As 4 doenças mais comuns em gatos: conheça-as bem

Se tem um gato ou está a pensar adotar um, deve conhecer as doenças mais comuns em gatos e quais os seus sintomas. Fique atento e ajude o seu animal.

Powered by: Vetecare
As 4 doenças mais comuns em gatos: conheça-as bem
Por norma os gatos não manifestam sinais óbvios de doença.

Tal como quaisquer outros animais, os felinos têm tendência para uma série de complicações específicas. É importante saber quais as doenças mais comuns em gatos e os seus primeiros sinais, de forma a diagnosticar logo o problema e resolvê-lo.

Os gatos são animais muito peculiares. Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, um gato não é um “cão pequeno”. Os gatos são particulares no que se refere à sua fisionomia, fisiologia e comportamento.

São conhecidos por terem “sete vidas” porque são animais extremamente resistentes e quando estão doentes raramente o demonstram. Isto deve-se aos seus antepassados na vida selvagem. Estes para além de serem predadores, são também presas. Desta forma, dificilmente demonstrava qualquer sinal de fraqueza, como um instinto de proteção própria contra os seus predadores.

Doenças mais comuns em gatos: como reconhecer sinais de doença em gatos?


doencas mais comuns em gatos gato isolado

Por terem adquirido este instinto dos seus ancestrais, é muito difícil perceber quando um gato está doente. Ao contrário dos cães, que procuram o dono, como que pedindo ajuda, gemem, vocalizam e manifestam outros sintomas de desconforto, os gatos têm tendência para se isolar.

É importante estar atento, e perceber os primeiros sintomas de doença no seu felino, pois, regra geral, quando manifestam algum sinal mais óbvio, já se encontram numa fase mais avançada de doença.

Alguns sinais de doença específicos dos gatos:

  • Isolamento;
  • Esconderem-se das pessoas e/ou outros animais;
  • Alterações de comportamento;
  • Agressividade.

Para evitar gastos inesperados, saiba que com o Plano de Saúde Vetecare Platinium pode poupar em tratamentos e consultas e, por apenas 13€ por mês, tem acesso a uma vasta rede de profissionais que podem ajudar no tratamento do seu amigo de quatro patas.

 

4 Doenças mais comum em gatos


doencas mais comuns em gatos gato doente

Há uma variedade enorme de doenças que podem afetar os gatos. Umas afetam apenas os felinos, outras podem ser transversais a outras espécies, incluindo o Homem.

No entanto, devido à sua fisionomia, há doenças que aparecem com bastante frequência em gatos.

1. Doença do trato urinário inferior

Este grupo de doenças, também conhecida como Síndrome Urológico Felino, engloba todo o tipo de problemas que afeta o sistema urinário, dos rins para baixo, nomeadamente, bexiga e uretra.

Esta síndrome afeta principalmente gatos machos castrados. No entanto ,há outros fatores que predispõem o seu aparecimento, como por exemplo, obesidade, stress, tipo e qualidade de alimentação e quantidade de ingestão de água diária.

Os sintomas desta síndrome incluem:

  • Hematúria (urina com sangue);
  • Polaciúria (aumento de frequência de micção e diminuição da quantidade de urina em cada micção);
  • Anúria (não urina);
  • Vocalização no momento da micção;
  • Micção fora da caixa de areia;
  • Estrangúria (micção de uma forma lenta e às pingas).

Se o seu gato apresentar um ou mais sintomas referidos anteriormente, deve consultar de imediato o seu médico veterinário, pois este tipo de situação pode ter consequências muito severas, principalmente se houver uma obstrução urinária provocada por cálculos em que o gato não consegue urinar, podendo levar à sua morte.

2. Insuficiência Renal Crónica

A insuficiência renal crónica é uma doença que está ligada geneticamente ao gato devido à conformação dos seus rins.

É uma doença crónica, que ocorre durante um período alargado e normalmente antes de aparecerem sintomas significativos a doença já se iniciou há vários meses ou anos. Normalmente ocorre em gatos mais velhos.

As causas podem ser variadas, como tumores ou infeções, no entanto, na maioria dos casos, a origem desta insuficiência é desconhecida.

No início da doença as porções do rim saudáveis compensam as zonas lesionadas, havendo uma sobrecarga do rim. A doença vai progredindo desta forma até chegar uma altura em que as zonas saudáveis escassas não são capazes de compensar as porções de rim não funcional, e é aí que começam a aparecer os sintomas.

Sinais de insuficiência renal:

  • Polidipsia (aumento de ingestão de água);
  • Poliúria (aumento de frequência urinaria);
  • Falta de apetite;
  • Letargia;
  • Vómitos;
  • Náusea;
  • Mau hálito.

O diagnóstico da insuficiência renal crónica faz-se por ecografia, análises sanguíneas e à urina. No entanto, se o seu gato manifestar algum dos sintomas anteriormente mencionados deve aconselhar-se com o seu médico veterinário logo que possível.

Esteja atento aos sinais iniciais, como a poliúria e polidipsia, pois fazendo o diagnóstico nesta fase inicial pode ser crucial.

O tratamento baseia-se no maneio através da alimentação e medicação, no entanto, não existe uma cura. O objetivo é manter o animal confortável e estável.

3. Gengivite

A gengivite é uma das doenças mais comuns em gatos, sendo que afeta gatos de qualquer idade.

As causas da gengivite podem ser várias, desde vírus (Leucemia Felina – FeLV, Sida Felina – FIV, Calicivírus, Herpesvírus), bactérias (Clamídia) ou doenças auto-imunes. Também pode ser causada pela acumulação de bactérias e sujidade nos dentes e gengivas, que formam uma placa.

A gengivite é uma fase inicial da periodontite, em que há uma infeção de toda a boca e não apenas das gengivas. Desta forma, é importante estar atento aos sinais para evitar que a doença progrida.

Sinais de gengivite:

  • Dificuldade em mastigar;
  • Anorexia (deixar de comer);
  • Halitose (mau hálito);
  • Dor à manipulação na zona do focinho/boca;
  • Sangramento gengival.

O tratamento consiste em antibióticos e anti-inflamatórios prescritos pelo seu médico veterinário. No entanto, o tratamento pode ser moldado consoante a causa da gengivite.

4. Coriza

A Rinotraqueíte Felina, vulgarmente conhecida por “coriza” ou “constipação dos gatos” é uma doença viral felina causada por Herpesvírus ou Calicivírus.

É uma doença altamente infecciosa que se transmite por contacto direto entre o gatos através de secreções, nomeadamente espirros.

Sintomas de coriza em gatos:

  • Espirros;
  • Conjuntivite;
  •  Secreção ocular;
  •  Ruídos respiratórios;
  • Tosse.

Normalmente, em gatos adultos e saudáveis a doença tem um bom prognóstico e é tratada com medicamentos prescritos pelo seu médico veterinário. No entanto, é preciso estar atento aos primeiros sintomas pois se não for tratada pode facilmente evoluir para uma pneumonia.

Caso a doença afete os olhos e não sejam tratados numa primeira fase, pode cursar com cegueira. Nunca administre medicamentos, especialmente nos olhos sem uma prescrição médico-veterinária.

Gatinhos jovens, idosos ou com as defesas em baixo podem também ser mais suscetíveis, mais difíceis de tratar e desenvolver outras complicações secundárias severas.

Conclusão…


Algumas doenças em gatos podem colocar a sua vida em risco. É de extrema importância que os tutores estejam informados acerca dos sinais que os seus felinos manifestam nas doenças mais comuns em gatos, para que os identifiquem e possam contactar o médico veterinário o mais cedo possível.

Desta forma, com a atenção dos tutores, é possível que o diagnóstico de qualquer doença seja feito de uma forma mais célere e evitar uma consequência mais severa. Para que possa sempre assegurar o melhor tratamento para o seu animal, o Plano de Saúde Vetecare Platinum pode ser uma ajuda valiosa. Saiba todas as condições aqui.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.