Hipocondria: como tratar uma doença que não existe?

Pessoas com hipocondria gastam grande parte da sua energia em busca de uma ou várias doenças imaginárias. Tudo o resto na vida passa a ser secundário e, por isso mesmo, as relações pessoais e profissionais podem ser afetadas. O tratamento é difícil e exigente, devido à crença de que existe uma doença, mas é possível. Veja.

Hipocondria: como tratar uma doença que não existe?
Estima-se que a hipocondria afete cerca de 1 a 5% da população.

Pessoas com hipocondria são conhecidas por interpretar de forma errada as sensações corporais mais comuns, bem como por rejeitar as opiniões médicas quando estas não vão de encontro às suspeitas que apresentam. Também conhecida por perturbação de ansiedade de doença, a hipocondria é como que uma espécie de fobia às doenças.

É um quadro clínico que desperta alguma discussão entre os especialistas, pois alguns consideram que a hipocondria é por si só um quadro clínico autónomo, enquanto outros consideram que é causada por outros quadros clínicos, como a depressão e a esquizofrenia.

Hipocondria: o que é?


Hipocondria e toma de medicacao para uma possivel dor

A hipocondria é a preocupação de ter ou vir a ter uma doença grave. A pessoa hipocondríaca apresenta um nível elevado de ansiedade relacionado com a saúde e fica facilmente alarmada acerca da sua condição de saúde.

Tende a apresentar comportamentos excessivos relacionados com a saúde (por exemplo, verificar repetidamente o próprio corpo à procura de sinais de doença) ou evitamento desadaptativo (por exemplo, evitar consultas médicas ou hospitais). Embora a existência de uma doença real possa dar origem a uma fobia às doenças, de um modo geral, na base da hipocondria não se encontra nenhuma doença física bem definida.

Habitualmente estão ausentes sintomas somáticos ou, se presentes, são apenas de intensidade ligeira. Se outra condição médica está presente, ou se existe um risco elevado de desenvolver uma condição médica (por exemplo, presença de antecedentes familiares relevantes), a preocupação é claramente excessiva ou desproporcional.

As preocupações da pessoa com hipocondria em relação à gravidade da doença são baseadas, muitas vezes, numa interpretação incorreta das funções normais do nosso organismo. Pessoas com este transtorno utilizam esses sintomas para fundamentar a sua preocupação. A pessoa com hipocondria não finge, nem mente. Acredita plenamente na presença da doença.

Algumas pessoas com hipocondria tendem a evitar os cuidados de saúde (raramente vão ao médico), enquanto outras procuram insistentemente os cuidados de saúde (consultas e exames são usados com frequência). O facto de serem examinadas e tranquilizadas pelo médico não alivia de forma nenhuma as suas preocupações, acreditando que o médico não foi capaz de identificar a doença.

Causas da hipocondria


mulher a achar que esta doente

Esta perturbação atinge de forma igual os homens e as mulheres e as suas causas não são ainda totalmente conhecidas.

Acredita-se que a hipocondria possa ser causada por determinadas experiências de vida e questões hereditárias. Alguns fatores de risco que podem aumentar a probabilidade de desenvolver este problema são:

  • História de doença grave na infância;
  • Ter familiares com hipocondria;
  • Morte de um ente querido;
  • Conviver com pessoas portadores de doenças graves;
  • Ter uma perturbação de ansiedade;
  • Ter a convicção que saúde é sinónimo de zero sintomas.

 

Tratamento da hipocondria


sessao de psicoterapia

O diagnóstico e o tratamento da hipocondria podem ser muito difíceis porque o paciente está convencido de que os seus sintomas correspondem a uma doença real.

Especialistas de clínica geral, psiquiatria e psicologia são fundamentais quer na fase de diagnóstico, quer na fase de tratamento, e é essencial que seja construída uma relação de confiança, suporte e contacto regular com o doente.

A abordagem terapêutica habitualmente inclui psicoterapia e terapia farmacológica, com recurso a medicamentos antidepressivos ou ansiolíticos. Na psicoterapia o doente vai ter ajuda para reconhecer a origem da sua ansiedade e descobrir formas de a eliminar.

Em suma…


É uma perturbação na qual uma pessoa refere sintomas físicos e está especialmente preocupada porque acredita que correspondem a uma doença grave. Interfere de forma significativa na qualidade de vida dos doentes e afeta a sua vida familiar, social e profissional, gerando significativas perdas de tempo e dinheiro em exames e consultas.

Pessoas com hipocondria estão expostas a riscos desnecessários, nomeadamente devido à realização de exames invasivos na busca de um diagnóstico.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

Cofidis