Publicidade:

Prisão de ventre em cães: saiba quando se deve preocupar

A prisão de ventre é um problema relativamente comum em cães e pode ter várias causas. Saiba quando este problema pode ser sinal de um problema maior.

Prisão de ventre em cães: saiba quando se deve preocupar
O stress nos cães pode levar à obstipação

A prisão de ventre em cães é a evacuação pouco frequente ou dificuldade em defecar, devido ao facto de as fezes serem normalmente duras e muito secas.

Na maioria das vezes, tal como nas pessoas, este problema não é grave e é facilmente tratado, no entanto pode ser sinal de alguma patologia adjacente e se não for corrigida pode levar a sérias complicações.

Causas da prisão de ventre em cães


prisao de ventre em caes cao stressado

As causas de prisão de ventre em cães são várias, sendo que na maioria das vezes, não se trata de uma situação grave. Este problema pode afetar todos os cães, no entanto é mais frequente afetar cães idosos.

1. Alimentação

Uma alimentação deficiente com pouca fibra pode ser responsável por fezes secas e duras. Deve proporcionar ao seu cão uma dieta equilibrada e adequada para a espécie.

Também alimentos indevidos como ossos ou objetos que o cão tenha ingerido podem causar dificuldade em defecar.

2. Stress

O stress pode causar relutância em defecar, levando assim à acumulação de fezes que irão tornar-se secas e duras e provocar prisão de ventre em cães.

3. Ingestão de pouca água

A água ajuda a hidratar todo o organismo, incluindo a matéria fecal no intestino. Se o animal ingerir muito pouca água é normal que as fezes se tornem mais duras.

4. Doença retal

Caso o cão tenha alguma doença retal como pólipos na zona do ânus ou recto, vai sentir dor ao defecar, e dessa forma retrair, levando à acumulação de fezes na ampola retal que se vão tornar secas e duras.

5. Tumores

A presença de tumores ao longo do tubo digestivo, principalmente no intestino, pode fazer com que o material fecal apresente dificuldade a passar, devido à dor e estreitamente no lúmen.

6. Problemas na próstata

Problemas que levem a inflamação e aumento da próstata, como hiperplasia, podem levar a um estreitamente do cólon, por serem órgãos adjacentes.

7. Traumas

Traumas que tenham levado a fraturas na bacia podem calcificar de uma forma incorreta e levar a que o intestino fique comprimido de alguma forma.

8. Doenças metabólicas

Algumas doenças afetam o controlo neuromuscular, levando a que haja uma diminuição dos movimentos peristálticos normais do intestino que fazem com que haja movimentação do bolo fecal, como por exemplo o hipotiroidismo.

9. Medicamentos

Alguns medicamentos como anti-histaminicos, opióides e anticolinérgicos afetam também o controlo neuromuscular.

Sintomas da prisão de ventre em cães


Para saber se o seu cão sofre de prisão de ventre, deve estar atento a alguns sinais como:

  • Tenesmo (dor ao defecar);
  • Fezes com aspeto seco, escuro e duro;
  • Ausência de fezes;
  • Fezes em pouca quantidade, mesmo o animal estando a comer bem;
  • Se houver obstrução devido a compressão do intestino as fezes podem ter uma aparência fina como se fossem fitas;
  • Dor abdominal;
  • Fezes com muco ou sangue;
  • Meteorismo (gases);
  • Abdómen inchado;
  • Anorexia, perda de apetite;
  • Vómitos.

 

Diagnóstico da prisão de ventre em cães


prisao de ventre em caes veterinaria a examinar cao

O diagnóstico é realizado pelo médico veterinário através dos sinais clínicos e história do animal. A suspeita pode depois facilmente ser confirmada através de palpação retal em que o médico veterinário consegue sentir as fezes secas e duras na ampola retal.

O seu médico veterinário pode também requerer radiografias simples e com contraste para perceber se existem fezes ao longo do intestino e se existe alguma obstrução no interior do intestino ou fora. A ecografia também pode ser útil nestes casos.

De forma a descartar doenças que causem alterações neurológicas, pode também ser necessário a realização de exames ao sangue, especialmente caso se trate de uma situação recorrente.

Tratamento da prisão de ventre em cães


Na maioria das vezes, em casos de prisão de ventre em cães simples, a situação é resolvida apenas com a administração de supositórios retais pediátricos. Estes podem ser utilizados sozinhos ou em conjunto com laxantes orais. Em algumas situações o uso destes laxantes pode estar contra-indicado, portanto não deve nunca administra-los sem indicação do médico veterinário.

Em episódios mais graves que não sejam resolvidos com apenas laxantes pode haver necessidade da realização de enemas ou extração manual das fezes compactadas. Para esta situação pode haver necessidade de anestesiar o animal, pelo que este procedimento só pode ser feito pelo médico veterinário.

Por vezes também pode ser necessário a administração de medicamentos pró-cinéticos de forma a aumentar o peristaltismo intestinal.

Para além deste tratamento, é essencial corrigir os fatores que desencadearam o episódio, em especial a alimentação. Animais com história de obstipação devem ser alimentados com dietas com maior teor de fibra e se possível aumentar a quantidade de água ingerida.

Prevenir a prisão de ventre em cães


prisao de ventre em caes cao a beber agua

Para evitar que o seu cão desenvolva este problema, deve ter em consideração alguns hábitos:

  • Alimentação adequada para cão com teor de fibra indicado;
  • Estimule a ingestão de água;
  • Faça vários passeios diários com o cão, de forma a permitir que possa defecar;
  • Permita que o seu cão faça exercício físico diário;
  • Faça check-up regulares com o seu cão de forma a descobrir alguma doença que possa condicionar o bom funcionamento intestinal.

 

Prisão de ventre em cães: quando se deve preocupar?


A prisão de ventre em cães pode ter várias causas, sendo que umas mais simples e outras mais graves. Se o seu cão aparenta sintomas de prisão de ventre, deve estar atento e levá-lo ao médico veterinário se:

  • O cão apresenta sinais como anorexia, mau estar, vómitos, falta de energia;
  • A prisão de ventre não se resolve em 1 a 2 dias;
  • A prisão de ventre é recorrente, mesmo que se resolva espontaneamente;
  • O cão está em grupos de risco por ter alguma doença adjacente;
  • O cão está em grupos de risco devido à idade (cachorro ou idoso);
  • Surge sangue ou muco nas fezes.

 

Veja também:

Fonte

1. MSD Veterinary Manual – Constipation as Obstipation in Small Animals. Disponível em:
https://www.msdvetmanual.com/digestive-system/diseases-of-the-stomach-and-intestines-in-small-animals/constipation-and-obstipation-in-small-animals?query=constipation

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].