Nos Primavera Sound - Rescaldo do 1.º e 2.º dias

O NOS Primavera Sound já começou e fazemos aqui o balanço dos dois primeiros dias de festival. Desde o Punk ao Hip Hop, estes foram dias com concertos para todos os gostos.

Nos Primavera Sound - Rescaldo do 1.º e 2.º dias
Enorme afluência e ausência de chuva em 2 dias com grandes concertos

Dois dias de NOS Primavera Sound passados e que dois dias! Sem chuva e com muito boa música, pelo festival passaram Father John Misty, Lorde, Rhye, Tyler The Creator, Jamie XX, A$AP Rocky, Fever Ray, Floating Points, Thundercat, Unknown Mortal Orchestra e muitos outros. Saiba tudo o que se passou e o que ainda está para vir.

O que mudou em relação ao ano passado

A chuva ameaçava não parar no dia 7 de junho, para desilusão de muitos festivaleiros. No entanto, às 18h, o cenário mudou e nem mais um gota caiu, demovendo quem estava a pensar desistir do sofá.
Este ano, segundo a Organização, o festival conta com mais de 30% de estrangeiros, o que confirma a crescente capacidade de atração do NOS Primavera Sound face a festivais concorrentes como o Secret Garden Party (Reino Unido), Glastonbury Festival (Reino Unido) ou o Rock in Roma (Itália).

Este ano, o recinto conta com mais um palco – Palco SEAT – e a tenda eletrónica transformou-se num espaço fechado com 2 bolas de espelhos que proporciona uma experiência mais intimista e disco-like – Palco Primavera Bits. Não deixe de lá passar mas vá relativamente cedo – as pessoas amontoam-se na fila.

Como é óbvio, não faltaram as coroas de flores e as purpurinas, embora e por razões óbvias, não se vissem tantas cabeças coroadas.

Este ano, todos os sítios onde se formavam longas filas em 2017 têm um tráfego consideravelmente mais fluído: zona das casas de banho, zona da restauração, zona de bares (viam-se mais pessoas da organização com mochilas de cerveja às costas, ou seja, não precisa de sair dos concertos a meio para ir reabastecer).
A zona da restauração tem, também, uma oferta mais variada que em 2017, com mais de 40 opções desde street food a petiscos tradicionalmente portuenses.

E quanto aos concertos?

No 1.º dia de festival, houve um concerto que se destacou para a equipa do Vida Ativa: Tyler, The Creator. O rapper e produtor norte-americano não precisou de muito para fazer a festa: sentado, deitado, aos saltos, de forma inteligente, projetou algumas das letras das suas músicas no ecrã atrás de si, conseguindo unir o público que assistia e cantava em uníssono. Munido de um colete refletor com “Child of Golf” escrito nas costas, o one-man show trouxe-nos êxitos como “Deathcamp”, “Boredom”, “Who Dat Boy” ou “See You Again”. Assim esperamos, Flower Boy! Volta para o ano e, desta vez, para um palco maior.

Apesar de Tyler, The Creator ter sido o concerto do dia, damos também destaque a Rhye, Lorde e Father John Misty, que fez suspirar muitas fãs.

No 2.º dia de festival, podemos, sem sombra de dúvida, afirmar que o melhor concerto foi o de Fever Ray.
Acreditamos que Peaches e Fever Ray bebam inspiração uma da outra, o que só engrandece as suas performances, muito femininas, feministas, satíricas e carregadas de conotações sexuais.
Mascaradas com roupas exuberantes, todos os elementos da banda de Fever Ray captaram a atenção imediata do público que vibrou ao som de “An Itch”, “When I Grow Up” e “To The Moon And Back”.

A$AP Rocky era o cabeça de cartaz do dia 8, mas a equipa do Vida Ativa optou por assistir ao concerto de Unknown Mortal Orchestra e não ficou desiludida. Com um novo e distinto álbum – Sex & Food – Unknown provou que ainda não parou de crescer e de se reinventar.

Terminámos o dia com o dançável concerto de Floating Points e, analisando a prestação de Jamie XX do 1.º dia em retrospetiva, desejámos que tivesse atuado à mesma hora: 2h30.

Primavera concertos 2018

Alinhamento 3.º dia

Parece que vai chover mas o São Pedro tem-nos trocado as voltas, por isso, vá na fé! Mas não se esqueça do impermeável e leia aqui outras dicas para evitar que a (potencial) chuva lhe estrague a diversão.

Confira o alinhamento para o 3.º dia do festival:

Palco NOS

17h45 – Belako
19h50 – Metá Metá
22h05 – Nick Cave and the Bad Seeds
00h45 – Mogwai

Palco Seat

18h00 – Rolling Blackouts Coastal Fever
19h15 – Flat Worms
20h30 – Public Service Broadcasting
21h45 – Wolf Parade
23h40 – War on Drugs

Palco Super Bock

18h50 – Kelela
21h00 – Joe Goodard
23h40 – Nils Frahm

Palco Pitchfork

19h00 – Vagabon
20h45 – Kelsey Lu
22h00 – Jay Som
23h30 – Abra
02h30 – Arca

Palco Bits

23h00 – Caroline Lethô
00h00 – Or:la
01h15 – Denis Sulta
02h30 – Avalon Emerson
04h00 – Talaboman