Peixes com maior contaminação de mercúrio: tire as suas dúvidas!

Na lista de peixes com maior contaminação de mercúrio estão o espadarte, o tubarão e o peixe espada. O elevado teor em mercúrio “mancha” os benefícios destes peixes, nomeadamente o teor em proteína, ómega-3, vitaminas e minerais, mas não quer dizer que os tenha que eliminar da sua alimentação. Tire as suas dúvidas aqui.

Peixes com maior contaminação de mercúrio: tire as suas dúvidas!
Apesar de todos os benefícios que o peixe apresenta para a saúde, nem tudo são rosas.

O peixe é um dos alimentos mais saudáveis que temos disponíveis. Constitui uma excelente fonte de proteína de elevado valor biológico, ácidos gordos ómega-3 (DHA e EPA), vitaminas e minerais. No entanto, alguns tipos de peixe podem conter elevados níveis de mercúrio, um metal pesado que é tóxico para o organismo, que está associado a graves problemas de saúde. Vejamos, então, quais os peixes com maior contaminação de mercúrio.

Benefícios do consumo de peixe


peixes com maior contaminacao de mercurio e saude cardiovascular

O peixe é um alimento de elevada densidade e riqueza nutricional, devendo ser presença obrigatória na alimentação de todos.

Considerado um alimento de fácil digestão, o peixe é fonte de proteínas de elevado valor biológico, é rico em vitaminas do complexo B e minerais como o iodo, fósforo, sódio, potássio, ferro e cálcio.

A gordura que fornece é maioritariamente insaturada, sendo muito mais saudável do que a da carne, que fornece ácidos de gordos saturados, relacionados com a promoção de doenças cardiovasculares.

Com efeito, o peixe, em particular os denominados peixes gordos (sardinha, salmão, garoupa, peixe espada preto, atum), são extremamente ricos em gordura polinsaturada, especialmente os ácidos gordos ómega-3. Estes ácidos gordos são essenciais ao nosso organismo, visto que como não podem ser sintetizados endogenamente, têm de ser fornecidos através da alimentação.

A evidência científica é unânime a comprovar o papel protetor do ómega-3 sobre o sistema cardiovascular e cognitivo, exercendo um papel preventivo sobre doenças como cancro, aterosclerose e Alzheimer. A falta de ingestão de ómega-3, por um período prolongado de tempo, tem sido associada com atrasos no crescimento, problemas de visão e distúrbios neurológicos.

Atualmente, as recomendações para a população europeia, adulta e saudável, apontam que o consumo de peixe deverá ser superior ao da carne e o consumo de 1 a 2 porções de peixe gordo por semana.

Por que razão o mercúrio é um problema


problemas digestivos

O mercúrio é um metal pesado tóxico que é encontrado naturalmente no ar, água e solo. É libertado para o meio ambiente de várias maneiras, nomeadamente pela industria, poluição de águas ou através de fenómenos naturais, como vulcões.

Existem três formas principais: elementar (metálico), inorgânico e orgânico (metilmercúrio). O metilmercúrio por ser lipossolúvel é muito bem absorvido pelas membranas biológicas em geral, assim como pelos tratos digestivos de praticamente todas os animais.

Quando está presente em elevadas concentrações no organismo, pode ser prejudicial e, inclusive, tóxico, causando problemas de saúde graves, nomeadamente a nível cardiovascular, digestivo, pulmonar e cognitivo.

Isto é especialmente relevante no caso das mulheres grávidas ou a amamentar e crianças menores de três anos, visto que são populações mais vulneráveis aos efeitos nocivos do mercúrio.

Peixes com maior contaminação de mercúrio


peixe espada

No que diz respeito ao peixe, apesar de quase todos conterem mercúrio, as espécies maiores, que são predadoras de outras espécies, tendem a acumular mais este metal pesado, sendo os peixes com maior contaminação de mercúrio. Isso porque os predadores comem os peixes menores, que também absorveram mercúrio. Ou seja, quanto maior o peixe, mais peixes e mercúrio ingere.

Além disso, as espécies maiores, por norma, vivem mais e passam mais tempo a acumular mercúrio. Como tal, é importante estar ciente dos tipos de peixes com maior contaminação de mercúrio e minimizar o seu consumo face aos que têm menores concentrações.

Dentro dos peixes com maior contaminação de mercúrio salientam-se o espadarte, o tubarão e o peixe espada, enquanto aquelas com menor concentração são o camarão, a sardinha, a lula e o mexilhão.

Consumo de peixe em Portugal

Segundo dados da FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), Portugal é um dos países onde se verifica maior consumidor de peixe por habitante na União Europeia e no mundo, sendo as espécies mais consumidas são sardinha, carapau, polvo, pescada e peixe-espada.

À exceção do peixe espada, as restantes espécies consumidas possuem muito baixo teor de mercúrio, sendo os peixes a privilegiar. No caso dos peixes com maior contaminação de mercúrio, não precisam de ser excluídas da alimentação, mas deverão ser de consumo mais moderado.

Em suma…


Beneficie o consumo de peixes com menor teor de mercúrio e modere o consumo de espadarte, tubarão e peixe espada, que são os peixes com maior concentração deste metal pesado.

No entanto, e como em tudo, a moderação deverá ser a palavra chave, visto que mesmo estes peixes mais ricos neste metal não precisam de ser eliminados da sua alimentação.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.

Cofidis