Para que serve a ecografia das 32 semanas de gravidez?

A ecografia das 32 semanas é o exame mais importante durante o 3º trimestre, e fornece informações fundamentais para se averiguar a evolução fetal.

Para que serve a ecografia das 32 semanas de gravidez?
Saiba mais sobre este exame pré-natal.

A ecografia das 32 semanas ou a ecografia do 3º trimestre é um exame de diagnóstico pré-natal que serve essencialmente para avaliar o desenvolvimento do feto, através do estudo (doppler) da circulação fetal e da placenta, bem como excluir possíveis malformações que possam surgir nesta fase final da gravidez.

De acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), a grávida deverá realizar uma ecografia por trimestre para avaliar o bem-estar do feto e a sua evolução.

Esta ecografia já não é tão emocionante para os pais como as anteriores, devendo-se ao facto de nesta fase, a maioria já sabe o sexo do bebé e como o bebé já está relativamente grande, será mais difícil visualizar o bebé na sua totalidade, bem como observá-lo a mexer, pois já ocupa a grande parte da bolsa amniótica.

Ecografia das 32 semanas: pontos importantes a reter


1. Quando deve realizar?

ecografia das 32 semanas

A ecografia das 32 semanas deverá ser sempre realizada entre a 30ª e a 32ª semana + 6 dias de gravidez.

2. Porque é tão importante a ecografia das 32 semanas?

bebe na barriga da mae

Este exame é importante pois, fornece um conjunto de informações valiosas ao médico especialista, que serão fundamentais no acompanhamento do restante tempo de gestação, bem como durante o momento do parto.

Os objetivos deste exame são:

  • Determinar a posição do feto (sendo que, provavelmente, já estará na posição cefálica, ou seja, de cabeça para baixo), de forma a auxiliar o médico na decisão de que tipo de parto a mãe deverá ter;
  • Determinar a quantidade de líquido amniótico existente, uma vez que uma pequena quantidade de líquido poderá induzir um parto prematuro;
  • Verificar se o feto se está a desenvolver corretamente:
    • Medição do comprimento do fémur;
    • Avaliação do perímetro cefálico e da circunferência abdominal;
    • Determinação aproximada do tamanho e peso do bebé no momento, e do tamanho esperado no momento do parto.
  • Avaliar a localização e estado da placenta, isto é importante na medida em que a gravidez avança e a placenta também envelhece, mas em alguns casos envelhece mais rapidamente, o que pode afetar a capacidade de nutrir e fornecer oxigénio ao bebé na totalidade. Se a placenta não estiver bem localizada poderá ser necessário uma cesariana;
  • Detetar malformações fetais de aparecimento tardio;
  • Avaliar a fluxometria do cordão umbilical e do feto (avaliação da circulação placentar e fetal).

3. Como é realizada a ecografia?

realizacao de ecografia

Este exame é realizado da mesma forma que a 1ª ou a 2ª ecografia da gravidez, ou seja, a realização desta ecografia não necessita de qualquer preparação nem cuidado prévio.

A grávida deverá permanecer deitada durante o exame e ser-lhe-á  colocado um ecógrafo sobre o abdómen, após a aplicação de um gel que facilita a emissão e a recepção dos ultra-sons.

4. Quais os riscos associados?

ecografia bebe

Por se tratar de um exame não invasivo e indolor, onde não se verifica a emissão de radiação, este exame não apresenta riscos associados, tanto para o feto, como para a mãe, podendo ser realizado as vezes que forem necessárias ao longo da gravidez.

Após as 32 semanas, no caso de situações de gravidez de risco (hipertensão, diabetes, atraso de crescimento intra-uterino, etc.) poderá justificar-se a realização de mais ecografias, no entanto, esta decisão caberá ao seu médico obstetra.

Poderá existir a necessidade da realização de outros exames complementares de diagnóstico para esclarecimento de situações clínicas detetadas.

Veja também:

Enfª Bárbara Andrade Enfª Bárbara Andrade

Bárbara Andrade é Enfermeira Especialista em Reabilitação e Formadora em várias entidades. Desta forma, tem como princípios a promoção e a educação para a Saúde nas diferentes faixas etárias. Terminou a Especialidade em Enfermagem de Reabilitação na ESEnfCVPOA e exerce atualmente o cargo de enfermeira no CHEDV - HSS.