Publicidade:

6 dicas para evitar a queda de pelo em gatos

A queda de pelo em gatos preocupa todos os tutores de felinos. Saiba quais as medidas a tomar para evitar que o seu gato perca tanto pelo. Saiba tudo.

6 dicas para evitar a queda de pelo em gatos
Deve escovar o seu gato com frequência

A queda de pelo em gatos pode ter várias causas, tanto patológicas como fisiológicas, ou seja, natural, em determinadas alturas do ano.

Apesar de ser uma situação natural, pode causar muito incómodo aos tutores, por deixarem a casa cheio de pelo.

Principais causas para a queda de pelo em gatos


queda de pelo em gatos gato deitado no chao

A queda de pelo em gatos pode tanto ser uma situação normal de acordo com as estação do ano, como ser um sinal de alguma doença. O ideal é consultar o seu médico veterinário se notar que o seu gato está a perder mais pelo do que o normal.

1. Idade

Em determinadas alturas é normal que o seu gato sofra uma mudança de pelagem, seja por influência da época do ano como da sua própria idade.

Por volta dos 4 meses de idade os gatos sofrem uma mudança no pelo. Nesta altura o gato perde a sua pelagem de gatinho e começa a ganhar a sua pelagem adulta.

Muitas vezes os gatinhos bebés podem apresentar uma pelagem mais comprida, densa e até com pigmento diferente da sua forma adulta.

2. Envelhecimento natural do pelo

Também ocorre queda de pelo em gatos devido ao processo normal de envelhecimento do pelo. Os pelos mais fracos e mais frágeis destacam-se para dar lugar ao nascimento de novos pelos mais fortes.

3. Clima

As estações do ano também desempenham um fator importante no tipo de pelagem e queda de pelo em gatos. É normal que o pelo caia em maior quantidade no outono e primavera. Isto porque, em altura de calor, os gatos não necessitam de um pelo tão denso como no inverno, portanto, nessa altura o seu pelo mais denso cai naturalmente para dar lugar a uma pelagem menos densa.

4. Stress

O stress pode ser um fator que desencadeia um aumento da queda de pelo em gatos. Se observarmos, gatos em situações de stress tendem a largar mais pelo do que o normal, por exemplo quando vão ao médico veterinário.

Também o stress pode levar a distúrbios comportamentais no gato que levem a que este se lamba excessivamente e arranque o seu próprio pelo.

5. Desnutrição

A alimentação tem muita influência no estado do pelo do gato. Se o alimento que dá ao seu gato não for completo, equilibrado e indicado para o seu gato a nível da sua constituição, o pelo do gato não irá ser tão brilhante e forte.

6. Doenças de pele

Para distinguir o patológico de uma queda de pelo normal fisiológica é necessário ter em consideração alguns factores, como por exemplo se existem falhas de pelo ou feridas. Caso existam, podemos estar perante um problema no gato.

Existem várias doenças de pele no gato, como por exemplo dermatite, dermatofitose, sarna, alergia, otite. Se notar que existem feridas ou zonas sem pelo, deve fazer uma consulta com o seu gato.

7. Parasitas externos

As pulgas e carraças também ser a causa de queda de pelo ou falhas de pelo. O ideal é desparasitar o seu gato regularmente para evitar estes parasitas, pois para além deste problema podem causar outras doenças.

6 dicas para evitar a queda de pelo em gatos


evitar a queda de pelo em gatos escovar o gato

1. Boa alimentação

A alimentação é um ponto chave se quer que o seu gato tenha um pelo brilhante e saudável. Deve escolher um alimento equilibrado e que satisfaça as necessidades nutricionais do seu felino. De preferência evite alimentos com corantes e alimentos processados.

2. Escovar o gato

Escovar o gato ajuda a que o pelo morto saia durante a escovagem e, portanto, não caia pela casa por todos os locais onde o gato passa.

Deve escolher uma escova adequada para gatos e ao tipo de pelo do seu gato, que pode ser curto ou comprido.

3. Desparasitar o gato

Uma vez que a pulgas e carraças podem ser causas para a queda de pelo, é boa ideia desparasitar o seu gato com regularidade. Existem vários produtos no mercado que pode utilizar sob a forma de pipeta spot on, comprimido, coleira, injetável.

A duração da proteção do produto varia consoante o tipo, portanto deve informar-se com o seu médico veterinário acerca do plano de desparasitação.

Nunca deve utilizar um produto que não seja para gato, sob risco de provocar uma intoxicação grave.

4. Evitar o stress

O stress pode ser um fator desencadeante para a queda de pelo em gatos. Os gatos são animais de rotinas e muito sensíveis a fatores de stress.

Uma vez que nem todos os fatores de stress podem ser evitados, pode recorrer a feromonas felinas artificias para ajudar o gato a manter-se mais calmo e relaxado.

5. Dar banho ao gato

Apesar de a maioria das pessoas achar que os gatos não podem tomar banho, essa ideia é errada. Gatos que não estão habituados à água, pode ser muito complicado conseguir dar banho sem magoar, no entanto, vários gatos gostam de água e de tomar banho.

O banho pode ser também uma boa maneira de ajudar a retirar o pelo morto e diminuir a queda de pelo em gatos.

6. Tosquiar o gato

Especialmente gatos de pelo comprido podem beneficiar de uma tosquia no tempo quente. A tosquia vai ajudar a retirar pelo que esteja solto e prestes a cair, removendo o pelo fraco que depois irá crescer mais forte e saudável.

Veja também:

Fonte

1. ESCCAP – Control of Ectoparasites in Dogs and Cats. Disponível em:
https://www.esccap.org/page/GL3+Control+of+Ectoparasites+in+Dogs+and+Cats/27/#.XVaQ7JNKj-Y

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].