Será que é normal sentir um aumento de gases na gravidez?

Os gases na gravidez podem tornar-se numa situação constrangedora, principalmente se forem expulsos do organismo através de flatulência, mas não desespere.

Será que é normal sentir um aumento de gases na gravidez?
Conheça formas de os atenuar.

A libertação de gases é uma situação completamente normal, no entanto constrangedora para algumas pessoas, principalmente no caso da maioria das mulheres grávidas, uma vez que verificam um aumento de gases na gravidez.

Os gases na gravidez não prejudicam o desenvolvimento do seu bebé, no entanto podem tornar-se desconfortáveis para a grávida, por poderem causar uma dor abdominal intensa.

Como surgem os gases na gravidez


gases na gravidez mulher com dores abdominais

O aumento de gases na gravidez deve-se essencialmente à ação das hormonas, principalmente ao aumento da progesterona, que relaxa os tecidos de todo o corpo, inclusive os tecidos do sistema gastrointestinal, levando às seguintes consequências:

  • Desaceleração do tempo de digestão;
  • Acumulação de gases;
  • Incómodo ou desconforto abdominal, que se agrava após refeições mais elaboradas/pesadas;
  • Pirose (azia);
  • Obstipação (prisão de ventre).

Os gases surgem quando se engole ar e quando as bactérias do cólon (intestino grosso) quebram os alimentos não digeridos. A maior parte dos gases no estômago são geralmente libertados através de arrotos, embora uma pequena quantidade possa continuar a descer o sistema gastrointestinal e deixar o corpo em forma de flatulência.

Sintomas de gases na gravidez


gases na gravidez mulher com desconforto

Habitualmente, os sintomas abaixo descritos são os mais comuns de serem sentidos:

  • Dor abdominal intensa;
  • Flatulência e/ou eructação;
  • Obstipação.

Atenção, caso apresente dor abdominal apenas de um lado, náuseas, vómitos ou diarreia, deve consultar de imediato o obstetra que a acompanha na gravidez.

Como pode evitar os gases na gravidez?


gases na gravidez gravida na bola de pilates

Não é fácil eliminar completamente os gases na gravidez, no entanto pode aplicar determinadas medidas para diminuir o seu aparecimento:

  • Diminuir ou eliminar da sua alimentação, de forma gradual e nunca completamente (de forma a não privar o bebé de determinados nutrientes), os seguintes alimentos:
    • Hidratos de carbono (por exemplo: batata-doce);
    • Leguminosas (por exemplo: feijão, grão de bico, ervilhas, entre outros);
    • Ovos;
    • Determinados legumes como a cebola, repolho, brócolos ou couve-flor;
    • Produtos que contenham lactose (no caso das pessoas que são intolerantes), como por exemplo, leite, iogurtes, queijo, entre outros;
    • Gorduras e alimentos fritos, pois diminuem o ritmo da digestão, causando inchaço abdominal.
      O objetivo é tentar determinar o alimento que lhe causa gases na gravidez e desconforto abdominal, daí a remoção dos alimentos ser de forma gradual e, quando identificado o(s) alimento(s) que lhe provoca esses efeito, deve de repor os restantes que tirou da sua alimentação e que não lhe causam efeitos secundários. Com a ajuda de um nutricionista, poderá conseguir atingir um equilíbrio entre os alimentos que deve continuar a ingerir e aqueles que pode suprimir, sem colocar em risco o desenvolvimento fetal.
  • Aumente a ingestão de alimentos ricos em fibras (por exemplo: pão, legumes, entre outros), uma vez que ajudam a melhorar a função digestiva e a prevenir a obstipação;
  • Aumente a ingestão de água ou chá sem cafeína, no mínimo deve de ingerir 2 litros por dia;
  • Faça pequenas refeições mas várias vezes ao dia, a cada 2-3 horas, de forma a evitar a sensação de enfartamento;
  • Procure mastigar lentamente e com a boca fechada, de forma a evitar engolir ar (aerofagia);
  • Evite ingerir líquidos durante as refeições;
  • Não utilize palhinhas para beber líquidos;
  • Evite ingerir bebidas gaseificadas;
  • Evite mastigar pastilhas elásticas;
  • Evite fumar;
  • Pratique exercício físico adequado à gravidez, com uma intensidade entre o ligeiro e o moderado, como por exemplo, caminhadas, natação, entre outros;
  • Evite usar roupas justas, principalmente na região abdominal;
  • Faça exercícios leves e respire profundamente, uma vez que isto favorece os movimentos peristálticos do intestino;
  • Em último caso, se o seu obstetra o recomendar, pode ingerir determinados fármacos, como a dimeticona ou aplicação de microclister (via retal).

 

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].