Publicidade:

Galgo Italiano: tudo o que precisa de saber sobre esta raça

Por ser o menor de todos os galgos, o Galgo Italiano é considerado um modelo de graça e distinção, tendo sido em tempos o preferido da realeza europeia. Cão de companhia por excelência, tem como característica principal a constante disposição para dar e receber carinho, embora apresente uma natureza delicada e sensível.

 
Galgo Italiano: tudo o que precisa de saber sobre esta raça
Este é um dos galgos mais mimados.

Devido à sua dimensão reduzida, o Galgo Italiano é o mais pequeno dos Sighthounds (cães que caçam usando a visão), o que leva a que seja conhecido como Galguinho. Este cão distingue-se do resto da família sobretudo a nível de temperamento, mostrando-se mais frágil e dependente dos seus donos.

A sua personalidade meiga e dócil faz dele um cão muito caseiro, com tendência para conseguir facilmente o que quer. Se for demasiado protegido, pode tornar-se ainda mais reservado e tenso.

Por culpa das semelhanças físicas, algumas pessoas podem confundir o Galgo Italiano com o Whippet, mas este último, além de ser maior e de ter um apetite mais voraz, revela um instinto de caçador mais vincado.

Características gerais do Galgo Italiano


Grupo: Grupo 10 – Galgos

Finalidade: cão de corrida e de companhia

Ambiente ideal: apartamento

País de Origem: Itália

Porte: pequeno

Altura: de 32cm a 38cm

Peso ideal: de 3kg a 5kg

Cor: preto, cinzento, amarelo pálido, bege, com branco apenas no peito e patas

Esperança Média de Vida: entre 12 a 15 anos

Preço médio: de 500€ a 800€

 

Características específicas do Galgo Italiano


É uma raça que não apresenta problemas de relacionamento com as outras mascotes da casa, embora seja preciso sociabilizá-los desde pequenos. No entanto, é preciso ter cuidado com cães de raças grandes, que poderão ser mais brutos com o Galgo Italiano. Além disso, se confrontado com um cão mais agressivo, costuma “congelar”.

Apesar da sua fragilidade e de ser um cão que aprecia o conforto, ele possui muito mais energia do que se imagina e adora correr ao ar livre. Contudo, há que controlar bem o local onde faz exercício, evitando que se solte pois pode fugir e colocar-se em perigo. Em casa, vai adorar saltar para cima de móveis.

Deve evitar-se que saia à rua com temperaturas muito baixas e, por esse motivo, algumas pessoas ensinam o cão a fazer as suas necessidades em caixas de areia, como os gatos.

Energia
Inteligência
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor
Cuidados de higiene
Queda de pelo
Tendência para problemas de saúde
Facilidade de aprendizagem
Socialização com crianças
Socialização com estranhos
Socialização com cães
Socialização com gatos

Fases da vida do Galgo Italiano


Bebé

0 – 8 meses

Adulto

8 meses – 12 anos

Idoso

12 – 15 anos

Físico do Galgo Italiano


Galgo italiano

É um cão de aspeto esguio, cujo tronco se inscreve num quadrado, o que lhe confere uma aparência elegante. O peito é estreito e profundo, a região lombar bem arqueada e os membros de musculatura seca, com patas ovaladas.

Tal como os restantes galgos, possui uma cabeça e um focinho alongados, aos quais se juntam orelhas pequenas e de inserção alta sobradas sobre si mesmas quando em descanso. O pelo é curto e rente ao corpo.

Temperamento do Galgo Italiano


O Galgo Italiano é um cão dócil, amigável e submisso, propenso a demonstrar alguma timidez. A sua sensibilidade emocional requer altas doses de atenção e afeto por parte do dono, de quem é bastante dependente. Devido ao temperamento alegre e brincalhão, é um excelente companheiro de crianças, de preferência mais crescidas, pois as brincadeiras dos mais novos poderão ser demasiado bruscas para um cão que é tão frágil.

Na presença de estranhos, tende a ser reservado, sem mostrar agressividade. Embora inteligente e com facilidade em aprender, nem sempre obedece, sobretudo se os métodos disciplinares forem mais severos.

Problemas de Saúde do Galgo Italiano


Ossos e articulações

  • Possibilidade de fraturas devido à baixa densidade óssea.
  • Lesões nas articulações.

Boca

  • Doença periodontal.
  • Tártaro.

Sistema endócrino

  • Hipotiroidismo.

Pele

  • Por serem magros e finos, são propensos a cortes e lesões na pele.

 

Cuidados a ter com o Galgo Italiano


Temperatura

  • São muito sensíveis ao frio, devendo usar roupas caninas durante o Inverno.

Unhas

  • Corte uma vez por mês.

Dentes

  • Escove uma vez por semana, usando pasta de dentes especial para cães.

 

Origem do Galgo Italiano


Com base em estudos arqueológicos, os historiadores afirmam que os ancestrais do Galgo Italiano tenham existido há cerca de 5 mil anos atrás no Antigo Egipto, a avaliar pela descoberta de ossadas numa tumba, que se acreditava pertencerem a um cão muito parecido com este.

Também foram encontradas representações da raça em peças de arte e decoração na Grécia e na Roma Antiga. Terá chegado a Itália no século V a.C.

O seu desenvolvimento deu-se sobretudo durante o período renascentista, nas cortes europeias, servindo de inspiração a vários pintores da época.

No final do século XIX, foi diminuindo de tamanho para se distinguir do Whippet, um galgo de tamanho pequeno, quando este começou a ganhar maior popularidade.

Curiosidades sobre o Galgo Italiano


O Galgo Italiano conquistou um lugar de destaque entre a nobreza europeia durante a época Renascentista. A raça era a favorita de James I e da sua mulher, Ana da Dinamarca, bem como de Catarina, a Grande, da Rússia, e da Rainha Vitória. \

Já Frederico, o Grande, Rei da Prússia, que se diz ter tido pelo menos 30 exemplares, gostava tanto dos seus cães que, quando eles morriam, enterrava-os com as suas próprias mãos no terreno do seu palácio de Sanssouci.


Conheça mais raças de cães:

Todas as raças de cães

Todas as
raças de cães

Raças de cães pequenos

Raças de
cães pequenos

Raças de cães médios

Raças de
cães médios

Raças de cães grandes

Raças de
cães grandes

Mafalda Braga Mafalda Braga

Depois da licenciatura em Comunicação Social e Cultural e do mestrado em Media e Jornalismo, tirados na Universidade Católica Portuguesa, fez um estágio na extinta Rádio Clube Português e outro na Revista Máxima, onde ficou a trabalhar durante cinco anos e meio. Passou ainda pela Revista Must, suplemento do Jornal de Negócios, e atualmente é jornalista freelancer. Além desta área, tem uma grande paixão por cinema, viagens, animais e comida, de preferência com muito sol a acompanhar.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].