Otite canina: como pode prevenir este problema frequente?

A otite canina é um problema frequente, mas que pode ser facilmente tratado. Saiba tudo este problema, e se o seu cão pertence às raças mais afetadas.

Powered by: Vetecare
Otite canina: como pode prevenir este problema frequente?
Descubra as raças mais propícias a padecer deste problema.

Trata-se de um processo inflamatório que afeta a parte externa do ouvido e é uma das patologias mais frequentes no mundo animal. A otite canina é uma inflamação do revestimento dos canais auditivos e estruturas vizinhas e apesar de ser facilmente tratada, pode levar ao aparecimento de outras doenças dermatológicas ou sistémicas, pelo que todo o cuidado é pouco até mesmo para que não se torne num problema crónico.

Determinadas raças estão mais predispostas à otite canina devido a uma maior densidade de glândulas apócrinas e uma predisposição para que as mesmas de espalhem e dilatem, nomeadamente:

Se tem uma destas raças em casa, evite despesas a mais no veterinário. Com o Plano de Saúde da Vetecare tem acesso a uma vasta rede de médicos veterinários com descontos em consultas que vão fazer a diferença no seu orçamento final. Saiba mais informações aqui.

Sintomas de otite canina


comichao na orelha e otite canina

Dependendo do tipo da otite e até do próprio animal, os sintomas podem variar. Todavia, há alguns sintomas clássicos e comuns aos quais deve estar atento:

  • Comichão intensa nas orelhas;
  • Abanar constantemente a cabeça;
  • Esfregar as orelhas nos móveis;
  • Colocar a cabeça de lado;
  • Secreções nas orelhas;
  • Mau cheiro proveniente das orelhas do cão;
  • Aparecimento de vermelhidão, escurecimento ou crostas no ouvido;
  • Inchaço nas orelhas;
  • Perda de audição parcial ou total;
  • Manifestação de dor e afastamento mediante o toque;
  • Feridas nas orelhas e na parte dado que o animal se coça imensas vezes.

 

Diferentes origens de otite canina


cocker spaniel

A otite canina pode ter várias causas e afetar partes diferentes do ouvido dos cães. Assim sendo, pode ser denominada de otite externa, otite média ou otite interna de acordo com o local mais afetado. As causas mais comuns que levam ao aparecimento deste problema são:

Infeção

A otite infeciosa é provocada por bactérias e normalmente tem pus. O tratamento implica antibióticos injetáveis e orais, juntamente com medicamento tópico aplicado na região.

Fungos

É a forma mais comum de otite canina e os sintomas incluem excesso de cera com cheiro adocicado.

Parasitas

Este tipo de otite canina é provocado por carrapatos. O tratamento depende do grau de gravidade do problema e podem incluir medicamentos tópicos, orais e injetáveis.

Produção excessiva de cera

Alguns animais produzem cera em excesso, que, quando acumulada, começa a fermentar a inflamar, causando a otite.

Outros fatores

Traumas, alergias, tumores, alterações hormonais e um corpo estranho no ouvido do cão também podem influenciar no aparecimento desta doença.

Como tratar a otite canina


solucao para os ouvidos

O tratamento da otite canina está associado ao uso de medicação e à limpeza dos ouvidos. Essa medicação pode ser tópica, oral ou injetável e associada com antibióticos e/ou anti-inflamatórios dependendo da situação.

Independentemente de qual for o tratamento sugerido pelo veterinário, é importante cumprir à risca, caso contrário não será resolvido e poderá transformar-se num problema pontual em otite canina crónica.

O procedimento habitual consiste em:

  • Extrair o corpo estranho;
  • Aplicar inseticidas tópicos durante 15 dias;
  • Colocar corticosteroides tópicos e sistémicos na otite externa alérgica;
  • Aplica corticosteroides sistémicos em doses imunossupressoras em otites associadas a doenças auto-imunes;
  • Recorrer a corticosteroides, antibióticos e antifúngicos tópicos combinados com gotas ceruminolíticas, limpadoras e adstringente na otite seborreica ou associada a doenças endócrinas.

 

Prevenir o aparecimento de otite canina


higienizar orelha

Apesar de existirem raças geneticamente mais predispostas ao aparecimento desta doença, nenhum cão está imune, pelo que a prevenção é mesmo o melhor procedimento.

Assim, é extremamente importante:

  • Manter a higiene da orelha do cão, limpando-lhe os ouvidos, no mínimo, uma vez por semana;
  • Se o animal tiver muitos pelos nos ouvidos, então, aconselha-se o respetivo corte;
  • No caso de um cão com orelhas muito compridas, o contacto com a malga da água enquanto bebe também pode provocar o aparecimento de otite canina, dado que as orelhas ficam húmidas, o que cria o ambiente perfeito para a proliferação exagerada de fungos;
  • Secar bem as orelhas do cão quando estiverem molhadas;
  • E, claro, visitar regularmente o veterinário no sentido de prevenir o aparecimento desta e de muitas outras doenças e, com isso, ter um animal mais feliz e saudável.

A melhor forma de o fazer, sem limitar o orçamento familiar, é subscrever o Plano de Saúde para Animais de Companhia Vetecare que permite, a partir de 13 euros por mês, o acesso privilegiado a serviços veterinários de qualidade.

Este é um plano completo que poderá subscrever para dar todo o conforto, segurança e bem-estar ao seu animal, permitindo ao tutor ficar, também, mais descansado com os imprevistos que possam ocorrer, visto que não tem períodos de carência, não existe plafond anual, não há qualquer exclusão de idade, espécie, raça ou a existência de doenças crónicas ou já conhecidas.

Veja também: