x

Como entender a linguagem corporal do seu cão

Sabe como entender a linguagem corporal do seu cão? Por vezes pode ser difícil compreender o que o seu cão está a sentir e o que lhe quer dizer. Nós damos uma ajuda.

Powered by: Vetecare
Como entender a linguagem corporal do seu cão
Sabe o que é que o seu cão lhe quer dizer?

Apesar de não conseguirem falar através de palavras, os cães, conseguem comunicar e expressar os sentimentos com os outros cães e com os humanos através de posições adotadas e determinados comportamentos. Aprenda como entender a linguagem corporal do seu cão e perceba melhor o que o seu cão lhe quer dizer estabelecendo com ele uma maior ligação.

Como entender a linguagem corporal do cão? 4 partes do corpo para onde deve olhar


Se quer compreender a linguagem corporal do seu cão, deve estar atento a determinados locais no seu corpo e à sua expressão.

1. Olhos

linguagem corporal cão

Os olhos são um dos principais sítios do corpo do cão que nos podem dizer como o cão se sente e, mesmo não tendo qualquer conhecimento de comportamento animal, é possível compreender através do seu olhar quando o cão está confortável ou quando está prestes a atacar.

Quando um cão olha fixamente para algo demonstra um alto interesse, que, dependendo do contexto, pode ser positivo ou negativo. Muitas vezes pode ser um sinal de que o cão está prestes a atacar ou a tornar-se agressivo. Também em casos de agressividade é possível observar as suas pupilas a ficarem dilatadas.

Em situações que o cão se sente desconfortável com a situação, muitas vezes evita o confronto, desviando o olhar, e pode inclusive piscar os olhos de forma repetida. Neste caso, se o animal se sente desconfortável com determinado estímulo, e este não termina ou se torna mais próximo, pode gerar agressividade. Por exemplo, quando um cão desvia o olhar por sentir que uma pessoa está demasiado perto e a pessoa insiste em tocar no cão, o cão pode sentir-se ameaçado e morder.

2. Boca

linguagem corporal cão

Para compreender a linguagem corporal do seu cão é necessário olhar sempre para a boca, pois também nos consegue dar pistas sobre como o cão se sente.

Algumas raças de cães, quando estão felizes, parecem sorrir, apesar dos cães não sorrirem como nós humanos. Isto acontece porque quando os cães estão relaxados, abrem a sua boca e os seus lábios ficam puxados para trás, fazendo sobressair a sua língua pendente por de cima dos dentes.

Em caso de ansiedade, stress, medo ou desconforto podem manifestar sinais como lamberem os lábios, como se estivessem com apetite ou a saborear algo, bocejar repetidamente, e ficar com rugas ao redor da comissura labial, devido à tensão. Estes também podem ser indícios que, se o cão não se sente confortável, pode haver perigo iminente.

Também, relativamente à boca, e facilmente interpretado por qualquer pessoa, ainda que sem qualquer tipo de conhecimento acerca de comportamento animal, é o “mostrar os dentes” e o rosnar, que é interpretado como agressividade.

3. Orelhas

Linguagem corporal cão

As orelhas podem também auxiliar na leitura da linguagem corporal do seu cão, no entanto, dependendo da raça, as orelhas podem ser diferentes, mais certas ou caídas, mais compridas ou curtas, e isso pode influenciar na leitura que fazemos do animal.

No entanto, regra geral, independentemente do formato das orelhas:

  • Orelhas levantadas para a frente: o cão está a prestar atenção a alguma coisa em específico e revela curiosidade;
  • Orelhas levantadas e imóveis: o cão esta atento, porém está a assumir uma atitude dominante perante a situação;
  • Orelhas apontadas para a frente caídas: está pronto para atacar;
  • Orelhas para trás: o cão está com medo e pode tornar-se agressivo;
  • Orelhas relaxas e descontraídas, significam literalmente que o cão está relaxado e tranquilo.

4. Cauda

linguagem corporal cão

A cauda, também é um dos locais do corpo do cão que, naturalmente, as pessoas mais observam e, erroneamente, consideram que se estiver a abanar os cães são amistosos. No entanto, abanar a cauda, nem sempre significa que o cão está feliz, pelo contrário pode indicar que o cão está nervoso e pode atacar.

A cauda a abanar significa que o cão está excitado, e a excitação pode ser negativa ou positiva. Como podemos distinguir que o cão está a abanar a cauda por agressividade ou felicidade? Deve ter em consideração outros fatores como posição da cauda, velocidade a que abana a cauda e em que direção.

Para avaliar se o cão está feliz ou tenso e agressivo, a cauda também nunca pode ser o único fator a considerar, pelo que deve estar atento a outros sinais da linguagem corporal do cão.
Por norma, quando o cão inclina a cauda para a direita significa que está perante um estímulo positivo, ou seja, representa felicidade. Enquanto, a cauda para a esquerda significa que está perante um estímulo negativo.

Quando o cão se sente com medo costuma apresentar a cauda apontada para o chão, quase como que “metida no meio das suas patas traseiras”. Por outro lado, a cauda ereta, pode significar agressividade.

Como entender a linguagem corporal do seu cão e impedir uma agressão?


Muitas vezes, os cães atacam uma pessoa ou um animal, pois os seus sinais não são bem interpretados. Antes de atacar, todos os cães transmitem sinais de medo, desconforto e agressividade, e grande parte das vezes evitam o confronto, a não ser que se sintam encurralados.

Por vezes, a falta de interpretação do tutor pode levar a acidentes, daí a importância de como entender a linguagem corporal do seu cão. Portanto, informe-se com o seu veterinário sobre o assunto. Se ainda não conhece, saiba que os parceiros que compõem a rede da Vetecare estão disponíveis em todo o país e não terão mãos a medir para colocar o bem-estar e conforto do animal em primeiro lugar. Saiba mais.

Também gostará de saber que antes de uma mordida o seu cão pode dar sinais iniciais como:

  • Virar a cara;
  • Bocejar;
  • Lamber os lábios;
  • Lamber os seus genitais;
  • Eriçar o pelo e a cauda;
  • Pupilas dilatadas;
  • Arfar.

Todos estes são sinais que demonstram que o animal está desconfortável e a evitar um conflito. Caso o seu cão manifeste algum destes sinais deve tentar retirar o estímulo ao qual está exposto e não o forçar, pois pode resultar num ataque.

Veja também:

Fontes

American Veterinarian. “Canine Body Language Basics”. Disponível em: https://www.americanveterinarian.com/journals/amvet/2018/february2018/canine-body-language-basics

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.