Publicidade:

Gratidão e qualidade de vida: qual a relação?

Será que a gratidão influencia de modo positivo a nossa qualidade de vida, as nossas relações e o nosso bem-estar? Estudos recentes dizem que sim!

 
Gratidão e qualidade de vida: qual a relação?
Ser grato é reconhecer a existência de coisas boas e agradáveis

Nos últimos anos têm sido realizados vários estudos acerca da gratidão e da sua influência ao nível do bem-estar e da qualidade de vida.

Neste artigo vamos conhecer de que forma é que a gratidão influencia positivamente a vida daqueles que a praticam.

Mas afinal, o que é a gratidão?


gratidao pela vida

A gratidão faz parte da nossa realidade enquanto seres humanos e pode ser encarada como uma resposta positiva a um benefício proporcionado por uma entidade exterior, no entanto, defini-la não é tarefa fácil e, por isso mesmo, tem sido definida de diversas formas ao longo dos tempos (uma emoção, uma atitude, uma virtude moral, um hábito ou até mesmo um traço de personalidade).

No nosso dia-a-dia caímos frequentemente no erro de ser demasiado exigentes, de nunca achar que nada é suficientemente glorioso ou importante. Tendemos a desvalorizar as pequenas conquistas e os pequenos momentos. A gratidão é exatamente o oposto e deve ser distinguida da sensação de dívida para com o outro.

Diferentes autores referem-se a ela como uma emoção agradável, associada a estados psicológicos positivos como contentamento, felicidade, orgulho e esperança. Está presente em todos aqueles que têm consciência do que de bom lhes acontece e não o tomam como garantido.

As investigações têm vindo a destacar algumas características de personalidade associadas às pessoas que mais se sentem gratas, nomeadamente:

  • Pessoas gratas são mais agradáveis e menos narcisistas;
  • Pessoas benevolentes tendem a experienciar gratidão (tendem a sentir empatia e a ter uma maior capacidade de se colocar no lugar do outro);
  • Pessoas gratas têm mais propensão a perdoar;
  • Pessoas que valorizam muito os bens materiais têm tendência a sentir menos gratidão. Pelo contrário, pessoas gratas são capazes de dar mais valor aos ganhos imateriais e, como não avaliam o seu êxito com base em bens materiais, não sentem tanta inveja dos outros;
  • Pessoas mais realistas tendem a sentir-se mais gratas face aos favores/ajudas recebidos;
  • Pessoas gratas mostram-se mais entusiásticas e determinadas, bem como tendem a ser mais generosas, cuidadosas e atenciosas para com os outros.

No fundo, é um estado prazeroso que se encontra ligado a emoções positivas como a felicidade e a esperança. Mas será que prediz maior bem-estar e maior qualidade de vida? Vamos descobrir!

Gratidão e qualidade de vida: qual a relação?


bem estar e felicidade pura

Vários estudos têm sido realizados no sentido de compreender quais os benefícios da gratidão e os dados encontrados têm sido bastante promissores, ou seja, ser grato parece de facto estar relacionado com maiores níveis de bem-estar e qualidade de vida. Eis algumas das conclusões a que esses estudos chegaram:

1 – Os sentimentos de gratidão parecem contribuir para o aumento da resiliência, da saúde física e da qualidade da vida diária (pessoas gratas sentem-se melhor emocionalmente, fisicamente e até em termos interpessoais).

2 – Pessoas gratas experienciam mais estados mentais positivos.

3 –  Pessoas que se sentem regularmente gratas tendem a sentir-se amadas e cuidadas.

4 – Quando as pessoas enumeram e refletem acerca das situação pelas quais se sentem gratas tendem a sentir maior bem-estar geral (aqueles que mantêm diários de gratidão apresentam menos sintomas de doenças, apreciam mais as suas vidas e apresentam maior otimismo face ao futuro).

5 – A gratidão promove o desenvolvimento social e ajuda a manter o bem-estar durante eventos stressantes.

6 – Pessoas gratas sentem-se mais inclinadas a procurar apoio emocional e a abordar os problemas em vez de os evitar.

7 – A gratidão pode servir de proteção face a situações adversas, aumentando a resiliência (quem sente gratidão consegue lidar melhor com stress e traumas).

8 – Ajuda a evitar sentimentos destrutivos, como a ganância, a inveja e o rancor.

9 – A depressão é inversamente proporcional à gratidão. Pessoas deprimidas apresentam níveis de gratidão inferiores quando comparadas com pessoas não deprimidas.

Como se pode tornar mais grato?


gratidao pelo outro

1 – Não dê nada como garantido.

2 – Tenha momentos de pausa durante o seu dia, nos quais reflete sobre tudo o que de bom lhe aconteceu.

3 – Lembre-se de estar grato por todos os dias, independentemente de acontecerem coisas menos positivas; lembre-se que o dia de hoje não se volta a repetir.

4 – Identifique as pessoas que enriquecem e tornam a sua vida melhor.

5 – Mostre-se grato pelas pequenas coisas que os outros fazem por si e vai ver a sua rede de relacionamentos aumentar.

6 – Aprecie as pequenas coisas da vida e seja grato por elas; imagine como a sua vida seria mais pobre sem as pequenas alegrias do dia-dia.

7 – Pense em tudo o que concretizou até hoje, desde as mais pequenas vitórias: identifique as pessoas, as situações e os eventos que o ajudaram a alcançar essas concretizações.

8 – Escreva, e posteriormente leia, uma carta de gratidão a alguém, ainda vivo, que tenha sido particularmente bondoso consigo ou que tenha sido a causa de uma mudança verdadeiramente positiva na sua vida, mas que até agora nunca recebeu o devido agradecimento.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].