Pixie-Bob: tudo o que precisa de saber sobre esta raça

Com a sua cauda curta, o Pixie-Bob alia o aspeto e a presença de um lince à personalidade de um carinhoso gato doméstico. Desprovido de traços selvagens na sua natureza, a raça conta com um dos melhores comportamentos da espécie felina, mas, apesar do apego à família, gosta de manter os seus momentos de independência e solidão.

Pixie-Bob: tudo o que precisa de saber sobre esta raça
É um gato com facilidade em aprender truques.

A ser verdade aquilo que se diz sobre a sua origem, o Pixie-Bob parece ter herdado o bom caráter da mãe e a beleza selvagem do pai. O seu nome está diretamente ligado a essa questão: “pixie” porque era o nome da gata e “bob” porque o lince vermelho norte-americano chama-se Bobcat em inglês.

Esta raça, que se apresenta nas variedades de pelo curto e semi-longo, embora o primeiro seja mais comum, é muito querida e procurada no seu país de origem, também devido à polidactilia, característica que é muito associada a estes gatos.

Características gerais do Pixie-Bob


Grupo: Gatos de pelo curto e semi-longo

País de Origem: Estados Unidos da América

Porte: médio/grande

Peso ideal: de 4kg a 8kg

Cor: Tabby mosqueado (manchas escuras em fundo claro), do castanho ao vermelho, com subpelo cinzento

Esperança Média de Vida: de 13 a 16 anos

Preço médio: de 500€ a 660€

 

Características específicas do Pixie-Bob


O Pixie-Bob é o tipo de gato que parece estar sempre ocupado, embora não seja uma raça hiperativa. Caseiro e apreciador de momentos calmos em família, adapta-se bem à vida dentro de casa, desde que tenha espaço suficiente para explorar. É recomendável manter as janelas sempre fechadas ou usar protetores para que não possa fugir.

Muitas pessoas dizem que possui um comportamento parecido com o de um cão, podendo ser ensinado a andar de coleira e a viajar de carro sem problemas.

Alguns exemplares são mais sociáveis, outros mais envergonhados, mas, no geral, é uma raça pouco vocal, preferindo comunicar através de ruídos chilreantes ou ronrons.

Energia
Inteligência
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor
Cuidados de higiene
Queda de pelo
Tendência para problemas de saúde
Facilidade de aprendizagem
Socialização com crianças
Socialização com estranhos
Socialização com cães
Socialização com gatos

Fases da vida do Pixie-Bob


Bebé

0 – 12 meses

Adulto

12 meses – 13 anos

Idoso

13 – 16 anos

 

Físico do Pixie-Bob


pixie-bob

Imagem: petpaw.com.au

Com um aspeto geral mais para o selvagem, o Pixie-Bob é grande, de corpo alongado e forte, com ombros e ancas proeminentes. As orelhas são espaçadas e arredondadas nas extremidades, desejavelmente com os tufos típicos do Lince nas pontas, uma característica mais presente na variedade de pelo semi-longo.

Outro dos seus traços mais distintivos é a cauda curta, grossa e flexível, podendo apresentar-se torcida ou com nós, desde que tenha pelo menos cinco centímetros. Este gato possui ainda uma cabeça larga, em forma de pêra invertida, com um focinho comprido e igualmente amplo.

Temperamento do Pixie-Bob


Confiante, sociável e ativo, o Pixie-Bob é um gato amigável e extremamente manso, que cria vínculos fortes com a família, embora não se importe de passar algumas horas sozinho. Assim que os donos chegam, costuma, no entanto, exigir carinho e atenção, demonstrando vontade em ajudar nas tarefas da casa, mas também em relaxar com as suas pessoas preferidas.

São mais pacientes com crianças que a maioria das raças felinas e geralmente lidam bem com outros animais de estimação. Por veze pode mostrar-se um pouco ciumento.

Problemas de Saúde do Pixie-Bob


Estômago e intestinos

  • Tricobezoares.

Outros

  • Polidactilia (dedos extra nas mãos e/ou pés).
  • Sensibilidade à vacina da leucemia.

 

Cuidados a ter com o Pixie-Bob


Pelo

  • Para o Pixie-Bob de pelo curto, basta escovar uma vez por semana; a variedade de pelo comprido já exige duas escovagens semanais.

Ouvidos

  • Verifique semanalmente os seus ouvidos, limpando sempre que necessário com uma solução adequada, para evitar infeções.

 

Origem do Pixie-Bob


A história da raça é relativamente recente, tendo começado nos Estados Unidos da América em 1985, quando a criadora Carol Ann Brewer terá cruzado uma gata da vizinhança com um Bobcat ou pequeno lince ruivo americano, que possuía um rabo curto. Uma das fêmeas da ninhada, a qual recebeu o nome de Pixie, apresentava uma aparência selvagem e uma pelagem manchada, tendo sido ela a dar origem aos atuais Pixie-Bob.

Brewer começou à procura de outros gatos que tivessem essas características de forma a obter uma linhagem mais definida e acabou por ser ela a redigir o padrão da raça, submetendo-o em 1993 através da TICA (Associação Internacional de Gatos).

Curiosidades sobre o Pixie-Bob


O Pixie-Bob é uma das poucas raças em que o estalão permite a polidactilia, uma condição que consiste num maior número de dedos nas mãos ou nos pés. Neste gato, os dedos extra costumam aparecer mais nas patas dianteiras. Sete é o número máximo de dedos permitido.


Conheça mais raças de gatos:

Todas as raças de gatos

Todas as
raças de gatos

Raças de gatos sem pelo

Raças de gatos
sem pelo

Raças de gatos de pelo curto

Raças de gatos
de pelo curto

Raças de gatos de pelo longo

Raças de gatos
de pelo longo