Falta de apetite sexual? 9 motivos e soluções para acabar com o problema

A sua vida sexual não é satisfatória? Sente falta de algum desejo sexual? Então, descubra o que fazer quando a falta de apetite sexual é uma constante!

Falta de apetite sexual? 9 motivos e soluções para acabar com o problema
A maioria das dificuldades sexuais não tem a ver com problemas físicos.

A falta de apetite sexual é um problema comum. Afeta muitas mulheres e cada vez mais homens. Vamos compreender melhor este problema e procurar possíveis soluções!

Sexualidade e bem-estar


falta de apetite sexual casal feliz na cama

Quando pensamos em sexualidade habitualmente associamos a genitalidade mas a verdade é que a sexualidade é muito mais que isso, podendo incluir a partilha de amor, carinho e ternura. Ser aceite e partilhar aspetos da intimidade é fundamental para a felicidade e bem-estar de cada um de nós. Se a estes aspetos somarmos uma relação física saudável temos a conjugação perfeita.

Infelizmente nem sempre assim acontece. Em alguns casais podem surgir problemas relacionados com a falta de apetite sexual, quando um ou ambos os elementos do casal sente o desejo sexual quase ausente, não havendo partilha de genitalidade, persistindo o mal-estar.

A falta de apetite sexual resume-se à ausência ou redução significativa do interesse e da excitação sexual, ou seja, acontece quando os pensamentos, as fantasias sexuais e eróticas e o desejo de atividade sexual estão persistentemente diminuídos.

9 motivos que explicam a falta de apetite sexual


falta de apetite sexual mulher com stress no trabalho

Existem vários fatores que influenciar as dificuldades e os problemas sexuais, nomeadamente:

1. Stress

As relações de intimidade precisam de tempo e o dia-a-dia da maioria de nós é bastante agitado e agressivo. A disponibilidade para relaxar e desfrutar é reduzida e o trânsito, os filhos e o trabalho vêm sempre primeiro.

2. Ausência de jogo erótico

Se para os homens é fácil ter desejo prévio, nas mulheres é mais comum o desejo surgir depois, na continuidade da relação. Para as mulheres é muito mais difícil haver desejo sexual sem jogo erótico, ao passo que para os homens, às vezes, basta uma palavra ou a ideia do encontro sexual.

3. Abuso de álcool

Nos homens está frequentemente associado à impotência mas também a um baixo nível de desejo sexual. Já nas mulheres surge associado a uma maior dificuldade em ter um orgasmo e a uma intensidade menor do mesmo.

4. Dor

Sentir dor ou desconforto pode provocar dificuldade de excitação e perda do interesse sexual.

5. Determinadas condições médicas

Certas doenças, os seus sintomas e os seus tratamentos podem causar diminuição do desejo sexual. A presença de perturbações psicológicas pode também influenciar o apetite sexual.

6. Pensamentos disfuncionais

Ter expectativas e os pensamentos negativos perturba e distrai a pessoa das pistas eróticas, interferindo com a capacidade de excitação.

7. Problemas relacionais

Os problemas conjugais frequentemente causam frustração, preocupação, sofrimento e tensão, acabando por afetar o desejo e a resposta sexual.

8. Falta de atração física

Sentir atração física é importantíssimo para o sucesso da relação íntima. Quando esta não está presente estamos perante um grande obstáculo ao funcionamento sexual saudável. Mais ainda, é importante que cada pessoa se sinta atraente, influenciando positivamente o desejo sexual.

9. Repertório sexual restrito

Para uma vivência feliz da sexualidade é fundamental que exista uma atitude positiva em relação ao parceiro e ao sexo, permitindo a introdução de novidades na relação sexual.

7 soluções para acabar com a falta de apetite sexual


falta de apetite sexual exercicio fisico a dois

Como vimos, uma vida sexual plena e satisfatória contribui para o nosso bem-estar. Para garantir que tal acontece importa seguir as seguintes dicas:

  1. Dieta: uma alimentação saudável contribui para o bom funcionamento do corpo, incluindo os órgãos sexuais;
  2. Exercício físico: a prática de atividade física ajuda a manter a boa forma física e promove o bem-estar geral;
  3. Tabaco e álcool: a maioria dos estudos mostra que a maioria dos homens que sofrem de disfunção erétil é fumadora. Já o consumo de álcool, mesmo em quantidade reduzida, atrasa os processos de excitação e orgasmo e aumenta a probabilidade de comportamentos de risco;
  4. Ansiedade: o stress é inimigo da relação sexual. Deve organizar a sua agenda de forma a dispor de tempo para o relaxamento e para a intimidade;
  5. Ajuda especializada: não hesite em procurar ajuda especializada ou do médico de família, individualmente ou com o parceiro;
  6. Ambiente: garanta um ambiente agradável. Quando a pessoa está num ambiente agradável para ela, em que se sente bem, relaxada e confortável, será mais fácil ficar excitada;
  7. Pensamentos positivos e postura exploratória: pensar em coisas boas, como nas sensações prazerosas que advêm da relação sexual, ajudam à excitação. Abra espaço para o conhecimento do seu prazer e do prazer do outro e não se foque no desempenho.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!