Publicidade:

6 estratégias para incentivar as crianças a cozinhar

Cozinhar em família fortalece laços e pode ser uma aventura. Conheças várias estratégias para incentivar as crianças a cozinhar e prepará-las para o futuro.

 
6 estratégias para incentivar as crianças a cozinhar
Saiba como incutir o gosto pela cozinha nos mais novos.

Incentivar as crianças a cozinhar é algo que todos os pais devem fazer, ainda que sem forçar, dado que poderá estar, desta forma, a mudar toda a vida dos seus filhos.

Se alguém tem desde cedo contacto com o mundo da cozinha, então, estará mais sensibilizado para seguir uma alimentação saudável. E tal acontece dado que a criança aprenderá a confecionar refeições completas e optará menos vezes por comida já pronta.

Além da parte do conhecimento partilhado, ao incentivar as crianças a cozinhar conseguirá uma maior proximidade com os seus filhos e terá a garantia de momentos bem divertidos e bem passados.

6 maneiras de levar as crianças para a cozinha


Incentivar as criancas a cozinhar pai e filho a cozinhar

A realidade de ter filhos envolvidos na preparação de refeições pode ser tão divertida quanto preocupante. As crianças gostam de tocar, experimentar e fazer como se já soubessem tudo, o que pode acelerar o sistema nervoso de qualquer pai. Mas não deixe que isso o impeça de incentivar as crianças a cozinhar, até porque é um conhecimento útil para toda a vida.

Atente a algumas estratégias importantes.

1. Faça um acordo

As crianças aproveitam melhor as novas oportunidades de aprendizagem quando têm interesse no resultado ou quando há alguma compensação. Uma boa forma de o fazer é pedir à criança para ajudar a preparar algo que ela goste, seja o seu prato preferido, sejam bolachas ou um bolo.

2. Partilhe segredos

Ensinar as crianças a cozinhar representa também uma excelente oportunidade para partilhar informações interessantes e curiosas sobre vários assuntos. História da família, nutrição, cuidados alimentares, cuidados de higiene são apenas alguns dos temas a ter em conta para este momento de partilha que vai ser altamente apreciado pelas crianças.

3. Peça sugestões

Uma boa forma de levar as crianças a interessarem-se pelo que se passa na cozinha é pedir-lhes sugestões sobre o planeamento semanal de refeições: o que irão preparar e o que precisam de comprar. E, claro, depois eles irão sentir-se ainda mais entusiasmados por participar no processo.

4. Dê-lhes tarefas

Não basta ter a criança do seu lado enquanto cozinha, mesmo que sejam observadores atentos, pois eventualmente o aborrecimento poderá surgir. Como tal, poderá atribuir-lhes funções, algo que permite incutir a sensação de responsabilidade.

5. Permita que as crianças mexam em tudo

Esta dica depende sempre da idade da criança e também da sua personalidade. Todavia, não deixa de ser uma excelente forma de despertar interesse e autoconfiança. Permita que as crianças usem ferramentas de cozinha adequadas, o que inclui, mexer em facas e instrumentos. Mantenha-se por perto e vigilante.

6. Prepare um desafio

Nesta estratégia, a sua imaginação é o limite. Pode convidar alguns amigos do seu filho, desde que a criança participe na preparação do lanche. Se tiver mais que um filho, faça um concurso para apurar quem prepara as bolachas mais saborosas.

4 bons motivos para ensinar as crianças a cozinhar


Incentivar as criancas a cozinhar mae e filha a cozinhar

Não é fácil para os pais ter as crianças na cozinha por ser uma divisão que contém tantos perigos, mas também pela confusão que irá provocar. Mas isso deve ser ultrapassado pelas vantagens que encontra em incentivar as crianças a cozinhar.

1. Crianças que cozinham comem melhor

Nada bate a sensação de satisfação e plenitude e isso pode jogar a seu favor, principalmente quando tem dificuldade na hora das refeições.

Por vezes, as crianças fazem birra, dizem que dói a barriga, pedem outra coisa para comer… Inventam mil e uma desculpas quando não querem comer. Mas se tiverem feito parte do processo de cozinhar determinada refeição, mais facilmente irão querer provar e desfrutar.

2. Pode incutir uma alimentação mais saudável

Ter as crianças do seu lado enquanto cozinha permite mostrar-lhes a grande variedade de alimentos que existem e as diferentes formas de preparação. Tal atitude permite que a criança tenha menos tabus em relação a determinados alimentos e se habitue, desde cedo, a comer de forma mais equilibrada.

3. Ajuda preciosa

Quando as crianças se habituam a estar na cozinha, passam a ser uma ajuda importante para os pais. Depois dos trabalhos de casa e do banho, a maioria das crianças vai ver televisão ou usar o tablet, numa tentativa de ficarem sossegados enquanto os pais tratam das tarefas domésticas. Por isso, de vez em quando, é importante fazer com que as crianças se desliguem de toda a tecnologia e estejam mais em contacto com a vida real e com as tarefas do dia-a-dia.

4. Ensinar coisas novas

As crianças são um livro em branco, e palavras como temperar, selar e saltear poderão ser insignificantes até que sejam adequadamente definidas e aplicadas. Tire o máximo de proveito destes cérebros jovens sedentos de conhecimento, para criar uma criança mais informada sobre uma área da vida que será sempre útil.

Para facilitar a tarefa de levar as crianças para a cozinha, e numa fase inicial, escolha momentos tranquilos, em que possa ensinar e fazer tudo com calma, para evitar momentos de stress e ansiedade desnecessários. E prepare-se para a desarrumação: são as consequências positivas de uma família que se ajuda e diverte.

Veja também:

Mónica Carvalho Mónica Carvalho

Mónica Carvalho é licenciada em Jornalismo e Ciências da Comunicação, com Pós-Graduação em Comunicação, Assessoria e Marketing. Vê na produção de conteúdos uma forma de tornar o mundo um lugar mais interessante, curioso e acessível. Os livros, filmes, séries, música, desporto e, acima de tudo, as histórias das pessoas inspiram-na a querer sempre fazer mais e melhor.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].