x

Drenagem linfática na gravidez: risco ou benefício?

A drenagem linfática na gravidez contribui para uma redução significativa do líquido retido no corpo, diminuindo os inchaços característicos desta fase.

 
Powered by: BodyScience
Drenagem linfática na gravidez: risco ou benefício?
Pode ser muito útil, além de prazerosa para a grávida

A drenagem linfática na gravidez é feita para um melhor conforto da mãe, pois diminui os pés inchados e é muito prazerosa. Ao longo das prováveis 39 semanas de gestação, o organismo da mãe necessita de adaptações fisiológicas e anatómicas, que culminam em alterações funcionais ou metabólicas. O aparecimento de sinais e sintomas, como dor de cabeça, tonturas, formigueiro, cansaço fácil, fadiga constante, dores lombares e edema, principalmente, em membros inferiores, são queixas habituais (1).

O que é a drenagem linfática?


drenagem linfática

A drenagem linfática manual é uma metodologia de massagem que tem objetivos bem definidos, tendo sido desenvolvida por Vodder e, depois, por Leduc. A diferença entre os dois métodos está na distinção dos movimentos ou procedimentos utilizados. Vodder apresenta manobras mistas, extensas, passivas; Leduc expõe procedimentos protocolados para algumas doenças, cujas manobras são mais limitadas que as de Vodder.

Portanto, a drenagem linfática é um procedimento criado com o objetivo de auxiliar no funcionamento do sistema linfático, uma técnica altamente especializada, feita com pressões suaves, lentas, intermitentes e relaxantes, que seguem o trajeto do sistema linfático, melhorando algumas de suas funções.

Este processo estimula a drenagem de líquidos e a defesa imunológica, aumentando a diurese ( produção de urina) e a eliminação de toxinas, promovendo, assim, o equilíbrio do organismo.

A drenagem linfática na gravidez exerce ação tranquilizante e relaxante; beneficia o sistema nervoso parasimpático, a parte do sistema nervoso autónomo que preside à recuperação de forças e à regeneração de tecidos. Quando se inicia o tratamento, a maioria das pacientes sente que os músculos relaxam (2).

Drenagem linfática na gravidez


drenagem linfática na gravidez

A drenagem linfática é, portanto, uma terapia especialmente indicada para a mulher grávida, pois propicia uma redução significativa do líquido retido no corpo, melhorando a oxigenação dos músculos e diminuindo os inchaços característicos desta fase. A drenagem dinamiza a circulação, que nesse período costuma ficar menos enérgica devido à maior quantidade de sangue circulante na grávida.

Entre as suas indicações está o tratamento para edema gestacional. O edema na gravidez deve ser acompanhado pela equipa médica, pois pode ser um sinal para o desenvolvimento de hipertensão ou pré-eclâmpsia. O edema da gravidez não tem necessariamente um cunho patológico e pode ser encontrado em 30-40% das grávidas nos pés e tornozelos e em 5% sob forma distribuída.

A drenagem linfática na gravidez além de prevenir as complicações decorrentes da gestação, auxiliando no alívio de problemas circulatórios e musculares, previne outros problemas associados às mudanças hormonais, tais como: enxaqueca, insónia, constipação intestinal e cansaço.

Habitualmente, podem ser feitas até duas sessões por semana. Em alguns casos, o médico pode indicar até três vezes (2).

Por que a grávida tem os pés inchados?


A distribuição do volume de líquido nos membros inferiores durante a gravidez e o pós parto, pode ser atribuída a inúmeros fatores, sendo identificada entre as mudanças que mais metem confusão às grávidas. De entre os mecanismos que propiciam a formação do edema, destaca-se:

  • Estase venosa, dificuldade de retorno sanguíneo dos membros inferiores para a circulação;
  • Os mecanismos mecânicos, como a pressão exercida pelo útero gravídico sobre os grandes vasos abdominais, a pressão intra-abdominal aumentada e, principalmente, a compressão da artéria aorta e da veia cava inferio, quando a mulher está deitada de barriga para cima.
  • Maior permeabilidade capilar, passagem de substâncias dos vasos sanguíneos para o espaço extracelular;
  • Produção de hormónios (3).

Outros sintomas que a drenagem linfática na gravidez pode tratar


drenagem linfática na gravidez

O edema acumulado de modo anormal nos membros inferiores pode causar a compressão do nervo cutâneo femoral lateral da coxa. Quando o edema está localizado sobre o tornozelo, pode comprimir o nervo tibial posterior ocasionando parestesias, cãibras e fraqueza muscular. A drenagem pode diminuir estas queixas e melhorar a qualidade de vida da grávida (1).

Quando é que a drenagem linfática na gravidez é contra indicada?


A drenagem linfática na gravidez é contra indicada nas seguintes situações:

  • Em casos de síndromes hipertensivas, a drenagem linfática manual é contra indicada. Se a grávida já tiver as tensões altas, deve sempre perguntar ao seu médico se pode realizar este tipo de massagem;
  • Em grávidas com menos de 13 semanas, pois há um estímulo à circulação sanguínea e ao aumento do metabolismo basal que, em alguns casos, pode estimular a contração uterina;
  • Em casos de insuficiência renal;
  • Na trombose;
  • Nas infeções e lesões de pele;
  • Caso a grávida se sinta mal durante o procedimento.

Se a grávida apresentar qualquer alteração nas tensões ou se sinta mal, é necessário que seja interrompida a massagem e o profissional preste atendimento adequado e imediato, visto que o motivo pode ser a elevação da pressão arterial e pode ocorrer uma parada cardíaca. É fundamental que o profissional tenha conhecimentos sobre manobras de Primeiros Socorros.

Quanto maior o aumento de peso na gravidez, mais frequente o edema. Se a grávida tiver as tensões altas antes de engravidar ou desenvolvê-la no decorrer da gravidez, em conjunto com aumento da quantidade de albumina nas análises do sangue, deve sempre ser seguida pelo seu médico ginecologista (1).

Onde fazer a drenagem linfática?


BodyScience tem clínicas abertas em Lisboa, Porto, Braga, Guimarães ou Póvoa de Varzim e disponibiliza a primeira consulta de forma totalmente gratuita e sem compromisso. Se precisa de fazer uma drenagem linfática porque se sente verdadeiramente inchada e cansada, esta é uma boa sugestão. Terá ao seu dispor uma equipa multidisciplinar e especializada para cuidar de si.

Veja também:

Fontes

1. FERNANDES, A. (2019). “Efeitos da drenagem linfática em gestantes com doenças hipertensivas”. Revisão da literatura. Disponível em http://portal.unisepe.com.br/unifia/wp-content/uploads/sites/10001/2019/02/014_EFEITOS-DA-DRENAGEM-LINF%C3%81TICA-EM-GESTANTES-COM-DOEN%C3%87AS-HIPERTENSIVAS.pdf
2. SILVA, M. (2013). “Faculdade Ávila Gestação: Benefícios da drenagem linfática no terceiro trimestre da gravidez”. Disponível em https://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/39/06_-_GestaYYo_BenefYcios_da_drenagem_linfYtica_no_terceiro_trimestre_da_gravidez.pdf
3. SPAGGIARI, C. (2008). Faculdade de ciências médicas- UNICAMP.” O efeito da drenagem linfática manual em gestantes no final da gravidez. Disponível em: http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/312417/1/Spaggiari_CristinaWenderholm_M.pdf

Danielle Paiva Danielle Paiva

Licenciada em Medicina e Farmácia & Bioquímica pelo Centro Universitário de Nilton Lins, Danielle também é Mestre em Engenharia Industrial e Qualidade pela Universidade do Minho. Atualmente é voluntária na Cruz Vermelha onde desenvolve diversas ações de saúde.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].

Danielle Paiva Danielle Paiva

Licenciada em Medicina e Farmácia & Bioquímica pelo Centro Universitário de Nilton Lins, Danielle também é Mestre em Engenharia Industrial e Qualidade pela Universidade do Minho. Atualmente é voluntária na Cruz Vermelha onde desenvolve diversas ações de saúde.