Publicidade:

Halitose em gatos: um sinal que não deve ignorar

A halitose em gatos, ou mau hálito, é um sinal de que o seu gato tem algum problema. Saiba mais sobre o significado deste estado e como reverter o mesmo.

Halitose em gatos: um sinal que não deve ignorar
O mau hálito pode ser um indicativo de uma doença sistémica no gato.

A halitose em gatos é o termo técnico para se referir ao mau hálito. Este mau odor da boca pode ser causado pelas bactérias presentes no interior da boca ou ser um sinal de uma doença sistémica mais grave.

Halitose em gatos: causas possíveis


halitose em gatos gato deitado

É importante estar atento ao cheiro da boca do seu gato, pois pode ser um bom indicador da sua saúde geral e não apenas da sua higiene oral.

1. Problemas orais

Geralmente, este é o problema que se associa mais frequentemente a halitose em gatos. Tártaro, gengivite, e outros problemas na boca podem ser responsáveis por causar um mau odor oral ao seu felino.

2. Infeções na boca ou no seu redor

Feridas que infecionaram ou infeções nos lábios, língua, mucosa ou dentes podem causar mau odor.

3. Doenças renais

Insuficiência renal ou infeções nos rins podem também causar mau hálito. Geralmente este tipo de problemas está associada a outros sintomas como vómitos, polidipsia (aumento de ingestão de água), poliúria (aumento da frequência urinária), desidratação.

4. Diabetes mellitus

Gatos com diabetes podem desenvolver um cheiro anormal, adocicado na boca. Com este problema endócrino surgem também sintomas como poliúria, polidipsia, emagrecimento, pêlo baço, polifagia (aumento de apetite).

5. Problemas respiratórios

Infeções nas cavidades nasais e orofaringe caraterizam-se, muitas vezes, por mau odor na boca do gato doente. Pode apresentar outros sintomas como espirros, perda de apetite e ruídos respiratórios.

6. Doenças gastrointestinais

Infeções, inflamações e tumores no esófago, estômago e intestino podem ser a causa de halitose em gatos. Podem aparecermnestas situações, sintomas como vómitos, diarreia, perda de apetite, entre outros.

7. Doenças imunossupressoras

Doenças imunossupressoras como o FIV (Vírus da Imunodeficiência Felina) ou o FeLV (Vírus da Leucemia Felina) podem causar infeções recorrentes na boca do gato, provocando mau hálito.

8. Alimentação inadequada

A alimentação do gato diz muito acerca do seu hálito. Por exemplo, alimentos húmidos podem piorar o hálito em relação a alimentos secos.

O gato pode também estar a alimentar-se de lixo ou fezes e por isso ter um hálito estranho.

Halitose em gatos: sinais a que deve estar atento


halitose em gatos gato a beber agua

A halitose em gatos pode ter variadas e diferentes causas. Caso detete um hálito anormal no seu felino, deve de imediato marcar uma consulta com o médico veterinário para que possa ser diagnosticado e tratado.

No entanto, há algumas coisas que deverá estar atento, para que possa ajudar o seu médico veterinário a direcionar a causa do problema, como por exemplo:

  • Falta de apetite;
  • Emagrecimento;
  • Apatia;
  • Dificuldade em mastigar;
  • Polidipsia (aumento da ingestão de água);
  • Poliúria (aumento da frequência urinária);
  • Pêlo baço e sem brilho;
  • Vómitos;
  • Diarreia.

Estes são alguns dos sintomas a que deve estar atento. Se o seu gato tem mau hálito, a ocorrência de um ou mais sintomas referidos pode ajudar a perceber a causa dessa situação.

Halitose em gatos: diagnóstico


halitose em gatos veterinaria a examinar

O mau hálito em si pode ser detetado por qualquer leigo. No entanto, se o seu gato tem halitose, deve ser avaliado por um médico veterinário. Este irá fazer vários exames para perceber qual a origem do mesmo.

Os exames que o seu médico veterinário pode requisitar são exames ao sangue, urina, radiografias, ecografia entre outros que ache adequados.

Halitose em gatos: tratamento possível


halitose em gatos gato a tomar comprimidos

O tratamento para a halitose vai variar consoante a causa. Uma vez tratada a causa primária, o hálito do gato voltará ao seu odor normal.

Caso seja um problema oral, o gato pode precisar de uma destartarização ou medicamentos como antibióticos e antiflamatórios se se tratar de uma infeção.

Se o problema for a alimentação, o seu médico veterinário irá sugerir uma mudança para uma dieta mais adequada.

Em casos mais severos de doenças sistémicas como diabetes, doenças renais, gastrointestinais ou infeções respiratórias, o tratamento a ser feito será sempre realizado de acordo com o problema primário.

Halitose em gatos: prevenção


halitose em gatos medica e gato

Esta situação poderá ser prevenida se o problema estiver na boca do animal, por exemplo, escovando os dentes do gato. Uma boa alimentação também pode prevenir o aparecimento de mau hálito.

Relativamente a outras causas subjacentes, é difícil prevenir o problema. O melhor será estar atento e consultar o seu médico veterinário com regularidade, no mínimo uma vez por ano. Desta forma o gato irá ser sujeito a um check up da sua saúde geral e o médico veterinário irá também avaliar a boca.

Assim, se houver algum problema irá ser percebido numa fase precoce sendo mais fácil o tratamento.

Conclusão…


A halitose em gatos é um sinal importante a ter em conta, pois pode ser um sinal de que o seu animal tem um alguma doença grave.

Quanto mais cedo se aperceber de mau hálito no seu gato, maior a probabilidade de conseguir iniciar um tratamento mais precoce e portanto ter melhores resultados.

É, assim, extremamente importante estar atento à boca do seu gato e caso note alguma alteração deve consultar o seu médico veterinário.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].