HPV papilomavírus humano: esclareça todas as suas dúvidas

O papilomavírus humano é muito frequente. É transmitido por contacto genital e está associado a 5% dos cancros, no geral e a 10% dos cancros na mulher.

HPV papilomavírus humano: esclareça todas as suas dúvidas
O que é o papilomavírus humano (HPV)? Que doenças pode causar?

Tal como o nome indica, papilomavírus humano é um vírus frequente nos humanos, responsável pela formação de lesões chamadas papilomas. Existem mais de 120 tipos diferentes de papilomavírus humano (HPV), dos quais 40 afetam preferencialmente os órgãos genitais (vulva, vagina, colo do útero, pénis e ânus).

Nos HPV de alto risco incluem-se os tipos 16 e 18, que são responsáveis por 75% das lesões mais graves (cancerosas). As estirpes mais comummente implicadas na doença oncológica são os tipos 16, 18, 31, 33, 35 e 39.

Nos HPV de baixo risco estão incluídos os tipos 6 e 11, que são responsáveis pela maioria das doenças benignas causadas pelo HPV, das quais as mais frequentes são os condilomas (lesão na pele semelhante a verrugas) ou verrugas genitais.

Estima-se que 75 a 80% das pessoas sexualmente ativas, tenham contacto com o vírus em alguma altura das suas vidas.

O Papilomavírus Humano infeta tanto homens, como mulheres. Na maioria das vezes a infeção pelo vírus não tem qualquer sintoma e mesmo quando a doença já está instalada, esta pode ser assintomática.

QUEM PODE SER INFETADO PELO PAPILOMAVÍRUS HUMANO?


papilomavirus humano e verruga

Todas as pessoas sexualmente ativas podem ser afetadas pelo Papilomavírus Humano. Sendo que este afeta tanto mulheres como homens.

A transmissão pode ocorrer através de qualquer tipo de contacto sexual/genital ou oral.

Na presença do vírus, na maioria dos casos o organismo consegue eliminar o vírus, mas quando isso não acontece, pode desenvolver-se doença genital.

Nas mulheres:

  • Cancros e lesões pré-cancerosas: do colo do útero, da vagina, da vulva e do ânus.
  • Verrugas ou condilomas genitais.

Nos homens:

  • Cancros e lesões pré-cancerosas: do pénis e do ânus.
  • Verrugas ou condilomas genitais.

 

QUAIS OS FATORES DE RISCO PARA O DESENVOLVIMENTO DO PAPILOMAVÍRUS HUMANO?


preservativos

Todas as pessoas sexualmente ativas estão suscetíveis de contrair o vírus HPV, mas existem alguns fatores que aumentam o risco de contágio:

  • Relações sexuais desprotegidas;
  • Múltiplos parceiros (o risco aumenta com o maior número de parceiros sexuais, ou com um parceiro que tenha múltiplos contactos);
  • Sistema imunitário deficiente;
  •  Ser portador de alguma doença sexualmente transmissível (DST’S).

A infeção pelo HPV pode ser controlada, mas quando não tratada pode progredir e transformar-se dando origem a displasias e/ou carcinomas. Esta é a principal causa do desenvolvimento do cancro do colo do útero.

Alguns fatores de risco podem potenciar o aparecimento do cancro associado ao HPV, são resultantes de alterações do sistema imunitário:

  • Uso prolongado de contraceptivos orais;
  • Tabagismo;
  • Infecção por HIV;
  • Múltiplas gestações;
  • Tratamentos como quimioterapia e radioterapia;
  • Ser portador de doenças sexualmente transmissíveis como Herpes simples e clamídia.

 

PREVENÇÃO/VACINAÇÃO CONTRA O HPV


vacinacao

A vacinação é uma medida eficaz na prevenção da infeção por HPV. A Gardasil 9 é a mais completa vacina contra o HPV, sendo utilizada em indivíduos do sexo masculino e feminino a partir dos nove anos de idade, para conferir proteção contra as seguintes doenças causadas por nove tipos do Papilomavírus Humano (HPV tipos 6, 11, 16, 18, 31, 33, 45, 52 e 58).

Esta vacina é habitualmente administrada num esquema de duas doses a indivíduos do sexo masculino e feminino dos 9 aos 14 anos e num esquema de três doses a indivíduos do sexo masculino e feminino com 15 ou mais anos de idade.

A vacina pode ser adquirida mediante prescrição médica e faz parte do Plano Nacional da Vacinação, recomendando-se às raparigas com idades dos 10 aos 13 anos de idade inclusive.

A vacinação contra HPV, no âmbito do PNV, pode ser iniciada até aos 18 anos de idade exclusive e completada (2ª ou 3ª dose) até aos 25 anos de idade inclusive.

Além da vacina, a prevenção da transmissão do HPV passa também por corrigir estilos de vida e comportamentos de acordo com os fatores de risco referidos.

Praticamente 100 % dos cancros do colo do útero são causados pela infeção por HPV. Estima-se que, na Europa, cerca de 90 % dos cancros anais, 15 % dos cancros vulvares, 70 % dos cancros vaginais e 30 a 40 % dos cancros penianos sejam causados por infeções por HPV.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.

Cofidis