicionados corantes, sabores artificiais, glúten, levedura, amido, ácidos, gomas e entre outros que nem sempre são classificados como saudáveis.

Como surgiu a ideia deste produto?


quorn

A ideia deste alimento começou nos anos 60, especificamente no Reino Unido, quando se temia que a produção de alimentos não acompanhasse o crescimento da população mundial, em constante aumento.

Após vários anos de pesquisa, em 1985 foi produzido o primeiro alimento de micoproteínas, levando à criação da quorn, que atualmente é popular no Reino Unido e em algumas partes da Europa.

Os prós e os contras da quorn


Os prós…

perda de peso

Alguns dos principais benefícios da utilização deste alimento na dieta está relacionado com o meio ambiente e incluem:

  • A produção de micoproteína requer muito menos terra e água do que a proteína animal.
  • A micoproteína cresce mais rapidamente que a proteína animal.
  • A produção de emissões de efeito estufa é consideravelmente menor.

Mas os benefícios não se ficam pelas vantagens ambientais, também existem vantagens para a saúde, tais como:

  • A micoproteína é rica em proteínas e pobre em gordura e, portanto, uma escolha saudável para quem está a tentar perder peso e ter uma alimentação saudável.
  • Alguns estudos sugerem que a micoproteína pode diminuir o “mau” colesterol, o LDL.
  • A micoproteína é pobre em açúcares e também parece ter uma baixa resposta glicémica, o que a torna ideal para diabéticos.
  • Também é livre de colesterol e contém uma boa quantidade de fibra alimentar.
  • Os produtos quorn são uma boa fonte de selénio e zinco.

Os contras…

dor de estomago e barriga

  • A ingestão de quorn pode despoletar sintomas desagradáveis em quem os consome, nomeadamente, dor de estômago, náuseas e vómitos.
  • Muitos consumidores afirmam ter desenvolvido também reações alérgicas a estes produtos de micoproteínas, desde urticária a dificuldades respiratórias e também choque anafiláctico.

Nota: Apesar destas reações adversas, a agência Americana Food and Drug Administration (FDA) autoriza a venda deste alimento.

Em suma…


Algumas pessoas são alérgicas a ingredientes como o glúten e o mesmo se aplica às micoproteína: umas pessoas são alérgicas enquanto outras não são.

Apesar das controvérsias e algumas reações negativas, a quorn continua a ser popular, especialmente no Reino Unido, local onde é considerado seguro para consumo.

Se não conhece o alimento, pode sempre procura-lo num supermercado e experimentar. Caso sinta alguma reação anormal, desista. Caso se sinta bem e goste, tente introduzi-lo na sua alimentação em alternativa à carne.

Veja também: