Publicidade:

Como lidar com um gato agressivo: tudo o que deve e não deve fazer

Se tem um gato agressivo saiba que a agressividade pode ter variadas causas. Saiba como lidar com a agressividade do seu gato da melhor forma possível.

Como lidar com um gato agressivo: tudo o que deve e não deve fazer
Saiba o que fazer se o gato demonstrar agressividade.

Um gato agressivo pode ser um sinal de que algo não está bem. Especialmente se o seu gato não costumava apresentar este comportamento.

Gato agressivo vs Comportamento normal


gato agressivo e stressado

Antes de considerarmos um gato agressivo é preciso esclarecer se o comportamento que o gato está a ter é realmente de agressividade ou um comportamento normal de defesa, brincadeira ou apenas por não gostar de estar preso.

Se o seu gato não gosta de muito contacto com as pessoas ou outros animais, e tem tendência para fazer as suas coisas sozinho, não quer dizer que seja um problema. Não ser um gato sociável não é sinónimo de gato agressivo.

Gatos e o seu espaço

Se, por exemplo, quando o seu gato vai para o seu colo, lhe começa a fazer festas e ele morde-o e arranha-o, é normal que o faça e não é por isso que é considerado um gato agressivo.

Os gatos adoram ir para o colo das pessoas por ser confortável e quente, mas isso não significa que queiram que o seu espaço seja invadido.

Se o seu gato for para o seu colo, o melhor que tem a fazer se quer que ele fique lá, é respeitar o seu espaço e o seu momento de descanso.

Nunca deve forçar o seu gato a festas ou carícias ou pega-lo ao colo quando não quer. Os gatos têm um feitio peculiar e gostam de ser eles próprios a estabelecer os seus limites de espaço.

Gatos e brincadeiras

Especialmente com gatos que foram adotados ainda muito pequenos, e tiveram pouco contacto com a mãe e os irmãos, é preciso ter cuidado com as brincadeiras que fazemos. A primeira regra é nunca brincar com as mãos em nenhuma circunstância.

Se brincar com as mãos, o seu gato irá associar de cada vez que vir uma mão a abanar, que se trata de una brincadeira, independentemente da situação ou de quem quer que seja a mão. As brincadeiras com a mão normalmente são do tipo abanar a mão enquanto o gato a mordisca.

Numa fase inicial o gato irá mordiscar com pouca força. Quando é pequeno até não causa muito danos. No entanto, o gato irá crescer e vai continuar a ter o mesmo comportamento, podendo magoar seriamente as pessoas.

Quando o gato brinca consigo com brinquedos pode também ficar demasiado entusiasmado e começar a mordisca-lo. Deve portanto parar de imediato a brincadeira.

Todas estas situações não fazem do gato um gato agressivo, mas, trata-se sim de uma reação normal à manipulação ou brincadeira.

Gato agressivo: causas possíveis


gato agressivo na veterinaria

Sempre que um gato tem uma alteração de comportamento, tal como nas pessoas, há uma explicação para tal. Pode é ser uma explicação difícil de encontrar, e muitas vezes é necessário a ajuda de um médico veterinário especialista em comportamento animal para compreender o porquê desta agressividade.

No entanto, também existem causas físicas que podem causar transtornos comportamentais. Desta forma, é essencial que quando existe uma alteração comportamental consulte o seu médico veterinário.

Dor

Uma das causas mais comuns para o seu gato se tornar num gato agressivo é a dor. Se o seu gato de um momento para o outro começou a ter comportamentos agressivos e a atacar as pessoas ou outros animais, pode estar com dor em alguma parte do corpo.

Os gatos conseguem disfarçar a sua dor muito bem, tendo tendência para ao contrário do que pensamos, se isolar ao invés de procurar ajuda.

Desde uma simples otite (inflamação do ouvido), um problema na boca, artrite (inflamação das articulações) nos membros causando dor ao andar. Qualquer problema que inflija dor ao seu felino, pode ser uma causa de transtornos comportamentais.

Doenças metabólicas

Existem certas doenças que podem tornar o seu felino num gato agressivo. Nomeadamente o hipertiroidismo felino. Esta doença causa normalmente outros sintomas como perda de peso, polifagia (aumento do apetite), vómitos entre outros. Mas para além destes sintomas físicos pode causar alterações de comportamento.

Stress

Os felinos são especialmente sensíveis ao stress. Qualquer alteração na sua rotina pode desencadear uma alteração comportamental no gato.

Não significa que qualquer alteração que haja o seu felino se transforme num gato agressivo. O stress e as alterações da rotina nos gatos podem causar inúmeras alterações no seu organismo. Desde problemas urinários, deixarem de comer, problemas respiratórios e comportamentais.

Se ocorrer algum evento na vida familiar do gato e este começar a demonstrar agressividade poderá estar relacionado com esse evento.

Situações como a mudança de casa, chegada de um bebé, adoção de um novo gato ou cão, saída de casa de um dos donos, podem ser fatores desencadeantes de stress em gatos. Desta forma, é importante que, quando previr um acontecimento que pode ser marcante na vida do seu gato, consultar o seu médico veterinário, de forma a que este o possa ajudar com esta mudança sem provocar tanta ansiedade no seu gato.

6 coisas que deve fazer para lidar com um gato agressivo


gato agressivo a ser recompensado

1. Nunca tente imobilizar o seu gato

Se o seu gato o atacar a si, ou alguém nunca o tente imobilizar sozinho. Deve afastar-se do seu felino da forma mais calma possível e fechar a porta até que este se acalme.

2. Nunca bata ou grite com o seu gato

Mesmo que o seu gato o tenha atacado a si ou outra pessoa ou animal não deve nunca em nenhuma circunstancia gritar com ele ou bater-lhe, pois este tipo de comportamento só irá causar-lhe mais stress e torna-lo mais agressivo.

3. Recompense-o

Se o seu gato costuma ser agressivo e determinadas situações, de cada vez que tiver um bom comportamento deve recompensa-lo, seja com comida ou brincadeira.

4. Não faça brincadeiras que incitem a agressividade

Jogos e brincadeiras com as mãos ou qualquer parte do corpo são proibidas para qualquer gato, especialmente gatos que tenham problemas de agressividade. Experimente brincar com brinquedos próprios para gatos, faça-o perseguir um laser ou um rato telecomandado.

5. Garanta sempre a sua segurança

Independentemente de qualquer situação deve sempre garantir a sua segurança. Se sabe que com certos comportamentos despoleta no seu gato agressividade, evite-os. Ou então se precisar de os fazer feche o seu gato ou a si numa divisão diferente para que o seu gato não veja.

6. Procure a ajuda de um profissional

Se tem um gato agressivo ou começou a demonstrar alguns comportamentos de agressividade ou fora do seu normal, procure o seu médico veterinário para o auxiliar nesta situação. É de extrema importância procurar ajuda profissional aos primeiros sinais, de forma a evitar uma situação mais graves.

Uma vez que a agressividade pode ter origem em dor ou doenças, o médico veterinário é o profissional indicado para o ajudar nesta situação.

Depois de excluídas as causas patológicas, caso o comportamento do gato agressivo seja por outra causa, o seu médico veterinário poderá recomendar-lhe uma consulta de comportamento com um médico veterinário especialista em comportamento animal.

Em casos mais complicados poderá ser, inclusive, necessário medicação para ajudar o seu gato a ultrapassar as alterações comportamentais. Estas medicações só devem ser administradas quando prescritas exclusivamente por um médico veterinário.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].