Cuidados que deve ter com a higiene íntima depois do parto: saiba tudo

É muito importante ter alguns cuidados com a higiene intima depois do parto, de forma a diminuir o desconforto e dores na região genital e algumas infeções.

Cuidados que deve ter com a higiene íntima depois do parto: saiba tudo
Não descure a sua higiene!

O pós-parto é uma altura carregada de mudanças psicológicas e hormonais, e uma fase de habituação ao novo ser humano, o bebé, e para além de tudo isso, a puérpera não pode descurar de alguns cuidados com a higiene íntima depois do parto, de forma a contribuir para uma boa evolução cicatricial dos tecidos vaginais.

Uma higiene íntima cuidada no pós-parto, ajuda a diminuir a dor e o desconforto na região genital, diminuindo simultaneamente, o risco de contrair infeções vaginais e urinárias.

Cuidados com a higiene íntima depois do parto


Os cuidados de higiene e limpeza da região genital e anal são particularmente importantes no pós-parto, principalmente nas mulheres que tiveram um parto normal (vaginal), devido a estarem mais susceptíveis de contrair infeções.

Em seguida, são descritos os cuidados de higiene íntima no pós-parto que deve ter sempre em conta:

1. Episiotomia

higiene intima depois do parto e cuidados a ter com a episiotomia

Em Portugal, é muito frequente o médico ou a enfermeira parteira que assistem ao parto, terem a necessidade de fazer na mulher um “pequeno corte” no períneo, de forma a evitar uma laceração mal feita que pode até criar um fístula anal.

Este procedimento diz respeito à incisão na região muscular que se localiza entre a vagina e o ânus, de forma a facilitar a expulsão do bebé durante o parto.

A episiotomia é ponderada nos seguintes casos específicos:

  1. No caso de o bebé estar em sofrimento;
  2. Caso a mãe já esteja extremamente cansada por estar a fazer força há muito tempo;
  3. Se no momento da expulsão o profissional acreditar que a grávida vai sofrer uma laceração grave sem a episiotomia.

No pós-parto este pequeno corte pode causar alguma dor e desconforto, de intensidade variável de mãe para mãe, principalmente ao “levantar e ao sentar” das cadeiras, sofás, etc. Se não se tiver uma correta higiene com o local da episiotomia, pode surgir complicações e infeções na região genital.

Se tiver alguma dúvida ou preocupação relativa ao processo de cicatrização da episiotomia procure a ajuda dos profissionais de saúde do centro de saúde, hospital ou maternidade, ao primeiro sinal de alerta.

2. Como higienizar a região íntima?

toalhitas intimas

No pós-parto imediato, nas primeiras 24 horas depois do nascimento do bebé, as mamãs deverão, sempre que utilizem o WC (para urinar ou evacuar), lavar sempre a região genital, com água e secar muito bem com papel suave ou com uma toalha limpa.

Antes de fazer qualquer cuidado relacionado com a higiene íntima depois do parto, a mulher deverá lavar muito bem as mãos com água e sabão.

Vários estudos científicos indicam que basta a utilização de água e sabão para uma adequada higiene íntima depois do parto, sendo esses elementos suficientes para promoverem a cicatrização da região perineal. Não é aconselhada a utilização de produtos anti-sépticos por rotina em mulheres sem qualquer complicação puerperal.

Estes cuidados devem ser mantidos durante o primeiro mês após o parto, idealmente até ser observada na consulta de revisão pós parto.

3. Uso do penso higiénico

penso higienico

Nesta fase, devido aos lóquios (hemorragias vaginais pós-parto), o uso de pensos absorventes torna-se essencial, mas não se esqueça que estes idealmente devem ser hipoalergénicos e suaves, de forma a evitar alergias e maceração da mucosa peri-vaginal.

Outro cuidado importante na higiene íntima depois do parto é, sem dúvida, trocar os pensos a cada 4 horas ou sempre que necessário.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.