Gaslighting: descubra se sofre de abuso psicológico na sua relação

O gaslighting é uma forma extrema de abuso psicológico e emocional apesar de, muitas vezes, a vítima não se aperceber dos abusos que normalmente sofre.

Gaslighting: descubra se sofre de abuso psicológico na sua relação
Sabe o que significa gaslighting? Se não, descubra!

Já ouviu falar em gaslighting? É possível que sim. Este termo refere-se à presença de violência emocional e abuso psicológico na relação interpessoal. Habitualmente praticado por pessoas extremamente hábeis na arte da manipulação do outro, que propositadamente levam a que o outro se anule e sinta medo. Vamos conhecer melhor este fenómeno!

Em que consiste o afinal o gaslighting?


gaslighting homem a ser violento

Já se sentiu preso ao medo, cheio de dúvidas, inútil, com baixos níveis de autoestima e autoconfiança? Apenas muito tardiamente tomou consciência que esse mal-estar era resultado dos atos e das palavras de outra pessoa? Então, possivelmente já foi vítima de gaslighting.

gaslighting, expressão muito popularizada, traduz nada mais, nada menos, que uma situação de abuso psicológico em que o agressor, de forma manipuladora, habilidosa e recorrente, leva a vítima a sentir-se inútil e sem capacidade de tomada de decisão.

Alguns sinais comuns da presença de abuso psicológico são:

1. O agressor, que na grande maioria das vezes é o parceiro amoroso, é extremamente manipulador e tenta, a todo o custo, desestabilizar psicologicamente a vítima;

2. Numa relação marcada pelo gaslighting, a opinião da vítima é sempre desvalorizada;

3. O agressor pode esconder informações da vítima, para que esta crie uma ideia errada. Pode também ter o hábito de distorcer ou filtrar determinadas informações, bem como mentir, com o propósito de induzir a vítima em erro e fazê-la duvidar da sua própria sanidade;

4. Os comentários ou piadas aparentemente inofensivos estão presentes e visam diminuir a vítima, provocando-lhe mal-estar e dúvidas acerca de si mesma e das suas capacidades;

5. O agressor pode manipular de tal forma a vítima, levando-a a afastar-se de todos aqueles que lhe são próximos e lhe querem bem;

6. A vítima aceita determinadas agressões, na medida em que se sente culpada pelas situações que lhes deram origem. Raramente tem consciência de que está a viver uma situação de abuso e, geralmente, apenas muito tarde se apercebe de todo o cenário de manipulação e engano em que esteve envolvida.

Compreender a violência psicológica no âmbito da relação amorosa


gaslighting mulher a controlar marido

Como sabemos, a violência no contexto das relações de intimidade não se restringe apenas à violência física (qualquer forma de violência física). Pelo contrário, existem várias tipologias de violência, nomeadamente:

  • Violência verbal: utilização de comunicação verbal com o intuito de ferir e/ou causar sofrimento psicológico;
  • Violência sexual: quando o companheiro recorre à intimidação, ameaça e/ou força física com o objetivo de forçar o outro a uma interação sexual sem o seu consentimento;
  • Violência social: a presença de comportamentos que intentam controlar a vida social do companheiro.

No caso particular da violência psicológica, presente nas situações de gaslighting, estamos perante casos em que o agressor recorre quer à comunicação verbal, quer à comunicação não-verbal, para causar sofrimento psicológico e medo na vítima, levando-a a sentir-se inútil. Esta tipologia de violência é mais difícil de identificar, na medida em que não deixa marcas visíveis.

Frequentemente, nas situações de violência psicológica, as vítimas não reconhecem o comportamento abusivo ou não o percebem como tal. Desta forma, acabam por manter-se na relação abusiva durante um maior período de tempo, sendo pouco provável que procurem ajuda.

É vítima de gaslighting? Peça ajuda, não está sozinha/o!


gaslighting APAV

Fonte: apav.pt

Se os sinais acima descritos descrevem na perfeição a sua relação amorosa, saiba que está a ser vítima de violência emocional/psicológica.

Peça ajuda! Não siga a tendência da vítima para não denunciar os comportamentos abusivos sofridos que tem sido comprovada de forma recorrente no estudos realizados.

Procure ajuda junto das autoridades e junto de organizações, que de forma gratuita e confidencial, estão disponíveis para ajudar.

Associação de Apoio à Vítima é uma dessas organizações e conta com uma importante rede de gabinetes de apoio à vítima espalhados pelo território nacional.

A violência nas relações de intimidade é um fenómeno complexo, que atravessa classes sociais, idades e género. Está presente na nossa sociedade e o silêncio apenas facilita que a violência se perpetue.

A reação de cada um de nós perante uma situação de violência é única e imprevisível, mas é importante que estejamos informados acerca de todas as tipologias de violências, nomeadamente das menos flagrantes, de como é exemplo o gaslighting.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!