O que é a verdadeira intimidade? Muito mais que um orgasmo.

O que será a verdadeira intimidade? Corresponderá às suas expectativas? Deverá seguir os rótulos da sociedade e da influência digital? Veja no nosso artigo.

O que é a verdadeira intimidade? Muito mais que um orgasmo.
Inspire-se e pense como quererá ver a sua intimidade.

Nos dias de hoje, a verdadeira intimidade está muitas vezes ligada à atividade sexual, que habitualmente está ligada a um objectivo de orgasmo. Depois quando não conseguimos ter um orgasmo (como é o caso de muitas mulheres) ou quando temos um orgasmo muito rápido (como é o caso de muitos homens que ejaculam rapidamente) ficamos frustrados, embaraçados, envergonhados, e vazios.

Há um desejo profundo em todos os seres humanos de verdadeira intimidade com o outro. Este desejo não tem nada a ver com a atividade sexual ou qualquer tipo de intimidade que é retratado nos filmes ou na televisão. Este anseio é um anseio de totalidade, um desejo de dar e receber amor. Mas muitas vezes as nossas ideias sobre o que é a intimidade, o que significa dar e receber amor, criam não só estilos de vida pouco saudáveis, mas expectativas impossíveis que se baseiam em ideias ridículas e limitantes.

Então, pense nos seus filmes românticos preferidos, o homem e a mulher são de uma forma geral incrivelmente atraentes, sem rugas ou verrugas. Eles fazem amor perfeitamente com todos os ruídos certos, o clímax perfeito, sem confusão e os seus cabelos e maquiagens estão imaculados. Brincam na praia ou no parque, rindo com sorrisos perfeitos e dentes perfeitos! Agora pense sobre a sua vida com o seu parceiro ou até mesmo nas suas crenças do que você quer num relacionamento. Pense na sua experiência de fazer amor. Parece-se com os filmes? Corresponde de alguma forma? Claro que não! E graças a Deus, pois o que eu vejo nos filmes é realmente uma tentativa chata e mecânica de criar uma ilusão de intimidade quando não há vulnerabilidade, sem surpresas e sem autenticidade!

Agora pense num filme pornográfico (se nunca viu um, pode imaginar). Filmes pornográficos são sexo com agressão e domínio. Não acontece muita intimidade nesses filmes também. E, claro, a intimidade não é o objetivo desses filmes, o propósito é a excitação e fantasia que, novamente, nada tem a ver com o amor ou a intimidade. E, no entanto, muitas pessoas pensam que o seu fazer amor deve ter certos elementos de agressão e domínio que aparecem num filme pornográfico. Isso faz sentido? É essa a expressão de intimidade que está à procura? Provavelmente não.

É fácil ver como os filmes, a cultura, a publicidade moldam as nossas ideias e podemos dizer que essas ideias não nos fazem felizes e nem fazem sentido, mas se for honesta consigo própria, verá que, mesmo se essas ideias não a fizerem feliz e não fizerem sentido, nós ainda nos relacionamos com elas (de forma muito elevada) enquanto o ideal do que estamos à procura num relacionamento íntimo ou a verdadeira felicidade. Não é verdade? Seja honesta.

Há muita pressão na cultura existente para representar ou tentar cumprir padrões que não são os nossos anseios mais profundos. Nós todos sabemos como é ter a pressão dos nossos pares quando somos adolescentes para olhar e agir de uma certa maneira e se não, então somos rotulados como estranhos e não fazemos parte do grupo ‘in’. Podemos revoltar-nos e criar o nosso próprio grupo de pessoas que também são consideradas estranhas, mas esta criação do nosso próprio grupo ‘in’ também não nos satisfaz profundamente. Sentimo-nos um pouco melhor, porque não estamos sozinhos, mas fundamentalmente o anseio por verdadeira intimidade ainda está lá.

intimidade

À medida que nos tornamos jovens adultos, continuamos a criar imagens dentro das nossas próprias mentes de como devemos ser, o que devemos ser, como devemos estar e continuamos a gastar muito tempo a tentar cumprir essas imagens. O problema é que nunca as cumprimos. Não importa quão boa é a nossa imagem, não importa quanto dinheiro fazemos, não importa quanto sexo temos, o anseio por intimidade ainda está lá. Pode ser momentaneamente esquecido quando conseguimos um novo parceiro, quando temos o que pensamos ser o sexo dos filmes, quando temos um novo carro, etc, mas essas distrações não duram muito tempo e o anseio por verdadeira intimidade vem à tona mais uma vez.

Agora tire um minuto, pare e entre em contacto com este desejo de amor e intimidade dentro de si mesma. Pode achar que é doloroso porque é um desejo profundo que ainda não foi cumprido. Pode estar tão afastada de uma dimensão mais profunda de si mesma que talvez seja necessário fazer um grande esforço para aceder a essa parte de si. Se este for o caso, então pergunte-se a si mesma: “Qual é o anseio mais profundo do meu coração?” Esta única pergunta pode ajudar a aceder a uma dimensão mais profunda de si que é a fonte do desejo de intimidade de que falo.

Este anseio vem da parte mais profunda de cada ser humano. Todos os seres humanos querem dar e receber amor. Todos nós queremos estar profundamente relaxados e felizes. O anseio que existe em todos nós por verdadeira intimidade surge da mesma fonte e essa fonte de amor verdadeiro e de intimidade está sempre acessível se quiser conhecê-la. Algumas pessoas estão mais em contacto com este anseio do que outras, mas mesmo que não tenha consciência deste anseio em si mesma, ele continua lá à espera que acorde e que vá mais longe do que todas as ideias culturalmente criadas e limitações que colocamos uns aos outros e a nós mesmas. Apenas o fato de saber que não consegue alcançá-la, mostra que sabe do que estou a falar! Sabe que há algo além da sua experiência existente que é a chamada de intimidade que está a surgir em si.

orgasmo

A verdadeira intimidade só pode ocorrer quando vemos através das ilusões das ideias que temos sobre quase tudo – sobre nós mesmos, uns e outros, o que deve ser a sessão de amor perfeita, quantos orgasmos eu devo ter, como deve ser a relação perfeita com os amantes, as crianças e a família, como eu sou bela, quantos músculos eu tenho, etc. A verdadeira intimidade só pode surgir quando estamos dispostos a deixar ir e estamos dispostos a não saber e isso pode acontecer agora ou a qualquer momento.
E se não soubermos como devemos ser, como toda a gente deve ser, como se deve parecer ou falar, ou como deve fazer amor? Basta pensar em todas as ideias que tem e imaginar não ter todas essas ideias! Apenas imagine não ter nenhuma ideia sobre qualquer coisa. Com o que é que ficaria? A resposta é: possibilidades ilimitadas e uma conexão completa.

Então, talvez deva deixar um pouco de espaço para que a verdadeira intimidade não seja sobre tentar ser algo ou alguém em particular, talvez não seja mesmo nos conectarmos com alguém, talvez seja muito maior e mais livre do que isso. Talvez a verdadeira intimidade é a vontade de estar disponível para a Fonte da Vida que nos está a chamar para descobrirmos o que é verdadeira intimidade! Talvez a verdadeira intimidade seja a vontade de descobrir quem somos para além de todas as ideias que temos sobre nós e os outros. Talvez a intimidade não é uma coisa que se pode conseguir, mas algo que só se pode experimentar quando estamos dispostas a arriscar todas as nossas ideias, pensamentos e crenças limitadas. Quando nos permitimos contemplar o que é a verdadeira intimidade, mesmo que seja apenas por um momento, entramos em contato com algo muito mais profundo em nós mesmas. Nessa profundidade, apercebemo-nos que a intimidade que temos procurado fora de nós mesmas é uma distração que nos leva para longe da verdade da união completa que está dentro de nós aqui e agora e essa é sempre a realidade.

Se algo do que eu disse tocou o seu coração ou trouxe um sorriso à sua cara, então tocou nesta fonte de amor de que tenho estado a falar.

Se sentir um chamamento para ir mais longe na sua consciência, então é importante seguir esse impulso e ver onde ele a leva. Pode dar por si numa livraria a ler um livro em que nunca pensou poder estar interessada, pode conhecer alguém novo com quem se conecte e começar a ter conversas diferentes do que já alguma vez teve, talvez se interesse por um retiro de meditação, ou apenas tenha um impulso para ligar a alguém em quem tem pensado. Não importa o que é, é apenas importante que honre o impulso e aja.

Entrar em contato com o chamamento para a Verdadeira Intimidade é algo que qualquer pessoa pode experimentar a qualquer momento, em qualquer das formas que eu apresentei, mas deixar-se estar num verdadeiro relacionamento íntimo com a Vida tal como ela surge, obrigará a um esforço consistente e a um desejo empenhado em ser vulnerável e a não saber. Porquê? Porque não estamos habituadas a sermos vulneráveis, a não sabermos, a deixar de lado as ideias inconscientes e conscientes e a viver o tipo de intimidade de que estou a falar. É novo e tudo o que é novo precisa de ser alimentado, assim como uma semente recém-plantada precisa de água, o seu desejo recentemente desperto de descobrir o que a verdadeira intimidade é também precisa ser nutrido e cuidado.

Se deseja um mundo mais amoroso e atencioso, então a criação desse mundo começa consigo! Saia da sua zona de conforto, esforce-se e faça algo de diferente!

Veja também:

Cynthia Bampton Cynthia Bampton

Cynthia Bampton é a fundadora e co-creadora activa do Awakened Life Project (Projecto Vida Desperta).  Tem mais de 25 anos de experiência em vida comunitária e passou os últimos 10 anos a criar e desenvolver o Projeto Vida Desperta. É professora de espiritualidade evolutiva em retiros e cursos on-line, mentora espiritual para muitos, facilitadora de grupos de mulheres e facilitadora de intensivos transformacionais de 6 semanas no Projeto Vida Desperta. Hoje lidera cerca de 60 mulheres e homens que assumem o compromisso de mudar e de enfrentar as suas máscaras, num contexto de liberdade radical, sempre disponível. Apaixonada pela Vida e pelo processo que a desvenda, descobre a cada momento mais um pouco de si, enquanto cria, juntamente com os seus alunos, uma nova cultura para além dos hábitos e condicionamentos humanos.