Publicidade:

5 Sinais de febre nos animais: saiba reconhecê-los e o que fazer

A febre nos animais pode ser difícil de identificar. Conheça os sinais que podem ajudá-lo a perceber se o seu animal está febril e como o socorrer.

5 Sinais de febre nos animais: saiba reconhecê-los e o que fazer
Nunca auto-medique o seu animal.

Existem algumas teorias que não passam de mitos, em relação a identificar a febre nos animais. Por exemplo, o facto de ter o nariz seco ou as orelhas quentes, são apenas mitos e não correspondem à realidade.

Assim, neste artigo poderá aprender a identificar sinais autênticos para perceber se o seu animal tem febre, e assim levá-lo ao seu médico veterinário mais precocemente.

A febre nos animais carateriza-se pelo aumento da temperatura corporal, acima do valor considerado normal para a espécie.

5 sinais de febre nos animais


 febre nos animais pastor alemao na manta

1. O seu animal deixa de comer ou come pouco

Um dos primeiros sinais da febre é a perda de apetite, o que também acontece nas pessoas. No entanto, estas reconhecem que o primeiro passo para a sua recuperação é continuarem a comer o melhor possível para se manterem nutridas. Nos animais tal não acontece, pois não têm essa percepção.

Se o seu animal deixar de comer, pode ser um sinal de que a sua temperatura corporal está aumentada, e como tal está doente. Portanto, se notar que o seu animal deixou de comer ou está a comer menos do que o normal, deve levá-lo o quanto antes a uma consulta com o seu médico veterinário.

2. O seu animal está mais parado do que o normal e dorme mais

Se o seu cão ou gato costumam brincar e nos últimos dias nota que só quer dormir, pode ser um sinal que algo não está bem. Mesmo que seja um animal que não seja muito ativo mas, ainda assim, lhe pareça mais parado do que o costume, deve servir como um sinal de alerta para o levar ao médico veterinário.

Os animais, tal como as pessoas, quando têm febre ficam com mais moleza e mais parados.

3. O seu animal procura sítios para se isolar e esconder

Especialmente os gatos, têm tendência, para, ao invés de demonstrar que se sentem mal e pedirem ajuda ao seu tutor, se isolarem da sua família e até se esconderem em locais pouco usuais.

Se o seu gato se escondeu, passou uma eternidade à sua procura e foi dar com ele a dormir bem escondido, e se o fez várias vezes nos últimos tempos, pode querer dizer que o seu animal não está bem.

4. O seu animal bebe mais água

O aumento da ingestão de água pode ser um sinal que a temperatura do seu animal está alta, então instintivamente este bebe água pois como está desidratado por causa da febre sente essa necessidade.

Se o seu animal começou a beber mais água pode também ser um sinal de outras patologias, como insuficiência renal ou diabetes. Deve portanto de qualquer maneira, se o seu animal exibir este comportamento, consultar o médico veterinário para que seja avaliado para perceber a causa.

5. O seu animal procura sítios frios para descansar

Quando os animais têm febre, por instinto, procuram superfícies frias para descansar, como por exemplo a tijoleira. Claro que isto só deve ser valorizado caso o animal não costume ter este comportamento no seu dia-a-dia, e caso manifeste mais algum dos sintomas acima mencionados.

Caso esteja muito calor, o seu animal pode também procurar sítios frescos para descansar, portanto este comportamento deve ter sido em consideração com cuidado, avaliando também a temperatura exterior, o comportamento normal do animal e perceber se o animal manifesta mais algum sintoma acima mencionado.

Como medir a febre nos animais?


febre nos animais medicao temperatura corporal

Para além do tutor estar atento a todos os sinais que podem ser indicativos de que o animal está febril, só se pode confirmar medindo a temperatura através de um termómetro. Este procedimento pode ser feito em casa ou no consultório por um médico ou enfermeiro veterinário.

Se o fizer em casa deve ter aprendido a técnica muito bem previamente, ensinada por um profissional da área, pois caso contrário poderá fazer uma leitura errada da temperatura e até mesmo magoar o seu animal.

A medição faz-se pela introdução do termómetro via retal, normalmente com vaselina. A temperatura normal dos cães e dos gatos é entre 38 e 39º com variações de mais ou menos 0,5º.

Causas de febre nos animais


febre nos animais cao a comer secos

A febre nos animais está associada a infeções ou reação a uma vacina, tal como nas pessoas. A origem da uma infeção pode ser vírica ou bacteriana.

O aumento da temperatura nos animais pode também dever-se a um golpe de calor ou ingestão de algum tóxico, inclusive plantas. Neste caso chamamos de hipertermia, e não febre.

O que fazer em caso de febre nos animais?


febre nos animais cao e veterinaria

Se o seu animal apresentar uma temperatura superior a 39,5º o seu animal está com febre. Deve portanto levá-lo, logo que possível, a uma consulta com o seu médico veterinário.

Se estiver com uma temperatura superior a 41º está perante uma urgência, pois com esta temperatura o animal pode ficar com graves sequelas, começar a convulsionar e até morrer.

Em qualquer caso o médico veterinário é o único profissional de saúde habilitado a avaliar o seu animal e a gravidade de cada situação. Só ele poderá perceber qual a causa e consoante isso iniciar o tratamento mais adequado.

Saiba que, com o Plano de Saúde animal Vetecare pode poupar em tratamentos e consultas e, por apenas 13€ por mês, tem acesso a uma vasta rede de profissionais que podem ajudar no tratamento do seu amigo de quatro patas.

Nunca auto-medique o seu animal se este tiver febre, principalmente com ibuprofeno ou paracetamol, pois são medicamentos tóxicos que podem causar a morte ao seu cão ou gato.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].