Publicidade:

Sabe que quantidade de alimento deve dar ao seu gato?

Sabe qual a quantidade de alimento a dar ao seu gato? A quantidade e o tipo de alimento dependem de vários fatores. Saiba tudo sobre este tema.

Sabe que quantidade de alimento deve dar ao seu gato?
As necessidades nutricionais do seu gato variam consoante certos fatores

Para saber que quantidade de alimento deve dar ao seu gato deve estar atento a vários fatores, como a idade, se é castrado, se tem excesso de peso, atividade física diária, doenças associadas, entre outros.

Que alimento deve dar ao seu gato?


quantidade de alimento deve dar ao seu gato racao humida

O tipo de alimento que oferece ao seu gato é tão importante como saber que quantidade de alimento deve dar ao seu gato. Deve evitar ao máximo alimentos humanos e restos de comida. Para garantir que o seu gato recebe uma alimentação equilibrada com todos os nutrientes necessários o melhor é oferecer um alimento adequado para a espécie.

Pode alimentar o seu gato com alimento seco (ração), alimento húmido ou com uma alimentação mista com ambas. Desde que se trate de um alimento adequado à espécie e o gato não sofra de nenhuma patologia, pode alimentar o gato de acordo com as suas preferências.

Os felinos domésticos preferem comer pequenas porções por dia em vez de uma ou duas grandes refeições, sendo que por norma os gatos não comem em excesso. Desta forma, o melhor é ter sempre comida à disposição, dentro das quantidades diárias indicadas.

O que acontece é que, muitas vezes, devido a fatores externos presentes no seu dia-a-dia, como o stress, os gatos comem excessivamente.

Também pode acontecer o animal ficar com mais apetite devido a alguns medicamentos e patologias. Por isso, cabe ao tutor fazer um controlo do tipo e quantidade de alimento que o gato ingere.

Que quantidade de alimento deve dar ao seu gato por etapas


quantidade de alimento deve dar ao seu gato gatinho pequeno

Para saber que quantidade de alimento deve dar ao seu gato, deve ter em consideração que consoante a idade do animal as necessidades calóricas são distintas.

1. Gatinhos até 3 semanas

Até esta idade os gatinhos alimentam-se exclusivamente do leite materno. São totalmente dependentes da mãe que os alimenta e estimula para urinar e defecar.

Caso os gatinhos sejam órfãos, é necessário alimentar os gatinhos artificialmente com um leite em pó de substituição adequado para gatinhos.

Em nenhuma circunstância deve alimentar os gatinhos com leite de vaca ou outro leite que não o adequado para felinos, sob risco de lhes provocar uma diarreia severa.

Os gatinhos neste fase devem ser alimentados de 2 em 2 ou 3 em 3 horas, e devem beber cerca de 5 a 10ml de leite que podem ser medidos através de um biberão ou seringa.

Se encontrou gatinhos órfãos deve levá-los de imediato ao médico veterinário para que o aconselhe sobre a alimentação e outros cuidados a ter.

Gatinhos entre as 3 e as 7 semanas

Por volta das 3 a 4 semanas da idade os gatinhos começam a fazer o desmame e é possível introduzir alimentos húmidos adequados para esta fase de transição.

Numa fase inicial, para além do alimento húmido também irão ainda procurar o leite. O leite deve ser retirado de uma forma gradual à medida que os gatinhos vão aumentando a ingestão de alimento sólido. Devem nesta fase fazer várias refeições pequenas ao longo do dia.

Gatinhos entre os 2 e os 12 meses

Aos 2 meses de idade os gatinhos já fizeram o desmame completo. Por esta altura podem começar a fazer a introdução de ração para gatinhos. Uma vez que os gatos bebem pouca água pode misturar o alimento húmido com a ração seca, de forma a compensar essa falta de liquido e também a fazer uma habituação ao novo alimento.

Devem comer pequenas refeições várias vezes por dia, ainda que com menos frequência do que até esta idade. Com a idade pode começar a aumentar a quantidade de ração por refeição e diminuir o número de refeições.

Com esta idade devem ingerir cerca de 300 a 400 kcal diárias, pode portanto dividi-las em cerca de 5 refeições. O valor energético de cada alimento, ou seja, calorias por quilograma, é diferente. Por norma na embalagem encontra uma tabela em que é possível consultar em gramas a quantidade indicada para o seu gatinho em crescimento consoante o peso. Portanto, para saber que quantidade de alimento deve dar ao seu gato em gramas, deve sempre consultar o rótulo da embalagem respetiva.

Gato adulto

Os gatos são considerados adultos a partir do primeiro ano de idade. Nessa altura é conveniente alterar a sua dieta de gatinho para uma de gato adulto.

Existem várias gamas de ração para gato adulto, adaptadas a vários fatores que irão ter influência na alimentação do gato, como se é castrado, tem alguma doença, tem obesidade.

Um gato adulto deve ingerir cerca de 350 a 500 calorias diárias. Deve também comer pequenas porções em várias refeições. No entanto, de forma a facilitar, pode oferecer a quantidade total de comida diária dividida em duas tomas, passando pelo gato a gestão de recursos.

Gato sénior

A partir dos 7 a 8 anos de idade o gato é considerado idoso, e portanto as suas necessidades nutricionais voltam a sofrer alguns ajustes. A sua capacidade para digerir proteína e gordura diminui e portanto necessita de uma alimentação de fácil digestão.

O gato sénior torna-se também menos ativo e portanto necessita de ingerir menor quantidade de calorias diárias.

Também com a idade os gatos podem apresentar dificuldade em mastigar, podendo ser necessário mudar para uma alimentação mista ou exclusivamente com alimento húmido.

Peso (kg)  Gatinhos (kcal)  Adulto castrado (kcal) Adulto não castrado (kcal)  Adulto com tendência a engordar (kcal) 
1 150
2 275 132 154 110
3 418 200 234 167
4 503 241 281 201
5 281 328 234
6 336 392 280

 

Fonte

  1. Daily Calorie Requirements for Cats, 2018
    animalmedicalcenterofchicago.com/wp-content/uploads/2018/11/CalorieRequirementsForCats.pdf

 

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].