Pedra na vesícula: sintomas, causas e tratamento

A presença de pedra na vesícula pode ser assintomática em alguns casos, mas pode também provocar intensa dor abdominal se houver inflamação da vesícula.

Pedra na vesícula: sintomas, causas e tratamento
A vesícula biliar é uma pequena bolsa em forma de pêra, localizada no quadrante superior direito do abdómen, logo abaixo do fígado.

A pedra na vesícula, ou colelitíase, é a presença de cálculos na vesícula biliar. Esses cristais ou cálculos podem surgir em diversas porções do trato biliar, como o ducto e a vesícula biliar.

A bílis, ou fluido biliar, é produzida pelo fígado e armazenada na vesícula biliar, é formada por diversas substâncias como água, cálcio, colesterol e pigmentos como a bilirrubina, substância que dá a sua cor amarelada.

A vesícula é capaz de armazenar á volta de 50 mL de bílis, que digere a gordura e anula ácidos dos alimentos no duodeno, a porção inicial do intestino delgado.

Em algumas ocasiões, estes materiais concentrados podem solidificar, formando pequenas pedras dentro da vesícula ou nos ductos que a conectam com outros órgãos.

As pedras formadas variam bastante em forma e tamanho, dependendo da sua composição. Os pequenos são mais perigosos pois podem migrar e obstruir os ductos. Geralmente na vesícula são formados vários cristais pequenos, ou um único cristal grande.

QUAIS OS SINTOMAS DE PEDRA NA VESÍCULA?


pedra na vesicula e dor

Na maioria dos casos, as pedras na vesícula não causam nenhum sintoma e não precisam de tratamento. Caso surjam sintomas, eles geralmente incluem:

  • Dor na parte superior da barriga e parte superior das costas, que pode durar várias horas;
  • Náuseas;
  • Vómitos;
  • Outros problemas digestivos, incluindo inchaço, indigestão e azia e gases.

No entanto, se um cálculo biliar ficar preso num canal ou abertura (ducto), pode desencadear uma dor abdominal súbita e intensa que geralmente dura entre uma a cinco horas. Este tipo de dor abdominal é conhecida como cólica biliar.

Algumas pessoas com cálculos biliares também podem desenvolver complicações, como inflamação da vesícula biliar (colecistite), o que pode causar:

  • Dor persistente;
  • Icterícia;
  • Febre.

 

QUAIS AS CAUSAS DA FORMAÇÃO DE PEDRA NA VESÍCULA?


excesso de peso

O processo de concentração da bílis na vesícula é feito de modo a torná-la mais espessa, porém, sem que a mesma se solidifique. As pedras na vesícula, chamadas de colelitíase ou cálculo biliar, surgem quando ocorre um desequilíbrio entre a quantidade de água e as substâncias presentes na bílis.

Assim, a pedra na vesícula forma-se devido a um desequilíbrio na composição química da bílis dentro da vesícula biliar.

Existe, no entanto, um maior risco de desenvolvimento de pedra na vesícula nos seguintes casos:

 

PRINCIPAIS TIPOS DE PEDRA NA VESÍCULA


calculos da vesicula

Os dois principais tipos são:

  • Pedras de colesterol. Estes são geralmente de cor amarelo-verde. São o tipo mais comum, representando 80% dos cálculos biliares;
  • Pedras de pigmento. Estas pedras são menores e mais escuras. São compostos de bilirrubina, que vêm da bílis, um líquido que o fígado produz.

 

QUAIS AS OPÇÕES DE TRATAMENTO PARA A PEDRA NA VESÍCULA?


medicacao prescrita pelo medico

O tratamento geralmente é necessário apenas se os cálculos biliares estiverem a causar:

  • Sintomas – como dor abdominal;
  • Complicações – como icterícia ou pancreatite aguda.

Nestes casos, a cirurgia para remover a vesícula biliar pode ser recomendada. Este procedimento, conhecido como colecistectomia laparoscópica, é relativamente simples de executar e apresenta baixo risco de complicações

O tratamento pode também ser efetuado com recurso a medicamentos que contribuam para a dissolução de cálculos biliares de colesterol da vesícula biliar.

Alimentação no tratamento da pedra na vesícula

alimentacao saudavel

A alimentação para pedra na vesícula deve ser feita para evitar o aumento do colesterol, uma das principais causas deste problema. Assim, a dieta deve ser pobre em gorduras saturadas e rica em fibras.

  • O que comer: frutas, legumes, produtos integrais como pão, arroz, massa, grãos integrais como aveia, chia e linhaça.
  • O que não comer: fritos em geral, salsichas, linguiças, carnes vermelhas, margarina, leite, queijos, produtos industrializados como bolachas, salgadinhos e comida congelada.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.