Publicidade:

Os gatos sentem ciúmes? Ou será apenas stress?

Será que os gatos sentem ciúmes? Essa é uma questão com que muitos tutores e amantes de gatos se deparam e questionam. Saiba mais sobre este tema.

Os gatos sentem ciúmes? Ou será apenas stress?
Os gatos são muito sensíveis a alterações na sua rotina e ambiente

Muitos tutores dizem que os seus gatos sentem ciúmes e relatam inclusive situações que retratam comportamentos estranhos no seu felino. No entanto, esses comportamentos que tanto se associa ao “ciúme” podem ter outra explicação, como apenas stress e ansiedade.

O ciúme é uma emoção que é atribuída apenas ao seres humanos uma vez que não se trata de uma emoção simples, mas sim de um conjunto de emoções, entre as quais inveja, ódio, pena, vingança, tristeza, culpa, inferioridade, medo e ansiedade.

Gatos sentem ciúmes: domesticação do gato


gatos sentem ciumes gato a apanhar rato

De forma a compreender a ligação do gato com as pessoas, é necessário recuar um pouco atrás no tempo e compreender como ocorreu a domesticação dos felinos.

Os antepassados dos gatos, atuais gatos domésticos, começaram a aproximar-se das comunidades agrícolas há cerca de 8000 anos atrás, começando a caçar ratos. Uma vez que os ratos eram prejudiciais para a população, os gatos começaram a criar uma relação mutuamente benéfica com os humanos.

Pensa-se também que os gatos tenham sido transportados de barco para a Europa, uma vez que nos barcos existiam muitos ratos e os gatos eram úteis no seu combate.

Nessa altura as pessoas começaram então a permitir que os gatos vivessem nas suas terras, mas ainda sem grande interação. Pelo que se costuma dizer que “os gatos se domesticaram a si próprios”.

No Egipto, os gatos começaram a ter um papel importante em 1950 A.C., onde nesse local, em vez de ratos caçavam escorpiões e cobras, que eram consideradas pragas para o egípcios, e dessa forma, o gato começou a ser valorizado como um Deus nessa cultura.

Algumas pinturas antigas no Egipto retratam gatos pintados no interior da casa, e gatos mumificados com os seus donos, o que leva a crer que fossem tratados como companheiros e não apenas uma relação mutuamente benéfica.

Estudos recentes, demonstram que desde os tempos mais remotos, os gatos selvagens e os gatos domésticos atuais partilham muitas das suas características genéticas, havendo poucas alterações no seu DNA, como por exemplo, ao contrário do lobo e do cão, em que houve uma grande evolução e alteração a nível genético.

Desta forma, os gatos domésticos ainda mantêm muitas características ancestrais, tanto físicas como comportamentais.

Gatos sentem ciúmes: comportamento social


gatos sentem ciumes gatos juntos

No seu passado os gatos era animais solitários e, apesar de muitas das suas caraterísticas não se terem alterado, tanto a nível físico como comportamental, os gatos conseguiram adaptar-se.

Os gatos, atuais, mesmo vivendo em estado selvagem, são animais sociais que vivem em comunidade, no entanto continuam a ser são caçadores solitários. Caçam sozinhos as suas presas, e preservaram essa sua característica ancestral.

Uma característica importante é que, apesar de viverem em comunidade, não existem posições hierárquicas, ou seja, os gatos vivem como iguais.

Gatos que no período de socialização são criados com humanos, vão considerar o humano como um igual, um companheiro, ao contrário dos cães, que encaram a sua família como uma matilha. O mesmo vai acontecer com os outros animais que convivam com o gato, independentemente da sua espécie.

Desta forma, vão demonstrar sentimentos pelos seus companheiros sociais, sejam eles cães, outros gatos ou pessoas. E podem existir situações em que se sintam sozinhos e sem atenção. No entanto, não significa propriamente que os gatos sentem ciúmes.

Mas será que os gatos sentem ciúmes?


Muitas vezes, os tutores de gatos interpretam mal os seus sinais, confundindo ansiedade e stress com ciúmes, em diversas situações.

Os gatos são animais que gostam das suas rotinas e dos seus hábitos, e quando surge alguma situação ou pessoa que cause uma alteração, podem reagir no sentido de demonstrar comportamentos agressivos e outras alterações comportamentais como micção inapropriada, devido à ansiedade.

Situações de stress confundidas com ciúmes

gatos sentem ciumes cao e gato

Cada vez que surge uma nova situação o gato pode sofrer alterações comportamentais que são interpretadas pelos tutores como ciúmes. Por exemplo, na chegada de um novo animal de companhia sendo ele um cão ou um gato.

Nesta situação, o que vai estar em causa é o território do gato, uma vez que os gatos por natureza definem o seu território e ao ser posto em causa pode ter comportamentos agressivos relativamente ao outro gato. Isto também lhe vai causar stress, medo e ansiedade que pode levar a outros sinais overgromming e micção inapropriada, ou seja, urinar fora da caixa.

Também no caso da chegada de um novo membro da família, como um bebé, se o gato não for habituado gradualmente a esta chegada, pode sofrer com stress e ansiedade e demonstrar comportamentos de stress e agressividade.

Pode também acontecer o gato desenvolver o que se chama agressão redirecionada, ou seja, o gato torna-se agressivo relativamente a um alvo que não é a fonte original da ameaça. Como por exemplo quando chega um novo animal e ele começa a atacar os tutores.

Sinais de stress em gatos

gatos sentem ciumes gato a lamber excessivamente

Os sinais mais comuns de stress em gatos são os seguintes:

  • Aumento de repouso ou “sono fingido”, ou seja, o gato está sempre aparentemente a descansar e tranquilo mas fá-lo por estar nervoso;
  • Inibição da alimentação;
  • Agressividade contra pessoas ou outros animais;
  • Urina de pulverização dentro de casa;
  • Micção ou defecação inadequada;
  • Overgrooming, lamber-se excessivamente;
  • Comportamentos repetitivos fora do contexto;
  • Arranhões nas superfícies e aumento da fricção facial;
  • Extrema vigilância.

Todos estes comportamentos surgem devido ao stress no gato. Os gatos não sentem ciúmes mas são, sim, muito sensíveis às alterações no seu ambiente, por isso deve estar atento a estes sinais e prevenir que o gato entre em estado de ansiedade.

Se o seu gato demonstrar estes sinais deve consultar um médico veterinário especialista em comportamento animal. De forma preventiva, pode também aconselhar-se com o seu médico veterinário acerca de medidas a ter em consideração para evitar o stress no seu gato em casa de alterações significativas.

Veja também:

Fontes

1. Cats Domesticated Themselves, Ancient DNA Shows – National Geographic. Disponível em:
https://www.nationalgeographic.com/news/2017/06/domesticated-cats-dna-genetics-pets-science/
2. Stressed cats – International Cat Care. Disponível em:
https://icatcare.org/advice/problem-behaviour/stressed-cats

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].