Publicidade:

Queda de pelo do cão: porque acontece com frequência?

A queda de pelo do cão é um problema que afeta todos os cães e igualmente os seus tutores no dia-a-dia. Conheça as causas desta situação tão comum.

Queda de pelo do cão: porque acontece com frequência?
Todos os cães perdem pelo naturalmente e é um processo fisiológico normal.

É normal que o cão largue pelos, especialmente em certas alturas do ano, sem querer dizer propriamente que algo de errado se passa com o animal. No entanto, quando a queda de pelo do cão se torna incontrolável pode ser sinal de alguma doença, e deve, portanto consultar o médico veterinário logo que possível.

Queda de pelo do cão: causas comuns


Queda de pelo do cao na relva

A queda de pelo do cão pode fazer parte de um processo fisiológico natural de perda e crescimento de pelo, tal como nas pessoas. No entanto, é preciso estar atento pois também pode ser um sinal de alguma doença.

1. Troca de pelo

É natural o eu cão perder pelo, especialmente em determinadas épocas do ano. O que acontece nos animais com pelagem é que quando está frio ganham uma nova camada de pelo mais grosso para se aquecerem. Chegando o calor, ou dias de maior calor esse pelo que ganharam durante o inverno deixa de ser necessário, portanto soltam-no para poderem adequar-se à temperatura ambiental e ganham uma camada de pelo mais fino.

As alturas em que ocorrem, por norma, essas trocas de pelo, são na primavera e no outono. No entanto, isto pode variar consoante a região geográfica e a temperatura sentida nesses locais. Por exemplo, em locais com temperaturas menos definidas os cães podem perder pelo o ano inteiro.

Quando os cães perdem pelo desta forma, é normal que a queda seja uniforme não havendo zonas de alopécia (sem pelo). Se assim, for poderá tratar-se de alguma doença.

2. Alergia

Tal como as pessoas, os cães podem ter várias alergias, como por exemplo, a produtos que estão em contacto com a pele, certos medicamentos, poléns, ácaros, alimentos. Estas alergias podem manifestar-se por problemas dermatológicos como perda de pelo entre outros sinais como prurido (coceira), eritema (vermelhidão).

Se suspeita que o seu cão esteja com alergia deve levá-lo a uma consulta para que o médico veterinário o avalie, confirme que se trata de uma alergia, perceba o motivo e o medique.

Por vezes pode ser necessário apenas retirar o alergénio (causa da alergia) da vida do cão. Outras vezes, é necessário medicação que até poderá ser para a vida do animal.

3. Parasitas externos

Piolhos, pulgas ou carraças podem causar prurido e o animal irá coçar provocando perda de pelo. Há animais que podem até fazer alergia à picada destes parasitas e manifestar reações exuberantes de alergia.

O ideal é ter em conta um bom plano de desparasitação externa, de forma a evitar que o seu cão se infete com estes parasitas.

Saiba mais como eliminar pulgas e carraças >>

4. Infeções na pele

Certas infeções bacterianas ou fúngicas podem ser a causa de queda de pelo do cão. Qualquer que seja a causa, convém ser diagnosticada e tratada pois existem algumas doenças que podem ser transmissíveis às pessoas (zoonoses), como é o causa da dermatofitose. Esta é uma infeção da pele causada por fungos conhecida por “tinha” que pode causar alopécia circular, ou seja falhas de pelo em forma de círculos.

Outra doença de pele que pode ser transmitida às pessoas é a sarna, que também provoca queda de pelo do cão. Existem vários tipos de sarna, sendo que nem todas são infeciosas, ou seja, nem todas são transmissíveis.

Apenas um profissional habilitado poderá fazer o diagnostico correto de uma infeção da pele, com o auxilio de vários exames complementares como raspagem de pele e análises ao pelo e sangue.

Sendo que existem doenças de pele que são transmissíveis às pessoas, é de extrema importância que se houver queda de pelo do cão, o leve a uma consulta de imediato.

5. Dieta desequilibrada

Comida caseira ou rações inapropriadas podem ser a causa de um pelo baço e em queda constante. Quando compra uma ração para o seu cão deve ter em consideração se é a ração mais adequada em termos nutritivos para o seu animal, tendo em conta vários fatores como a idade e raça.

Se houver alguma dúvida em relação à alimentação mais adequada para o seu cão, o melhor será contactar o seu médico veterinário para que o aconselhe.

Caso haja queda de pelo do cão devido a uma má nutrição, iniciando uma dieta adequada o pelo irá melhorar.

6. Stress

Situações de stress agudo podem levar a perda de pelo. Por norma, quando os animais estão numa situação que lhes provoque ansiedade, podem ter uma queda de pelo mais acentuada. Por exemplo, quando estão no veterinário, há mais queda de pelo do cão, pois está num momento de stress.

Em algumas situações de stress crónico, como perda de um tutor ou mudança de casa pode acontecer o cão começar a lamber-se e fazer uma dermatite por lambedura. Nesse caso o pelo irá cair devido a lambidela persistente do animal.

7. Síndrome de Cushing

O síndrome de cushing ou hiperadrenocorticismo é uma doença endócrina causada pela exposição prolongada do organismo a uma hormona chamada cortisol.

Esta doença hormonal carateriza-se pela manifestação de vários sintomas como:

  • Poliúria (aumento da frequência de micção);
  • Polidipsia (aumento da ingestão de água);
  • Poligafia (aumento do apetite);
  • Aumento de peso;
  • Perda de pelo.

O diagnóstico da doença pode ser feito através de exames ao sangue e o tratamento consiste em medicação para o resto da vida. É importante levar o seu animal ao médico veterinário se manifestar algum sintoma para que possa iniciar o tratamento o mais cedo possível.

O pelo começa a crescer depois de iniciado o tratamento e pode nunca voltar à sua aparência normal.

8. Hipotiroidismo

É também uma doença endócrina que pode causar perda de pelo do cão, entre outros sintomas como:

  • Aumento de peso;
  • Fraqueza;
  • Perda de pelo;
  • Difícil cicatrização;
  • Alterações neurológicas;
  • Perda e pelo quebradiço.

Também pode ser diagnosticado através de análises ao sangue e requer um tratamento para a vida do animal.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].