As 9 doenças mais fatais que precisa conhecer

Segundo a Organização Mundial de Saúde, no topo das doenças mais fatais estão as doenças cardiovasculares. Só em 2012, mataram 17,5 milhões de pessoas.

As 9 doenças mais fatais que precisa conhecer
Preste atenção ao seu coração

No pódio das doenças mais fatais no mundo está a doença isquémica cardíaca, seguida do acidente vascular cerebral (AVC) e de infeções das vias respiratórias inferiores.

As doenças não transmissíveis foram responsáveis por 68% de todas as mortes no mundo em 2012. As quatro principais doenças não transmissíveis são as doenças cardiovasculares, o cancro, a diabetes e as doenças pulmonares crónicas. Doenças transmissíveis, neonatais, maternas e de nutrição foram responsáveis por 23% das mortes no mundo e os acidentes por 9% de todas das mortes, de acordo com dados de 2012.

9 Doenças mais fatais que precisa conhecer


1. Doença isquémica cardíaca

doencas mais fatais doenca isquemica cardiaca

A doença isquémica cardíaca é responsável por 7,4 milhões de mortes e é a maior assassina mundial. É o resultado da aterosclerose, ou seja, quando se depositam nas artérias resíduos que impedem o fluxo do sangue e atrapalham o ritmo do coração.

O estreitamento das artérias pode causar enfarte do miocárdio ou angina de peito. Hipertensão arterial, diabetes, tabaco e o colesterol alto são os grandes responsáveis. Porém, exercício físico diário, uma alimentação equilibrada e o peso controlado, ajudam a diminuir o risco.

2. Acidente vascular cerebral

doencas mais fatais avc

Quando uma artéria no cérebro é bloqueada ou vaza, dá-se um acidente vascular cerebral. Se privadas de oxigénio, as células cerebrais começam a morrer em poucos minutos e os danos podem ser irreversíveis. Em 2012, morreram 6,7 milhões de pessoas de AVC.

Os fatores são semelhantes aos anteriores, por isso, tenha atenção à pressão arterial, aos diabetes, ao colesterol, deixe de fumar, controle o peso e faça uma caminhada diária.

3. Doença pulmonar obstrutiva crónica

doencas mais fatais doenca pulmonar obstrutiva cronica

O tabaco é a principal causa desta doença e, como as anteriores, pode ser evitada. A obstrução das vias respiratórias é progressiva, sendo possível que não dê conta dos sintomas até que a doença esteja avançada.

Esteja atento à tosse e a expectoração crónicas que são os primeiros sintomas, seguindo-se da falta de ar e o cansaço quando respira.

Apesar de crónica, ou seja, sem cura, pode impedir a progressão da doença ou prevenir o aparecimento: comece por deixar de fumar.

Saiba mais sobre esta doença aqui >>

4. Doenças das vias respiratórias inferiores

doencas mais fatais doencas das vias respiratorias inferiores

Em todo o mundo, 3,1 milhões de pessoas morrem de doenças nos pulmões, alvéolos pulmonares, traqueia, brônquios e bronquíolos. Este grupo de doenças inclui a pneumonia, a bronquite ou a gripe.

Alimente-se bem para manter o sistema imunitário em alta, hidrate-se, faça exercício físico com regularidade, agasalhe-se bem, principalmente em alturas de muito frio, mas areje a casa ou o escritório para evitar a concentração de bactérias.

5. Cancro da traqueia, brônquios, e pulmão

doencas mais fatais cancro do pulmao

O cancro da traqueia, brônquios e pulmão é a quinta doença mais fatal no mundo, sendo responsável pela morte de 1,6 milhões de pessoas pelo globo, cerca de 2,9% de todas as mortes.

O tabagismo, o fumo passivo e as toxinas ambientais são as principais causas para o aparecimento desta doença que pode ser fatal.

6. HIV/Sida

doencas mais fatais HIV

O HIV é um vírus que ataca o sistema imunológico e pode causar SIDA – síndrome de imunodeficiência adquirida – uma doença crónica para o resto da vida. Já quase 39 milhões de pessoas morreram devido a esta doença. Só em 2012, foram 1,5 milhões.

Somente em secreções como sangue, esperma, secreção vaginal e leite materno, o vírus aparece em quantidade suficiente para causar alguma diferença.

Para haver a transmissão do vírus, o líquido contaminado de uma pessoa tem que penetrar no organismo de outra. Isto pode acontecer através de relações sexuais (heterossexual ou homossexual), compartilhamento de seringas, acidentes com agulhas e objetos cortantes infectados, transfusão de sangue contaminado, transmissão vertical da mãe infectada para o feto durante a gestação ou no trabalho de parto e a amamentação.

O preservativo é a forma mais eficaz de prevenir as doenças sexualmente transmissíveis, em qualquer relação sexual (anal, oral e vaginal). Proteja-se e tome as devidas precauções sempre que tiver relações sexuais com algum parceiro que não seja habitual.

7. Diarreia

doencas mais fatais diarreia

Se a diarreia durar mais do que alguns dias, o corpo perde muita água, sal e pode morrer por desidratação. A diarreia é um infeção intestinal transmitida por vírus, bactérias ou parasitas presentes na água ou alimentos contaminados. É responsável por matar 1,5 milhões de pessoas.

Comportamentos saudáveis, como lavar bem as mãos, podem reduzir a incidência de doenças diarreicas em 40%, melhores condições sanitárias e da água, e uma intervenção médica precoce também fazem a diferença.

8. Diabetes mellitus

doencas mais fatais diabetes

A diabetes afeta a produção e utilização da insulina. Na diabetes tipo 1, o pâncreas não consegue produzir insulina. Na diabetes de tipo 2, o pâncreas não produz insulina suficiente ou a que produz não pode ser utilizada de forma eficaz. Neste caso, uma dieta pobre, falta de exercício e uns quilos a mais podem estar na origem da doença.

Mais uma vez, uma alimentação equilibrada e exercício físico diário podem prevenir esta e outras doenças.

9. Cardiopatia hipertensiva

doencas mais fatais tensao arterial

A tensão arterial elevada provoca um esforço no coração porque o obriga a trabalhar mais para bombear o sangue pelas artérias. A cardiopatia hipertensiva é uma das principais causas do ataque cardíaco, derrame e por isso uma das doenças mais fatais no mundo.

A ingestão excessiva de álcool, o tabaco, uma alimentação desregrada e o sedentarismo são as principais causas para o aparecimento desta doença.

Veja também:

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].