Publicidade:

6 dicas para evitar a queda de pelo no cão

Evitar a queda de pelo no cão é muito importantes visto este ser um problema que preocupa todos os tutores, uma vez que acontece em todos os cães.

6 dicas para evitar a queda de pelo no cão
Os cães mudam de pelo na primavera e outono

Se tem um cão em casa é normal que note que, em determinadas alturas do ano, o seu pelo cai bastante. É perfeitamente normal que isto aconteça e não quer dizer que o seu animal esteja doente. No entanto, saiba que existem algumas dicas para evitar a queda de pelo no cão.

Causas de queda de pelo no cão


evitar a queda de pelo no cao cao idoso

Quando a queda de pelo acontece em determinadas alturas no ano, em especial no tempo quente, trata-se de uma situação perfeitamente normal, que acontece para que os cães mudem a sua pelagem e se adaptem a novas condições climatéricas.

No entanto, quando essa queda é exagerada e o cão fica mesmo com zonas de alopécia, ou seja, falhas de pelo, o cão pode estar doente.

1. Envelhecimento do pelo

É natural que os cães soltem pelo, em pequenas quantidades, durante todo o ano, uma vez que faz parte do processo natural de envelhecimento do pelo, tal como é natural as pessoas perderem cabelos durante todo o ano.

A queda fisiológica acontece no decorrer do envelhecimento natural do pelo do cão, fazendo com que uns pelos caiam e outros nasçam mais saudáveis e fortes.

É natural que, dependendo do tipo de pelo, tamanho de pelo e porte do cão, se note mais ou menos essa queda de pelo no cão. Cães maiores de pelo comprido e denso vão deixar um rasto de pelo maior pela casa, do que um cão de porte pequeno de pelo curto, no entanto, não significa necessariamente que percam mais pelo.

2. Queda de pelo sazonal

Esta queda de pelo é geralmente a mais notória e que chama mais à atenção dos tutores, pois a quantidade de pelo encontrada pela casa é grande.

Os cães trocam de pelo duas vezes por ano, em condições climatéricas normais: uma na Primavera e outra no Outono. Na primavera os cães soltam o seu pelo de inverno denso e dão lugar a um pelo mais fino e curto para o calor. No inverno perdem a sua capa de pelo de verão fino e curto e nascem novos pelos mais longos e densos para os ajudar a regular a temperatura no frio.

É natural que durante a Primavera seja mais notório a perda de pelo, não pela quantidade, mas devido à densidade do pelo de inverno.

3. Má nutrição

Uma má alimentação e deficiente nutrição levam a que o aspeto do pelo seja mais baço e que a queda de pelo no cão se acentue.

4. Doenças de pele

Caso o cão perca pelo em demasia, ficando até com falhas de pelo no corpo, pode estar com uma doença de pele. As doenças que pele que causam queda de pelo no cão são várias, entre as quais sarna, dermatites, dermatofitoses, entre outras.

Também pode ser causada pela presença de parasitas externos como pulgas e carraças, portanto é boa ideia ter sempre a desparasitação do seu cão em dia.

De qualquer forma, algumas destas doenças podem ser contagiosas tanto para outros animais como para pessoas, portanto, se notar que o seu cão perde pelo de uma forma exagerada e apresenta falhas de pelo consulte o seu médico veterinário.

6 dicas para evitar a queda de pelo no cão


1. Dar banho ao cão

evitar a queda de pelo no cao dar banho ao cao

Dar banho ao cão é uma das dicas para evitar a queda de pelo no cão. Deve ter sempre cuidado na escolha do champô, deve utilizar sempre um adequado para cães. Informe-se com o seu médico veterinário acerca do champô mais indicado para o tipo de pele e pelo do seu cão.

No entanto, cuidado com os banhos, pois deve ser dado banho ao cão no máximo 1 vez por mês. Os cães têm uma barreira protetora natural na pele, e se der banho muitas vezes pode correr o risco de a retirar, tornando o animal mais suscetível a infeções da pele.

2. Escovar o cão

Escovar evita a queda de pelo no cão, uma vez que quando escova, o pelo que cai ou está prestes a cair é retirado, e portanto vai notar menos pelo a cair.

O ideal é escovar diariamente o seu cão, especialmente se tem um pelo longo e denso. A escovagem pode também ajudar a detetar parasitas externos como pulgas e carraças, que muitas vezes passam desapercebidos no meio do pelo.

3. Investir numa boa alimentação

evitar a queda de pelo no cao comida de cao

Alguns alimentos podem não reter os nutrientes necessários para o seu cão, e isso reflete-se no aspeto do pelo. Opte por alimentos com menos ingredientes industrializados e com menos corantes.

4. Aposte em suplementos

Existem suplementos de ácidos gordos que podem ser dados ao cão para melhor a qualidade e resistência do pelo, evitando a queda de pelo no cão.

Nenhum suplemento deve ser dado sem a indicação do seu médico veterinário, portanto, se considera que o seu cão está a perder muito pelo, contacte o seu médico veterinário e questione-o também sobre a utilização de suplementação.

5. Mantenha as desparasitações externas em dia

evitar a queda de pelo no cao desparasitacao ao cao

Os parasitas externos como pulgas e carraças podem levar a problemas de pele e consequentemente provocar queda de pelo no cão.

Tenha atenção à regularidade das desparasitações externas, e informe-se com o seu médico veterinário sobre qual o produto mais indicado, pois existem vários tipos de desparasitantes externos, como por exemplo comprimidos, pipetas spot on, injetáveis e coleiras.

6. Tosquie o cão

Tosquiar o cão pode melhorar o problema de queda de pelo no cão, uma vez que permite remover o pelo danificado e mais frágil que irá cair se não for retirado.

Veja também:

Fonte

1. ESCCAP – Control of Ectoparasites in Dogs and Cats, 2018. Disponível em:
https://esccap.org/uploads/docs/v5sc2etz_0720_ESCCAP_Guideline_GL3_update_v8_1p.pdf

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].