Monogamia vs poliamor: qual o seu modelo de relação ideal?

Monogamia vs poliamor: as relações não são todas iguais. Vamos pensar no que são relações amorosas e a forma como as pessoas se sentem nelas. Ora veja.

Monogamia vs poliamor: qual o seu modelo de relação ideal?
Já ponderou manter múltiplas relações afetivo-sexuais em simultâneo?

O padrão mais comummente aceite para as relações amorosas na cultura ocidental continua a ser a monogamia, segundo a qual, a pessoa que está num compromisso amoroso e mantém relações sexuais fora desse relacionamento, geralmente é considerada traidora e infiel. Contudo, existem pessoas que aceitam não manter a exclusividade sexual e afetiva com o pleno consentimento do parceiro – o poliamor. Vamos então conhecer melhor a dicotomia monogamia vs poliamor.

Monogamia vs poliamor


A sexualidade e a conjugalidade sempre estiveram enraizadas nos paradigmas sociais desde os primórdios das civilizações, mas muito tem vindo a mudar. Segundo dados do ano de 2013, 70 em 100 casamentos terminaram em divórcio. Mais ainda, somos o país europeu que apresenta o número mais elevado de matrimónios mal-sucedidos.

Apimente a sua relação!
Dê o boost que precisa à sua relação com o estimulante sexual certo. Encontre aqui!

Será que a monogamia está em vias de extinção ou o ideal monogâmico continuará a ser seguido pela maioria de nós? Vamos abordar as mudanças que têm vindo a acontecer ao nível da mais convencional configuração de relação e conhecer novas práticas relacionais: monogamia vs poliamor.

Monogamia

Monogamia vs poligamia casal feliz

Vivemos numa sociedade maioritariamente monogâmica em que tudo o que saia fora do parâmetro do usual, daquilo que é regra, é muitas vezes encarado com recriminação e culpabilização.

Nas sociedades ocidentais a monogamia ainda é o modelo de relacionamento preferencial, sendo frequentes as relações monogâmicas, baseadas no amor romântico e na exclusividade mutuamente consentida das relações amorosas. Nestas relações, a infidelidade é encarada de forma negativa e moralmente errada.

Tendo em conta as crescentes e elevadas taxas de divórcio e à quantidade de matrimónios falhados a nível nacional e europeu seria de pensar que a monogamia está a entrar em vias de extinção, no entanto, não parece ser isso que se passa.

O que habitualmente acontece é que, em vez de mantermos uma relação exclusiva com uma pessoa durante toda a vida, temos relações monogâmicas sequenciais, ou seja, após o término de um relacionamento monogâmico, a maioria de nós inicia uma nova ligação amorosa, também ela exclusiva.

Em suma, se há quem coloque a monogamia em causa, acreditando que não é natural enquanto impulso biológico, a grande maioria das pessoas continua a acreditar no ideal monogâmico.

Poliamor

monogamia vs poliamor rapaz com duas namoradas

Quando falamos de poliamor estamos a referir-nos à prática de um relacionamento íntimo e sexual simultâneo com mais de uma pessoa, com o consentimento e conhecimento de todos os envolvidos. Assim sendo, os adeptos do poliamor acredita ser possível amar mais de uma pessoa em simultâneo.

O poliamor não é um modelo de relação convencional. É uma relação que funciona de forma aberta, ou seja, em que as pessoas estão juntas porque gostam umas das outras e aceitam que não existe exclusividade, afetiva ou sexual.

A prática do poliamor é uma escolha pessoal, tal como a prática monogâmica, e não uma imposição. Não pretende ser a fórmula mágica para todos os problemas relacionais, já que também no poliamor existem desafios.

O poliamor considera que amar única e exclusivamente uma só pessoa pelo resto da vida é incompreensível e que o amor não deve excluir nenhuma pessoa, logo, todas as pessoas podem amar e ser amadas por mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Naturalmente, para que esta forma de relacionamento seja possível, os poliamoristas necessitam cultivar determinados princípios, tais como honestidade e o mútuo acordo.

No poliamor o centro da questão é o amor e não apenas o sexo, ao contrário do que acontece em alguns movimentos como é exemplo o swing. Assim, quando falamos de poliamor não falamos de relacionamentos livres, onde apenas existe a procura de um novo parceiro sexual, sem envolvimento emocional.

Em suma…


O poliamor diz respeito a uma relação em que existe uma conjugação amorosa e sexual, com diversas pessoas ao mesmo tempo, de forma sincera e consentida entre todos, ou seja, o poliamor acredita na não-monogamia consensual.

A sua relação já não é o que era? Escolha aqui o estimulante sexual à sua medida e sinta a diferença!

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!