Fator rhesus (RhD): uma proteína que distingue o seu tipo de sangue

Precisa de saber o seu tipo de sangue? Saiba a importância do fator rhesus e como determinar o tipo de sangue pelo sistema ABO.

Fator rhesus (RhD): uma proteína que distingue o seu tipo de sangue
Entenda a sua importância.

O fator rhesus, fator Rh do tipo D, é uma característica hereditária referente a uma proteína específica (antigénio D) da superfície dos glóbulos vermelhos e está presente em cerca de 85% dos indivíduos, sendo de maior importância clínica.

O fator rhesus é assim denominado por ter sido identificado primeiramente através de pesquisas no sangue de um macaco Rhesus, onde cientistas injetaram o sangue do macaco em coelhos, e observaram a formação de anticorpos específicos que aglutinaram as hemácias dos macacos.

As pessoas que são portadoras desta proteína têm um tipo de sangue RhD+ (positivo), enquanto que se não forem portadoras desta proteína, serão denominadas de RhD – (negativo).

A determinação do sistema RhD é feita por um par de alelos com dominância completa, sendo o alelo R o dominante e o alelo r recessivo.

Como é determinado o fator rhesus?


fator rhesus amostra de sangue

Em ambiente laboratorial, os técnicos analisam uma amostra de sangue devidamente colhida e acondicionada previamente e juntam uma solução com anticorpos RhD.

Se houver aglutinação das hemácias, o indivíduo é RhD +, se não houver aglutinação, o indivíduo tem sangue RhD -.

Fator rhesus e sistema ABO


fator rhesus tirar sangue

Para se determinar o tipo de sangue da pessoa (tipagem sanguínea) é necessário identificar o fator rhesus e o grupo sanguíneo pelo sistema ABO, que é constituído por quatro grupos: A, B, AB e O.

As hemácias dos seres humanos possuem dois tipos de antigénios que se chamam aglutinogénios, sendo eles A e B e o seu plasma pode ter dois anticorpos (aglutininas), sendo eles anti-A e anti-B.

A junção do fator rhesus com o sistema ABO dá origem aos possíveis tipos de sangue: O+, A+, B+, O-, A-, B-, AB+, AB-.

Possíveis complicações associadas ao fator rhesus


fator rhesus transfusao sanguinea

Nas transfusões de sangue (transferência total ou parcial de componentes do sangue), cada pessoa só pode receber ou doar um tipo de sangue específico:

  • Sangue tipos O-: são considerados “dadores universais”;
  • Sangue tipos AB+: são considerados “receptores universais”.

1. Incompatibilidade em transfusões sanguíneas

Quando se procede a uma transfusão sanguínea é necessário verificar se o receptor tem RhD , pois se assim for, este não poderá receber sangue do tipo RhD +, uma vez que, seu sistema imune produzirá anticorpos anti-RhD. Pessoas com fator RhD – só podem receber sangue de pessoas com sangue RhD-.

No entanto uma pessoa do grupo sanguíneo RhD + pode receber transfusão de sangue tanto do fator RhD + quanto do RhֿD -. Um erro de transfusão pode ocasionar reações que levam à morte da pessoa que recebeu o sangue.

2. Incompatibilidade sanguínea na gravidez

Para além de reações transfusionais hemolíticas, também existe o risco de problemas de incompatibilidade sanguínea durante a gravidez, pelo que o fator rhesus está envolvido na Doença Hemolítica do Recém-nascido ou Eritroblastose fetal, que pode provocar a morte do recém-nascido por anemia, icterícia ou insuficiência cardíaca.

Quando a mãe é portadora do RhD – e o pai do RH+, pode haver a possibilidade de o bebé herdar o RhD+ do pai. Assim, ao ter um tipo de sangue diferente do da mãe, esta pode sofrer uma imunização contra antigénios do sistema RhD. Neste caso, a gravidez que necessita de cuidados especiais, especialmente quando não é de primeira viagem.

 

É importante que a situação seja diagnosticada atempadamente para que seja efetuado o tratamento mais adequado para evitar complicações com o bebé, prevenindo-se esta imunização da mulher através da aplicação de imunoglobulina anti-D, que é composta de anticorpos anti-D produzidos em laboratório.

A imunoglobulina anti-D deverá ser aplicada a cada aborto ou gravidez (logo após o parto), com o objetivo de os anticorpos bloquearem os antigénios D recebidos pela mãe, antes que o seu sistema imunológico tenha a oportunidade de reagir contra eles, produzindo anticorpos próprios e memória imunológica contra estes.

Toda mulher RhD negativa grávida de um homem RhD Positivo deve tomar medidas especiais para evitar ser sensibilizada.

Implicações nas transfusões sanguíneas do fator rhesus


fator rhesus tipos de sangue

Pode doar para Pode receber de
A+ A+, AB+ A+, A-, O+, O-
A- A+, A-, AB+, AB- A-, O-
B+ B+, AB+ B+, B-, O+, O-
B- B+, B-, AB+, AB- B-, O-
AB+ AB+ Todos os tipos
AB- AB+, AB- A-, B-, AB-, O-
O+ A+, B+, AB+, O+ O+, O-
O- Todos os tipos O-

 

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].