Porque não perco peso? Esta é a razão!

Muitas vezes se perguntou para si mesmo: "porque não perco peso?", mas já tentou perceber as verdadeiras razões para não conseguir efetivar essa mesma perda? Veja connosco.

Porque não perco peso? Esta é a razão!
Descubra a resposta a esta pergunta.

Muitas vezes a perda de peso não é fácil. Entre dietas, exercício, suplementos e privações, surge a frustração, o resultado e… nada! E a pergunta “porque não perco peso?” mantém-se.

Quantas dietas já experimentou? Quantas vezes já pensaram: “ é desta”! Inicia tudo com muita vontade até que chega ao dia em que simplesmente desiste!

Chateia-se com a alimentação, com o exercício, com as “marmitas”, com as regras que impôs, porque não vê absolutamente diferença nenhuma! O que poderá estar a fazer mal?

Como já foi referido em artigos anteriores, todos os casos são particulares e nada é igualmente eficaz para todos, algumas vezes são precisos valores analíticos para confirmar distúrbios metabólicos, como tal deve sempre aconselhar-se com um profissional qualificado.

Desta forma, focaremos apenas casos simples com soluções práticas, que você pode identificar e tentar mudar. Vejamos algumas hipóteses de situações que surgem muito em consulta.

Alterações hormonais


alteracoes hormonais

O sistema hormonal “trabalha” de mãos dadas com o sistema nervoso. Todas as funções e atividades do nosso corpo são coordenadas e integradas por estes sistemas. Por exemplo, se não dormir, altera o sistema nervoso que por sua vez altera o hormonal, que por sua vez altera o metabolismo…e você não perde peso!


Se anda a mil durante o dia, a sequência é a mesma, se tiver problemas de tiroide, igual! No caso das mulheres há um problema (quase) geral: os contraceptivos! Desta forma provoca-se uma alteração hormonal propositada para que não aconteça uma gravidez, mas altera-se o metabolismo das gorduras e aumenta-se a retenção líquida!

Os homens também não escapam, pois estamos na “era” do plástico e somos permanentemente bombardeados com bisfenol A, substância química de reconhecida atividade hormonal. Utilizada na fabricação de diversos tipos de plásticos, como os usados em garrafas de água mineral, películas onde envolve a sua sanduíche, sacos onde transporta a fruta, caixas onde guarda o fiambre no frigorífico…enfim, a toda a hora se permite que esta substância contamine o que comemos!

O que fazer?

Fuja aos plásticos, evite a utilização de contraceptivos libertadores de hormonas, não se zangue e durma bem!

Função intestinal


funcao intestinal

O equilíbrio intestinal é fundamental! Se é obstipado pode ter dificuldade em perder peso.

A alteração da flora intestinal provoca inúmeras lacerações, entre muitas ficam comprometidas a absorção de nutrientes, a produção enzimática e hormonal. Um estudo recente relaciona a importância de uma bactéria intestinal no tratamento da obesidade.

Os pesquisadores, da Universidade de Louvain, utilizaram uma amostra da Akkermansia muciniphila para reduzir o peso . Eles observaram que a bactéria pode alterar o forro do intestino e a forma como a comida é absorvida. A Akkermansia muciniphila responde até 5% das bactérias que habitam o intestino humano, mas os seus níveis caem quando há obesidade. Foram já efetuados testes em humanos que indicaram que há diferenças entre os tipos e quantidades de bactérias nos intestinos de pessoas magras e obesas. O Dr. Colin Hill (microbiologista), da University College Cork, refere que os resultados da pesquisa são animadores. “Já tivemos vários estudos mostrando a relação entre bactéria e ganho de peso, mas esta é a primeira vez que uma intervenção funciona”.

As enzimas, por sua vez, atuam como catalisadores em todas as fases das nossas atividades quotidianas são importantes na digestão das gorduras, o défice dificulta a perda de peso.

Temos no nosso corpo mais de 5.000 enzimas, responsáveis pelas funções celulares do nosso organismo. É muito habitual o paciente apresentar deficiências enzimáticas e esta falha compromete uma cascata de reações orgânicas. Através da alimentação conseguimos combater muito facilmente estas lacunas.

O Dr. Hiromi Shinya, conceituado médico Japonês (gastroenterologista), no seu livro “O micróbio Prodigioso e as enzimas curativas” explica a importância enzimática e ensina como fazer a alimentação e outros hábitos, que o seu intestino agradece. Eu pratico-os diariamente e assim é que deve ser!

O que fazer?

Suplemente-se com próbióticos, mude a sua alimentação e hábitos de vida. Coma frutas e legumes ricos em enzimas como papaia, ananás, abacaxi, mamão, espargos crus. Beba água de boa qualidade!

Bloqueio do sistema linfático


sistema linfatico

Quando o sistema linfático fica bloqueado ou começa a trabalhar lentamente, afeta o corpo todo. Todas as toxinas que o corpo normalmente elimina ficarão dentro dos órgãos e podem causar o aumento de peso e da famosa celulite.

O que fazer?

Existem no mercado várias alternativas de drenantes elaboradas com plantas e frutas maravilhosas, como a cavalinha, centelha asiática, cbacate (folhas), melancia, ananás…mas atenção veja se são indicadas para si! Faça drenagem linfática manual, é muito relaxante e os resultados veem-se na hora!

Intolerâncias Alimentares


intolerancias alimentares

A sobrecarga de um alimento (ou vários), leva o organismo a ter dificuldades em processá-lo, o que origina uma intolerância alimentar. Os alimentos que mais comumente levam à intolerância são: leite e derivados, trigo, açúcar, alimentos com aditivos e corantes, amendoim, carnes, chocolate. Mas, a intolerância pode ocorrer por qualquer alimento, depende do paciente.

O organismo intolerante quando exposto ao alimento alvo, desencadeia uma série de reações oxidativas que levam à sobrecarga orgânica e a um ganho de peso.

O que fazer?

Diversifique a sua alimentação e tente identificar que alimentos não tolera, esteja atento o seu intestino dará sinal! Elimine os alimentos que referi anteriormente e veja a diferença.

A sobrecarga oxidativa


sobrecarga oxidativa

Esta sobrecarga é originada pela ingestão de alimentos oxidados (industrializados), toxinas ambientais (pesticidas, agrotóxicos, aditivos químicos) e também pelo processo alérgico/intolerância alimentar, que referi atrás.

O que fazer?

Ingira alimentos frescos, de preferência orgânicos e sem agrotóxicos e aditivos químicos.

Os legumes e verduras devem ser consumidos crus (sucos, saladas) ou no vapor. Coma mais peixe do que carne, erradique os de aquicultura. Dê preferência a carnes de animais que se alimentaram naturalmente.

A ingestão de gorduras não oxidadas é importante, como o óleo de sésamo, de linhaça, côco ou girassol, azeite extra virgem, sementes de abóbora, girassol, linhaça, chia.

Para perder peso é necessária a ingestão de suplementos alimentares?


A alimentação é a chave do sucesso, mas a gordura armazenada reflete uma má alimentação e frequentemente défice de vitaminas do complexo B, vitamina C, E, magnésio, oligoelementos como crómio, vanádio, zinco, selénio, ácidos gordos essenciais (ómega-3 e 6).

Além de corrigir os défices, os nutrientes em doses adequadas são fundamentais para a reversão do quadro oxidativo molecular.

Veja também:

Draª Sandra Elói Draª Sandra Elói

Naturopata, Especialista em Medicina Ortomolecular. Terapeuta Clark (Diplomada por Dr. Clark Research Association, San Diego- USA), Laserterapeuta – Lesões desportivas(Certificada pela European TCM laser Academy – Alemanha). Colaborada em estudos clínicos na área da Medicina Natural e Ortomolecular. Docente no Instituto de Medicina Tradicional (IMT). Preparadora física de atletas de competição. Diretora Técnica do Killograma Clínica. Campeã nacional de fitness. Campeã nacional de judo.