Publicidade:

6 Pensamentos que tem de mudar para conseguir perder peso

Para além da alimentação saudável e da atividade física, é importante controlar os impulsos. Conheça os pensamentos que tem de mudar para perder peso!

 
6 Pensamentos que tem de mudar para conseguir perder peso
Mudar a forma como pensa pode impactar a gestão do peso

São vários os estudos que se têm debruçado sobre os fatores que levam a uma eficaz perda de peso e à sua consequente manutenção.

Apesar da informação disponível não ser totalmente consensual ou esclarecedora, o que parece certo é que há certos pensamentos que tem de mudar para perder peso, caso esse seja o seu objetivo.

Costuma prestar atenção àquilo que pensa antes de comer seja o que for? Possivelmente não, mas a verdade é que a forma de pensar leva a que muitas pessoas comam por impulso ou se alimentem menos bem.

“Que aspeto apetitoso!”, “Não consigo resistir a este bolo”, “Não devia comer tanto mas não consigo parar”, são alguns dos pensamentos que precedem as opções menos saudáveis e as opções feitas por impulso. São estes os pensamentos que tem de mudar para perder peso.

7 fatores determinantes no processo de perda de peso


pensamentos que tem de mudar para perder peso alimentacao e exercicio fisico

O conjunto de estudos realizados neste âmbito apurou os seguintes fatores como sendo determinantes no processo de perda de peso e sua consequente manutenção:

  1. Motivação autónoma;
  2. Não ter uma abordagem rígida da dieta;
  3. Aumento da atividade física;
  4. Fazer auto-monitorização;
  5. Existência de suporte social;
  6. Manter um auto-diálogo positivo;
  7. Dispor de estratégias de resolução de problemas eficazes.

Estes dados vêm reforçar a importância da motivação, dos pensamentos positivos, da capacidade de auto-controlo e auto-monitorização no processo de perda de peso.

Se a nossa forma de pensar e encarar a alimentação tem toda esta influência, importa mudar a forma como pensamos sobre a comida, para que seja possível emagrecer e manter a forma física a longo prazo.

Pensamento e perda de peso: uma relação mágica!


Quando pensamos no processo de perda de peso pensamos automaticamente na mudança de comportamento que, de facto, é algo essencial, mas não é o suficiente. Podemos fazer alterações a curto prazo no nosso comportamento alimentar mas para perder peso e manter o peso perdido precisamos, antes de mais, de fazer mudanças permanentes na forma como pensamos.

As investigações têm demonstrado a importância de identificar e reformular os pensamentos irrealistas e negativos. Quando tal é conseguido, as pessoas sentem-se melhor e são capazes de agir de forma mais positiva, atingindo mais facilmente o objetivo da perda de peso.

Esta abordagem, combinada com aconselhamento nutricional e exercício físico, parece ser bastante eficaz, na medida em que permite aprender diversas competências, como por exemplo, saber como se motivar todos os dias.

6 pensamentos que tem de mudar para perder peso


pensamentos que tem de mudar para perder peso pensamento positivo

Construir autoconfiança, criar tempo e energia para fazer dieta, saber lidar com a fome, a fome emocional e os desejos irresistíveis é fundamental para uma perda de peso bem conseguida. Conheça alguns pensamentos que tem de mudar para perder peso:

1. Pensamentos derrotistas: “não vou ser capaz de resistir”;

2. Desculpas e mais desculpas: “não faz mal comer isto só desta vez porque estou feliz/triste/cansado”; “toda a gente está a comer isto por isso também vou provar”; “é uma ocasião especial por isso posso abusar”; “posso comer o que me apetecer, depois compenso”; “ o meu amigo vai pensar mal de mim se não comer o que me ofereceu”;

3. Pensamentos ansiosos: frequentemente, pessoas sem problemas de peso gerem o stress e a ansiedade sem necessidade de recorrer à comida. Pelo contrário, tentam resolver os problemas, corrigem os pensamentos distorcidos, pedem ajuda, distraem-se e fazem exercícios de relaxamento;

4. Pensamentos impulsivos: os desejos não desaparecem apenas através do ato de comer. Ser determinado e desviar a atenção para outra coisa também é uma excelente forma de resistir ao impulso. Ao ceder ao desejo, é natural que sinta uma satisfação momentânea mas o mal-estar e os remorsos que se seguem tendem a ser desagradáveis;

5. Pensamentos catastróficos: pensamentos catastróficos e excessivos e sentimentos de culpa também não ajudam. Se comeu demais ou cedeu ao impulso, tente fazer melhor da próxima vez. Mais ainda, não aproveite as ocasiões em que falhou para justificar novos erros: “já que errei, vou comer o que quiser durante o resto do dia e começar a dieta de novo amanhã”;

6. Pensamentos de tudo ou nada: pensamentos excessivamente perfeccionistas não contribuem para o sucesso do processo de perda de peso, como por exemplo “ou consigo levar a dieta sem falhar ou então desisto de vez”.

Como conclusão…


A forma como pensamos afeta o que sentimos e o que fazemos e pode ser um forte aliado na perda de peso. Como vimos, há determinados erros de pensamento que potenciam a ansiedade e atrapalham o sucesso deste processo. Pelo contrário, se formos capazes de desenvolver pensamentos construtivos vamos sentir maior controlo sobre a nossa alimentação.

Assim sendo, é importante aprender a identificar pensamentos irracionais e sabotadores e aprender a lidar com eles de forma mais funcional e produtiva. Mudar este tipo de pensamentos ajuda a adotar e manter bons hábitos alimentares, a aprender a tolerar o desejo incontrolável de comer, gerir melhor as emoções e manter a motivação.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].