O que fazer quando os filhos dizem coisas feias aos pais?

As crianças gostam de testar os limites, mas por vezes exageram. Descubra 11 formas de agir nas situações em que os filhos dizem coisas feias aos pais!

O que fazer quando os filhos dizem coisas feias aos pais?
O seu filho já lhe disse coisas feias?

“Não gosto mais de vocês”, “Odeio-vos”, “És a pior mãe do mundo”, “És muito mau”. Se é pai ou mãe, muito provavelmente já ouviu alguma destas frases desagradáveis da boca do seu filho. Não é incomum que em alguma altura, mesmo as crianças mais pequeninas, não saibam como reagir à frustração e sejam desagradáveis ou até agressivas para com os pais, mas como devem os progenitores reagir quando os filhos dizem coisas feias?

Quando os filhos dizem coisas feias aos pais…


filhos dizem coisas feias

Os filhos dizem coisas feias aos pais pelos mais variados motivos. É natural que os pais fiquem magoados, angustiados e não saibam como reagir, mas é importante que os pais compreendam o porquê das frases e comportamentos desagradáveis e adotem estratégias eficazes.

Quando as crianças sentem que algo que desejam lhes é negado, e ainda não aprenderam a lidar com as frustrações e os impedimentos, tendem a adotar um comportamento mais desafiador e a proferir este tipo de frases, o que não significa que sintam realmente aquilo que estão a dizer. As crianças devem ser ensinadas a tolerar a frustração e a saber esperar.

As crianças e os adolescentes podem ser mais desagradáveis quando ainda não são plenamente capazes de gerir as suas emoções e a sua impulsividade. As emoções intensas e desreguladas podem também causar estes episódios desagradáveis.

Por outro lado, à medida que crescem, as crianças começam a testar os limites de forma gradual, a medir forças com os pais e a desafiar as regras e os limites impostos. Esta situação tende a tomar maiores proporções quando os pais estão separados, já que as crianças podem explorar um eventual afastamento dos pais para alcançarem aquilo que desejam.

O que fazer quando os filhos dizem coisas feias aos pais? Estas 11 dicas vão ajudar!


mae a falar com filha

1 – Não se mostre demasiado afetado. Não chore em frente do seu filho, não perca o controlo nem ceda a todas as suas vontades e desejos. Se ceder, estará a reforçar o comportamento desagradável do seu filho e a mostrar-lhe que através desse tipo de comportamentos consegue alcançar tudo aquilo que deseja.

2 – Converse com o seu filho. Pergunte-lhe porque é que está tão zangado. Mostre-lhe que percebe que há situações que o deixam triste e desapontado, e mostre-lhe que há formas mais positivas de reagir nessas circunstâncias.

3 – Não caia na tentação de agir como uma criança. Não devolva a frase desagradável que o seu filho lhe disse. Estimule o diálogo positivo, não o negativo. Lembre-se que as crianças tendem a repetir aquilo que observam.

4 – Sempre que for capaz, mantenha sempre uma postura firme e assertiva.

5 – Os pais e os restantes adultos que cuidam da criança devem estar alinhados na forma de atuar.

6 – Mesmo que em alguma situação não consiga manter a calma e reagir da forma mais adequada e assertiva, está sempre a tempo de recuar. Mostre ao seu filho o quanto ficou magoado, desculpe-se caso a sua situação tenha sido desadequada e conversem sobre a melhor forma de resolver situações semelhantes no futuro.

7 – Se perceber que perante uma frase desagradável não vai ser capaz de reagir de forma adequada, opte por não reagir de imediato. Afaste-se, respire fundo, recomponha-se e volte mais tarde para conversar com o seu filho.

8 – Explique ao seu filho porque é que determinada frase ou comportamento é desrespeitoso e inaceitável.

9 – Elogie o seu filho quando este se comporta de forma educada e respeitosa.

10 – Ensine ao seu filho formas construtivas de se acalmar e controlar as situações de maior ansiedade.

11 – Se estes episódios há muito deixaram de ser situações pontuais e fazem já parte do padrão de comunicação da vossa família, talvez tenha chegado a hora de procurar ajuda especializada.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].