Publicidade:

Sabe que quantidade de alimento deve dar ao seu cão?

Sabe que quantidade de alimento a dar ao seu cão? A quantidade e o tipo de alimento dependem de vários fatores. Saiba tudo sobre este tema.

Sabe que quantidade de alimento deve dar ao seu cão?
As necessidades energéticas variam consoante a idade

A quantidade de alimento que deve dar ao seu cão é uma dúvida que persiste na maioria dos tutores. Seja porque o seu cachorro está a crescer, porque tem um alto grau de atividade, porque está demasiado gordo, ou entre outras situações especificas.

Saber que quantidade de alimento deve dar ao seu cão nem sempre é fácil. Venha descobrir as quantidades exatas.

Que alimento deve dar ao seu cão?


quantidade de alimento que deve dar ao seu cao racao seca

Para além de saber que quantidade de alimento deve dar ao seu cão, também deve conhecer qual a melhor escolha a nível de tipo de alimento.

A alimentação do cão deve ser feita à base de ração ou alimento húmido adequado para cães. Dar restos de comida, cozinhar comida de humanos ou alimentos de outras espécies devem ser evitados.

Os alimentos de pessoas podem causar problemas digestivos, infeções, intoxicações, mau hálito e aparecimento de tártaro, para além de que não garantirem uma dieta nutricionalmente equilibrada ao cão.

Nunca deve dar ossos ao cão, especialmente os de frango ou coelho, pois estilhaçam facilmente, podendo provocar lesões no sistema digestivo.

Os alimentos de outras espécies, como as de gato, por exemplo, são também contra-indicadas uma vez que fornecem quantidades de nutrientes desapropriadas, como é o caso da proteína em excesso nos alimentos dos felinos que pode levar a uma sobrecarga renal no cão.

Deve optar por um alimento sob a forma de ração ou alimento húmido para cão adequado às necessidades do seu patudo. Neste aspeto, deve ter em consideração a idade, alterações metabólicas e patologias associadas.

Hoje em dia existem várias marcas de alimento para cão com uma vasta gama, adequada às necessidades individuais de cada cão. Uma vez que a oferta é grande, deve sempre consultar o seu médico veterinário acerca do alimento mais indicado para o seu cão.

Que quantidade de alimento deve dar ao seu cão por etapas


quantidade de alimento que deve dar ao seu cao cao a comer racao seca

Dependendo de vários fatores, a quantidade de alimento que deve dar ao seu cão será diferente. Um destes fatores é a idade, que irá condicionar a alimentação.

1. Cachorros até ao 1º mês de vida

Até fazerem 1 mês, os cachorros devem alimentar-se exclusivamente do leite materno. Nesta fase são completamente dependentes da mãe, ela oferece-lhes alimento, estimula-os a urinar, defecar e conforta-os.

Caso os cachorros fiquem órfãos, necessitam de ser alimentados com leite de substituição, uma espécie de leite materno sintético próprio para a espécie. Deve adquirir este leite em clínicas veterinárias ou lojas de animais e nunca deve dar leite de vaca, ainda que diluído, sob risco de provocar uma diarreia severa.

Os cachorros nesta fase necessitam de ser alimentados de 3 em 3 horas, e mamam cerca de 10 ml de cada vez, sendo que com o avanço da idade podem conseguir mamar maio quantidade de leite, aguentando, portanto mais tempo entre as mamadas.

2. Cachorros entre os 21 e 45 dias

Nesta fase é possível que os cachorros já comecem a conseguir alimentar-se com alimento húmido, de preferência alimento adequado a cachorros na fase de transição do leite materno para a alimentação.

Numa primeira fase o alimento pode ser oferecido intercalado com o leite, de forma a fazer uma habituação gradual. Nesta fase a alimentação ainda deve ser oferecida de 4 em 4 horas, pois os cachorros ainda têm um estômago muito pequeno.

3. Cachorro dos 45 aos 60 dias

Com esta idade os cachorros começam a conseguir trincar e é possível introduzir os alimentos secos, ração para cachorros.

Numa fase inicial pode amolecer os grãos de ração com água morna e misturar com o alimento húmido para tornar a alimentação mais apetitosa. Nesta altura devem continuar ainda com diversas refeições por dia, cerca de 4 a 5.

4. Cachorros dos 2 aos 12 meses

Os cachorros durante este período podem alimentar-se cerca de 3 a 4 vezes ao dia. O ideal será oferecer-lhes um alimento seco (ração seca) adequado à idade, júnior. Uma vez que se encontram em fase de crescimento podem ingerir até cerca de 990 kcal diárias para um cachorro de porte médio na idade adulta.

Cada ração apresenta uma diferente composição e portanto para saber que quantidade de alimento deve dar ao seu cão, deve consultar o rótulo da embalagem da comida. Poderá observar uma tabela com a idade do cachorro e peso esperado em idade adulta, de forma a conseguir perceber a quantidade em gramas de ração que deve oferecer.

Se pretender continuar a dar um alimento húmido juntamente com a ração, deve consultar o seu médico veterinário para garantir que as calorias diárias não são ultrapassadas ou atingidas.

5. Cão adulto (a partir de 1 ano da idade)

Durante a fase adulta os cães têm necessidades diferentes, principalmente consoante o seu porte e nível de atividade. Nesta altura devem fazer a transição da ração de júnior para adulto.

Se forem pouco ativos, cães de porte pequeno necessitam à volta de 300 kcal diárias. Já se estes cães se exercitarem diariamente a sua dose diária pode aumentar até à volta das 400 calorias.

Para cães de porte médio a dose recomendada pode variar entre 600 a 1400 kcal diárias, consoante o esforço físico diário ao qual o animal está sujeito.

Para cães de porte grande, se tiverem pouca atividade diária, devem comer cerca de 1200 kcal. Caso se exercitem mais do que duas horas por dia podem necessitar de ingerir até 1700 kcal.

Cães de porte gigante podem necessitar de mais de 2100 kcal diárias para satisfazer as suas necessidades nutricionais.

6. Cão sénior

Os cães são considerados séniores, aproximadamente a partir dos 7 anos idade. Podendo sofrer variações consoante o porte do animal, sendo que por norma os cães de porte maior envelhecem mais rápido do que os de porte pequeno.

A alimentação dos cães séniores pode sofrer alguns ajustes consoante o seu estado de saúde. Geralmente os cães com esta idade começam a apresentar os dentes em pior estado, podendo ter mais dificuldade em alimentar-se.

Para facilitar a alimentação pode alimentar o seu cão sénior com uma alimentação mista, misturando a ração seca com alimento húmido.

Nesta fase as suas necessidades nutricionais são menores cerca de 20% do que em idade adulta.

Como saber que quantidade de alimento deve dar ao seu cão em gramas de ração?


quantidade de alimento que deve dar ao seu cao cao no sofa

As rações não têm todas as mesmas calorias. A densidade energética das rações é variável consoante a marca e tipo de alimento e normalmente é apresentada sob a forma de kcal/kg de ração.

Para conseguir transformar então a quantidade energética que o seu animal necessita por dia, é preciso que consulte a tabela que está presente em todas as embalagens de alimento.

Esta tabela transforma as kcal em gramas, apresentando a quantidade em gramas que o animal necessita de comer consoante o seu peso.

Estas tabelas são meramente indicativas e calculadas de uma forma aproximada. Existem inúmeros fatores que podem influenciar a quantidade de alimento que deve dar ao seu cão para além da idade, tais como predisposição do próprio indivíduo para engordar ou emagrecer, condição corporal, castração, doenças, metabolismo, entre outros.

Desta forma, deve sempre questionar o seu médico veterinário acerca do alimento mais indicado e que quantidade de alimento deve dar ao seu cão.

Idade Porte pequeno (kcal/dia) Porte médio (Kcal/dia) Porte grande (Kcal/dia) Porte gigante (Kcal/dia)
Cachorro 990
Cão adulto pouco ativo 296 – 676 674 – 989 989 – 1272 1540
Cão adulto muito ativo 518 – 1274 1274 – 1940 1353 – 1740 2100
Cão sénior ativo 327 – 745 745 – 1093 1093 – 1407  1700

 

Veja também:

Fonte

1. Your Dog’s Nutritional Needs. (2006). Disponível em:
http://dels.nas.edu/resources/static-assets/banr/miscellaneous/dog_nutrition_final_fix.pdf

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].