Como estimular o bebé na barriga? Aprenda vários truques!

É desde cedo que a grávida deve de estimular o bebé na barriga, uma vez que a aplicação correta de estímulos ajuda na adaptação do bebé ao meio externo.

Como estimular o bebé na barriga? Aprenda vários truques!
Conheça todos os truques.

Cada vez mais a comunidade médica é apologista de que os pais do bebé devem estimular o bebé na barriga, ou seja ainda no útero, uma vez que os diferentes estímulos trazem benefícios, a curto, médio e longo prazo, ao desenvolvimento cognitivo do bebé e ao seu relacionamento afetivo com os pais, ajudando simultaneamente, a reduzir o risco de depressão pós-parto.

Durante as 40 semanas de gestação, o bebé, dentro do útero, não fica isolado num espaço escuro sem ouvir, ver ou sentir nada, pelo contrário, ele recebe estímulos do mundo externo e vai vivenciado as sensações e emoções que a mãe vive. O bebé consciente do que se passa à sua volta, responde aos diferentes estímulos através dos batimentos cardíacos, dos movimentos e através da sucção, sendo frequente visualizar nas ecografias o bebé a fazer do dedo uma chupeta.

Existem várias formas distintas de estimular o bebé na barriga, vamos abordar as mais usadas.

6 formas de estimular o bebé na barriga


1. Tocar na barriga ou massajá-la

estimular o bebe na barriga e tocar na barriga

Praticamente todas as grávidas tocam nas suas barrigas, logo desde o inicio da gravidez, sendo uma das formas mais simples e eficazes de dar carinho ao bebé que está a crescer na sua barriga, e uma das maneiras possíveis de ela dizer ao seu bebé “estou aqui”.

A partir da 8ª semana de gravidez, o bebé começa a sentir o toque e isso deixa-o mais relaxado, e ele até pode responder ao toque mexendo-se dentro do útero, ou numa fase mais tardia da gravidez, devido à falta de espaço para se mexer, pode empurrar o útero com as mãos ou com os pés.

Outro benefício do toque é que ele auxilia a gestante a ficar mais estável emocionalmente ao tranquilizá-la, o que pode contribuir para um parto mais saudável e sem complicações.

2. Conversar com o bebé

crianca a falar com bebe na barriga

É quase instintivo, pois quase todos os pais passam a falar para a “barriga” a partir do momento que descobrem que estão “grávidos”, e apesar de para muitas pessoas essa atividade parecer não fazer sentido, a ciência comprova que é uma das formas mais eficazes de estimular o bebé na barriga, devendo ser francamente incentivado o diálogo, principalmente por parte dos pais.

Embora no começo ainda tudo pareça muito abstrato, a barriga começa a crescer e pouco a pouco os pais vão criando uma relação de carinho e amor, mesmo com o bebé ainda dentro do útero.

Há estudos que apontam que a conversa entre a mãe e o filho também liberta substâncias no sangue materno que gera uma sensação familiar e de acolhimento ao bebé, transmitindo a sensação de conforto e segurança, para além de ajudar no processo de formação em linguagem.

Faça com que toda a família participe das atividades e que criem laços com ele, pois quando ele conhecer o mundo já estará familiarizado com as vozes das pessoas ao redor.

3. Musicoterapia

gravida e musica para o bebe

Outra forma eficaz de estimular o bebé na barriga, para além de conversar com o bebé, é colocá-lo em contato com outros sons, é importante para oferecer estímulos, e uma das melhores formas para isso é através da música. A partir das 25 semanas de gravidez, deve colocar os phones ligados a um sistema de emissão de som, encostados à barriga da mãe.

Nesta fase, o ouvido do bebé já está suficientemente desenvolvido para conseguir ouvir as diferentes vozes e sons provenientes do exterior da barriga, conseguindo reconhecer estímulos como a música.

Deve optar por canções calmas e tranquilas, como cantigas infantis, músicas instrumentais ou até mesmo sons da natureza, pois geralmente a música provoca o relaxamento no bebé.

A música tem um grande poder no desenvolvimento do sistema neurológico do feto, em especial no hipocampo. Esta área está envolvida na aprendizagem, memória, ansiedade e regulação de stress.

4. Contar histórias ou lenga-lengas

gravida a ler um livro

Esta atividade ajuda a que o bebé consiga reconhecer palavras mais cedo, facilitando o processo de desenvolvimento da linguagem.
Idealmente ambos os pais devem contar histórias ao bebé.

Para além de estimular o bebé na barriga, esta atividade auxilia no desenvolvimento do raciocínio e da percepção sensorial, e permite ao feto experienciar as diferentes vibrações e emoções contidas na fala dos pais na hora de ler a história.

No pós-parto, continue a ler as mesmas histórias que lia durante a gravidez, pois o bebé poderá ser capaz de reconhecer o enredo e essa associação remeterá ao período no útero, podendo acalmá-lo e relaxá-lo.

5. Apanhar sol

gravida a apanhar sol

A exposição ao sol ajuda o organismo a produzir vitamina D, o que ajuda no desenvolvimento de ossos fortes, evita o surgimento de problemas cardíacos.

Às 16 semanas, os olhos do bebé estão desenvolvidos o suficiente para detectarem luz do “mundo exterior”. Ainda que o interior do útero seja uma escuridão incontornável, a luz do sol é forte o suficiente para penetrar a pele da grávida e iluminar o “ninho do bebé”.

É aconselhada uma exposição cuidadosa por parte da mãe, com aplicação prévia de protetor solar, no mínimo 20 minutos todos os dias.

6. Atividade física específica

gravida e yoga

Alguns tipos de exercícios físicos indicados para gestantes, oferecem bons estímulos aos bebés, tais como, a hidroginástica e yoga.

A realização de atividade física é benéfica para os dois lados, pois para além de relaxar o bebé, aumenta a disposição da futura mãe, o que ajuda na transmissão de boas sensações para o feto.

Atividades aquáticas ajudam a lidar com o peso da barriga, bem como, o movimento da água embala o bebé no interior do ventre, gerando tranquilidade.

Essas atividades devem ser supervisionadas por profissionais aptos e autorizadas pelo médico que acompanha a gestante.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.