Publicidade:

Galgo Inglês: tudo o que precisa de saber sobre esta raça

Com um incrível poder de arranque, o Galgo Inglês ainda não encontrou no mundo canino quem o batesse na velocidade e continua a ser o rei das corridas. Fora isso, é um cão tranquilo, discreto e até um pouco preguiçoso que, mais do que brincadeiras enérgicas, aprecia o conforto da casa, ficando satisfeito com algumas caminhadas.

 
Galgo Inglês: tudo o que precisa de saber sobre esta raça
O Galgo Inglês é o cão Fórmula 1.

Também conhecido por Greyhound, o Galgo Inglês é o mais rápido dos cães, alcançando velocidades que podem atingir 72 km/h. Além disso, possui uma visão de longo alcance, que lhe permite avistar qualquer movimento a grandes distâncias. Um verdadeiro lebréu!

Quem tem um Galgo Inglês diz que é como viver com um gato gigante, já que estes dois animais partilham alguns traços de comportamento.

Características gerais do Galgo Inglês


Grupo: Grupo 10 – Galgos

Finalidade: cão de corrida e de companhia

Ambiente ideal: casa ou apartamento

País de Origem: Grã-Bretanha

Porte: grande

Altura: de 68cm a 76cm

Peso ideal: de 27kg a 35kg

Cor: preto, branco, vermelho, azul, fulvo, castanho, areia, castanho, tigrado ou qualquer uma destas cores com branco

Esperança Média de Vida: entre 12 a 15 anos

Preço médio: de 400€ a 1200€

 

Características específicas do Galgo Inglês


Apesar do seu porte grande e de estar associado a um desporto de grande resistência, o Galgo Inglês é um cão de baixa atividade que não precisa de ter muito espaço para se mexer. Naturalmente, precisa de exercício diário moderado, mas em casa é calmo e bem comportado, revelando pouca tendência para ladrar, o que o torna adequado à vida em apartamento.

Contudo, sempre que for com ele à rua, deve ter o cuidado para que esteja bem cercado ou preso, não vá sair disparado atrás de algum pequeno animal, em direção ao perigo. Devido à sua natureza independente, pode tornar-se teimoso durante o processo de treino.

Energia
Inteligência
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor
Cuidados de higiene
Queda de pelo
Tendência para problemas de saúde
Facilidade de aprendizagem
Socialização com crianças
Socialização com estranhos
Socialização com cães
Socialização com gatos

Fases da vida do Galgo Inglês


Bebé

0 – 18 meses

Adulto

18 meses – 10 anos

Idoso

10 – 15 anos

 

Físico do Galgo Inglês


Galgo ingles

Forte e com proporções generosas, o Galgo Inglês ostenta um corpo de formação simétrica, bem musculoso. No prolongamento do seu pescoço comprido, flexível e ligeiramente arqueado, encontramos um peito profundo e largo com ventre bem subido.

A cabeça é longa, assim como o focinho, acabando num nariz negro e pontiagudo. As orelhas, pequenas e finas, apresentam-se em forma de rosa. A cauda, inserida e portada baixa, vai afinando até à ponta.

Temperamento do Galgo Inglês


O Galgo Inglês é um cão calmo e tranquilo, muito apegado aos donos, com quem adora partilhar o conforto da casa. Mesmo que não demonstre tanto amor como outras raças, sofre quando é deixado muito tempo sozinho. Dá-se bem com crianças, mas como é independente não participa em brincadeiras mais intensas e se estiver a sentir-se incomodado afasta-se.

Tímido e reservado com estranhos, costuma ser indiferente com as visitas e pouco eficaz a avisar para alguma ameaça, pelo que não deve ser usado como cão de guarda.

Problemas de Saúde do Galgo Inglês


Ossos

  • Osteossarcoma.

Nervos e músculos

  • Neuropatia.
  • Lesões musculares.

Estômago

  • Torção gástrica.

Outros

  • Por terem uma baixa percentagem de gordura corporal, podem ser sensíveis a determinados medicamentos (cortisona, pó anti-pulgas, tranquilizantes, anestesia).

 

Cuidados a ter com o Galgo Inglês


Temperatura

  • O Galgo Inglês é sensível a temperaturas extremas, pelo que deve usar roupas caninas nos dias frios e evitar expor-se ao sol nos dias quentes.

Dentes

  • Escove uma vez por semana, pois o Galgo Inglês tende a ter uma má saúde oral.

Ossos

  • O Galgo Inglês deve ter uma cama macia para descansar, devido à frágil consistência dos seus ossos e pele.

 

Origem do Galgo Inglês


Os especialistas acreditam, embora não unanimemente, que os ancestrais do Galgo Inglês teriam vivido no Médio Oriente, a avaliar pelas pinturas e hieróglifos encontrados nos túmulos dos faraós egípcios, que datam de 4000 a.C.

Mais tarde, foram levados para a Europa através da Grécia (o que pode explicar o nome Greyhound, que deriva de Greek Hound) e, em particular, para a Grã-Bretanha com os fenícios. Aqui, terão sido cruzados com o Galgo Espanhol e aperfeiçoados para a caça à lebre, sobretudo no reinado de Henrique VIII.

Por volta do século XVI, os ingleses passaram a usar os cães em disputas de velocidade, e Isabel I pediu mesmo ao Duque de Norfolk que criasse um código para avaliar os galgos na perseguição da lebre ao ar livre. A partir daí, as corridas de cães começaram a ganhar popularidade, atingindo o seu pico no século XIX.

Curiosidades sobre o Galgo Inglês


O Galgo Inglês é a única raça de cães a ser mencionada na Bíblia.

A maioria dos Galgos Ingleses que são considerados “acabados” (para a sua função de corrida, entenda-se), ainda vive cerca de mais 10 anos. Nos Estados Unidos, onde esta atividade ainda tem vários adeptos, existem diversas entidades e grupos de proteção que procuram novos lares para os cães reformados.

Na série Os Simpsons, o cão de Bart é um Galgo Inglês que aparece pela primeira vez num episódio de 1989, após o seu antigo dono o abandonar por ter chegado em último numa corrida, sendo depois adotado pela família Simpson.


Conheça mais raças de cães:

Todas as raças de cães

Todas as
raças de cães

Raças de cães pequenos

Raças de
cães pequenos

Raças de cães médios

Raças de
cães médios

Raças de cães grandes

Raças de
cães grandes

Mafalda Braga Mafalda Braga

Depois da licenciatura em Comunicação Social e Cultural e do mestrado em Media e Jornalismo, tirados na Universidade Católica Portuguesa, fez um estágio na extinta Rádio Clube Português e outro na Revista Máxima, onde ficou a trabalhar durante cinco anos e meio. Passou ainda pela Revista Must, suplemento do Jornal de Negócios, e atualmente é jornalista freelancer. Além desta área, tem uma grande paixão por cinema, viagens, animais e comida, de preferência com muito sol a acompanhar.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].