Publicidade:

Parto normal: tudo o que precisa de saber sobre dar à luz de forma natural

Frequentemente por medo associado à dor do parto ou por falta de informação, muitas mulheres optam pela cesariana em lugar do parto normal. Saiba tudo.

 
Parto normal: tudo o que precisa de saber sobre dar à luz de forma natural
Desmistifique os seus medos.

O parto normal ou vaginal, é um processo natural e espontâneo, no qual a gestação tem entre 37 a 42 semanas de gravidez, o bebé está em posição cefálica, terminando com o bebé a passar pelo canal vaginal da mulher.

Segundo a OMS (Organização mundial de saúde) este tipo de parto deve ser realizado a parturientes de baixo risco e este grau de risco mantém-se até ao nascimento do bebé.

O tempo de duração do parto normal pode variar bastante, principalmente entre primíparas e multíparas, mas geralmente dura entre seis e doze horas.

O parto normal pode ser dividido em três estágios:
  • Dilatação do colo do útero: começa com contrações que começam lentas e quase indolores, podem vir seguidas com dores acentuadas nas costas e algumas vezes acompanhada de diarreia.
    Essas dores são parecidas com cólicas e irão aumentar cada vez mais. Conforme o parto avança, o tempo entre cada contração diminui. Esta fase irá durar até a mulher dilatar 10 centímetros. É a fase mais longa do parto e costuma durar entre seis e doze horas.
  • Expulsão do bebé, uma vez que o útero começa a empurrar o bebé para fora, através do canal vaginal. A cada contração, deverá empurrar para baixo (como se estivesse a evacuar), fazendo com que o bebé desça cada vez mais.
  • Expulsão/saída da placenta, nesta fase a mulher sente uma cólica mais fraca do que na dilatação.

O parto normal proporciona uma série de benefícios tanto para a mãe quanto para o bebé, devendo ser a forma de nascimento de eleição, evitando sempre que possível, a cesariana ou tipos de parto com excessiva intervenção.

No entanto, ao contrário da cesariana, não pode ser realizado com dia marcado na agenda, mas o obstetra pode indicar a data prevista para o parto.

Parto normal: Tipos de parto


parto normal gravida em trabalho de parto

O parto normal pode ser realizado das seguintes maneiras:

1. Natural ou não assistido

Quando o parto é realizado da forma mais natural possível, em casa ou no hospital, mas sem procedimentos médicos envolvidos (como por exemplo: episiotomia ou corte na área entre a vagina e o ânus chamada de períneo) e sem qualquer medicação envolvida (por exemplo, a anestesia epidural). Contará com assistência médica só em caso de agravamento.

2. Parto assistido

Consiste no parto de início e progressão espontâneo, culminando num nascimento espontâneo, sem qualquer intervenção, assistido por profissional de saúde.

Neste tipo de parto, a mãe pode recorrer à anestesia epidural se assim entender e podem-lhe ser realizados outros procedimentos mais invasivos, como por exemplo:

  1. Episiotomia;
  2. Rutura artificial das membranas;
  3. Monitorização fetal contínua;
  4. Administração de antibiótico para profilaxia da infeção neonatal.

 

Parto normal: Contra-indicações


parto normal gravidez gemelar

Nas seguintes situações deve-se evitar o parto normal, devido a risco materno ou fetal:

 

Parto normal: Vantagens


parto normal amamentacao

Quando não existem indicações para cesariana, o parto normal deverá ser sempre a primeira escolha da grávida e do médico que a acompanha, uma vez que este tipo de parto apresenta as seguintes vantagens:

  • Ambiente acolhedor;
  • Possibilidade da mãe estar acompanhada por pessoas próximas e de confiança durante o trabalho de parto e no nascimento;
  • Menor risco de mortalidade materna;
  • Menor risco de infeção;
  • Favorece a amamentação, pela ocitocina que é libertada durante o parto e devido ao facto de o bebé ser colocado ao seio materno logo após o nascimento devido à mãe estar consciente e reativa;
  • Recuperação pós-parto mais rápida;
  • Menor risco de doenças respiratórias e broncoaspiração no bebé, pois a compressão durante a passagem pelo canal vaginal favorece a libertação de todo o líquido contido nos pulmões;
  • Menor hemorragia;
  • Favorece o vínculo mãe-bebé e o contato pele-a-pele, acalmando o bebé;
  • Menor tempo de internamento hospitalar;
  • O útero volta ao seu tamanho normal mais rapidamente.

 

Como atenuar a dor no parto normal


parto normal gravida na bola de pilates

O medo e a ansiedade que é provocada pela dor expectável num parto normal, faz com que muitas mulheres recorram ao parto por cesariana em clínicas ou hospitais privados.

A dor é sempre subjetiva, não é igual em todas as pessoas e nunca deve ser desvalorizada. Algumas pessoas, pela integridade das vias nervosas sensitivas e resultado da experiência de vida de cada uma, são mais tolerantes à dor.

Tenha em conta que a dor pode ser eliminada ou atenuada de diversas formas, tais como:

  • Administração de analgesia epidural;
  • Realização de massagens na região sacro-lombar;
  • Toma de banho relaxante com água quente;
  • Utilização da bola de pilates;
  • Realização de técnicas de respiração;
  • Mudança de posição corporal frequente;
  • Prática de acupuntura.

Parto normal: formas de ajudar a acelerar o trabalho de parto


dor no parto normal

Para acelerar o trabalho de parto, existem várias práticas que pode fazer. No entanto, é importante que relaxe e que deixe fluir este momento:

  • Caminhar auxilia no processo de dilatação além de aliviar o incomodo das contrações mais fortes;
  • Banhos de imersão mornos;
  • Respirar tranquilamente como ensinam nas aulas de preparação para o parto, “Inspirar profundamente como se estivesse a cheirar uma flor e expirar lentamente como se tentasse apagar uma vela”;
  • Pedir ao seu companheiro ou acompanhante para realizar uma boa massagem lombar.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].