9 Motivos pelos quais as mulheres perdem o desejo sexual

A falta de desejo sexual é uma das disfunções mais comuns entre as mulheres. É por estes motivos que as mulheres perdem o desejo sexual! Saiba quais são!

9 Motivos pelos quais as mulheres perdem o desejo sexual
A perda de desejo sexual é mais comum nas mulheres do que nos homens.

O relacionamento sexual cria uma sensação de bem-estar geral que é provocada pela libertação de substâncias químicas. No entanto, em certas circunstâncias ou fases da vida da mulher, pode ocorrer uma diminuição da libido e uma dificuldade em obter uma vida sexual satisfatória. Vamos saber mais sobre os motivos pelos quais as mulheres perdem o desejo sexual.

9 motivos pelos quais as mulheres perdem o desejo sexual


mulheres perdem o desejo e mulher em depressao

1 – História de depressão ao longo da vida: alguns estudos mostram que mulheres com uma história de depressão recorrente tendem a evidenciar uma menor resposta de excitação e relações sexuais menos satisfatórias em termos físicos e emocionais.

Apimente a sua relação!
Dê o boost que precisa à sua relação com o estimulante sexual certo. Encontre aqui!

2 – Valor pessoal e autoestima sexual reduzidos: há autores que defendem que as emoções e os pensamentos têm um impacto mais forte na excitação sexual feminina do que a sensibilidade genital.

3 – Dinâmicas conjugais: a integridade do relacionamento conjugal contribui para o bom funcionamento sexual. As dificuldades de comunicação e de interação do casal geram sentimentos negativos e afetam o funcionamento sexual.

4 – Fraca conexão emocional com o parceiro.

5 – Pensamentos negativos durante a atividade sexual: pensamentos de fracasso e de desistência sexual e falta de pensamentos eróticos. Nestes casos, a atenção durante o ato sexual está mais centrada em preocupações relacionadas com a imagem corporal, com o desempenho sexual e pensamentos de fracasso.

6 – Crenças sexuais, nomeadamente aquelas que se relacionam com o conservadorismo sexual: nestes casos, está patente o impacto cultural na inibição da sexualidade feminina.

7 – Alterações hormonais que ocorrem durante o ciclo menstrual: podem provocar tensão pré-menstrual e potenciar a diminuição da libido.

8 – Menopausa: a diminuição dos níveis de estrogénios e progesterona pode interferir negativamente na disposição da mulher para o contacto sexual.

9 – Stress e cansaço: podem favorecer a falta de libido feminina.

Perturbação do interesse/excitação sexual feminino


mulher sem vontade sexual

Quando as mulheres perdem o desejo sexual, ou seja, quando se verifica a ausência ou redução significativa do interesse e da excitação sexual, podem estar presentes alguns dos seguintes sintomas:

1 – Ausência ou redução do interesse na atividade sexual.

2 – Ausência ou redução de pensamentos sexuais/eróticos ou de fantasia.

3 – Ausência ou redução da iniciativa para a atividade sexual e tipicamente não recetiva às tentativas do parceiro para iniciar a atividade sexual.

4 – Ausência ou redução da excitação/prazer sexual durante a atividade sexual em quase todos ou todos os encontros sexuais.

5 – Ausência ou redução do interesse/excitação sexual em resposta a quaisquer estímulos sexuais/eróticos internos ou externos.

6 – Ausência ou redução das sensações genitais e não genitais durante a atividade sexual em quase todos ou todos os encontros sexuais.

Esta diminuição ou ausência de desejo sexual persiste por um período mínimo de aproximadamente 6 meses e provoca mal-estar clinicamente significativo.

Para este diagnóstico ser atribuído, a disfunção sexual não pode ser devida a perturbação mental não sexual ou consequência de dificuldades relacionais graves, bem como não pode ser devida aos efeitos se determinada substância ou medicamento ou outra condição médica.

A perturbação do interesse/excitação sexual feminino pode ser caracterizada de diferentes formas:

  • Ao longo da vida (esteve presente desde que a mulher se tornou sexualmente ativa) ou adquirida (iniciou após um período de função sexual relativamente normal);
  • Generalizada (não se limita a certos tipos de estimulação, situações ou parceiros) ou situacional (ocorre apenas com certos tipos de estimulação, situações ou parceiros);
  • Ligeira (provoca mal-estar ligeiro), moderada (mal-estar moderado devido aos sintomas) ou grave (evidência de mal-estar grave ou extremo).

Quando as mulheres perdem o desejo de forma frequente, interferindo no seu bem-estar e na sua felicidade, pode estar presente uma disfunção sexual. Perante esta suspeita, as mulheres devem conversar com o médico que as acompanha e pedir ajuda.

A sua relação já não é o que era? Escolha aqui o estimulante sexual à sua medida e sinta a diferença!

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!