É assim que o seu corpo reage às picadas de mosquito!

Apesar do mosquito de ser um insecto pequeno e não lhe darmos importância no nosso dia-a-dia,  as picadas de mosquito podem provocar efeitos desagradáveis.

É assim que o seu corpo reage às picadas de mosquito!
A prevenção das picadas é a melhor estratégia.

Frequentemente no nosso dia-a-dia, sofremos com as picadas de mosquito, também conhecido como melga, um inseto voador, cujas fêmeas se alimentam de sangue de animais vertebrados, incluindo o nosso, seres humanos.

É possível depararmo-nos com uma variedade imensa de mosquitos em todo o mundo, sendo alguns deles capazes de propagar doenças transmissíveis ao homem, como por exemplo a malária ou a febre amarela.

Em Portugal existem, para já, as espécies de mosquitos que não transmitem as doenças mas que são irritantes, pois, ao picarem o homem, provocam sérios casos de prurido (comichão) devido a uma reacção local.

Doenças transmitidas pelos mosquitos


mosquito a picar

Em várias regiões do planeta, os mosquitos são considerados um grave problema de saúde pública, pois. quando estão infetados por vírus ou protozoários, podem durante a picada, transmitir ao homem ou a outros seres vertebrados essas doenças.

Exemplos de doenças transmitidas pelos mosquitos:

  • Dengue (muito frequente no Brasil);
  • Malária;
  • Febre Amarela;
  • Leishmaniose;
  • Febre do Nilo Ocidental;
  • Febre de Rift Valley;
  • Febre de Ross River;
  • Encefalite japonesa;
  • Encefalite de St. Louis;
  • Encefalite La Crosse.

A transmissão de determinado agente patogénico não é feita por todas as espécies de mosquitos, em Portugal por exemplo, ainda não foram notificadas as espécies de mosquitos transmissores da Dengue ou da Febre Amarela. Já a malária foi erradicada de Portugal em 1957.

No entanto, em áreas onde o nível de contaminação é elevado, é importantíssimo adoptar medidas para se proteger contra estes insetos.

Picadas de mosquito: como acontece?


picadas de mosquito

É importante ficar a saber que os mosquitos não dependem do sangue dos seres humanos para viverem, no entanto, a fêmea necessita de picar e sugar sangue, uma vez que este possui nutrientes essenciais na produção e desenvolvimento dos seus ovos.

É usual a atividade dos mosquitos ser mais frequente e concentrada nos períodos da manhã e ao entardecer, que coincide com períodos de menor calor, no entanto, também pode ser picado, com menor frequência, no restante período do dia.

Verifica-se também que estes insectos têm uma predilecção por determinadas características do ser humano, picando mais as pessoas que cumprem com certos critérios, em detrimento das outras, como por exemplo:

  • Determinados odores, geralmente presentes no suor das pessoas;
  • Homens;
  • Pessoas obesas;
  • Pessoas com sangue tipo O;
  • Pessoas com temperatura corporal aumentada.
  • Pessoas que vestem peças de roupa com cores brilhantes.

Antes de sugar o sangue, os mosquitos injectam no hospedeiro a sua própria saliva, pois esta possui propriedades anti-coagulantes que impedem a coagulação do sangue que vai ser ingerido.

Para além de promover a anti-coagulação do sangue, esta saliva pode causar a reacção alérgica frequente da picada de mosquito, uma vez que o sistema imunológico do homem reconhece as proteínas na saliva do mosquito como substâncias estranhas.

A histamina atua, provocando prurido (comichão) e também causa a dilatação dos vasos sanguíneos, as consequência são:

  1. Edema (inchaço);
  2. Uma placa ao redor da picada.

 

Picadas de mosquito: sintomatologia associada


prurido e comichao

Geralmente a reacção às picadas de mosquito é pequena e bastante localizada, sendo os sintomas da picada, os referidos no tópico anterior, ou seja, um pequeno inchaço avermelhado na pele, acompanhado de prurido (comichão).

Os sintomas costumam surgir rapidamente, num espaço de aproximadamente 20 minutos, no entanto o prurido pode-se manter até dois dias.

Nas crianças, as picadas de mosquito, costumam apresentar uma reacção mais extensa e intensa à picada, devido a serem mais sensíveis e apresentarem um sistema imunológico mais frágil.

Raramente a picada pode levar a quadros alérgicos mais graves, como por exemplo, a anafilaxia ou choque anafilático, que consiste numa reacção alérgica grave e de rápida progressão podendo causar a morte.

Uma complicação derivada do prurido provocado pelas picadas de mosquito é a infeção secundária pelo ato de coçar a pele, podendo com as unhas, abrir uma porta de entrada para as bactérias da pele para dentro do organismo.

Se houver aparecimento de febre, cefaleias (dor de cabeça), mialgias (dores no corpo) ou outros sinais de infecção, vá de imediato ao médico.

A transmissão das doenças referidas anteriormente também podem surgir através da picada de mosquito.

Métodos de controlo das picadas de mosquito


spray inseticida

Deixamos algumas dicas para prevenir e controlar o aparecimento destes insetos:

  • Evite superfícies com água parada (estas servem de reservatório para os ovos de mosquitos), por exemplo: latas, vasos com água, baldes, pneus velhos, etc.;
  • Evite deixar as janelas abertas no início da manhã e no final da tarde, caso necessite de abrir, opte por utilizar entre a janela e o interior da casa, uma rede mosquiteira;
  • Use vestuário adequado, roupas largas e de cor clara, que cubram a maior área corporal possível;
  • Aplique repelentes na pele e nas roupas, estes servem para diminuir a atração do mosquito à sua pele. Os mais eficientes contêm Dietiltoluamida (DEET) em percentagem inferior a 20%. No caso das crianças aconselhe-se com o seu médico;
  • Pode utilizar dentro de casa, velas e incensos repelentes e inseticidas.
  • Pode utilizar insecticidas ou pesticidas, são eficientes em ambientes fechados, no entanto não são selectivos e eliminam outras espécies-alvo. Devem ser evitados em quartos com bebés, devido ao risco de intoxicação;
  • Evite ter sacos do lixo no interior ou perto de casa;
  • Desligue a luz antes de abrir a porta para sair.

 

Picada de mosquito: tratamento


Os cuidados devem ser feitos logo após o aparecimento da primeira lesão para obter melhores resultados, devendo cumprir com o seguinte:

  1. Limpar o local da picada com álcool, uma solução antisséptica ou água o mais cedo possível;
  2. Evitar coçar a pele. Caso não consiga controlar a comichão, coloque gelo envolvido numa compressa, aliviando assim a comichão e diminuindo o edema;
  3. Se não for suficiente, é possível usar algumas substâncias tópicas, como as que incluem a solução de calamina ou o creme Caladril®, ou pomadas com corticóides. Siga as instruções que acompanham o produto e em caso de dúvida, fale com o farmacêutico;
  4. Se surgir alguma bolha no local (pode acontecer em picadas de formiga), não a rebente;
  5. Se as picadas estiverem muito inchadas e provocarem muita comichão, um anti-histamínico por via oral pode aliviar o desconforto;
  6. Mantenha as unhas das crianças bem curtas e a zona da picada coberta com roupa para evitar que ela se arranhe muito.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.