Doença de Lyme: prevenção, sintomas e tratamento

A doença de Lyme é causada pela bactéria Borrelia burgdorferi que é geralmente transmitida às pessoas por carraças infetadas. Quando não tratada, esta pode traduzir-se numa série de sintomas perigosos que rapidamente tratados.

Doença de Lyme: prevenção, sintomas e tratamento
Os sintomas podem aparecer até 30 dias depois de ser picado.

A doença de Lyme não tratada, pode produzir uma ampla gama de sintomas, dependendo do estadio da infecção. Estes incluem:

  • Febre;
  • Erupção cutânea;
  • Paralisia facial;
  • Artrite.

Caso resida numa área conhecida pela doença de Lyme ou tenha viajado recentemente para uma área nestas condições e observe algum destes sintomas ou ainda caso tenha uma picada de carraça procure atendimento médico.

Já foram detectados casos de doença de Lyme em 47 estados dos Estados Unidos, para além de outros países e regiões planetárias que incluem a Europa (incluindo Portugal) e o norte da Ásia, incluindo Rússia, China, Japão, Austrália e Argentina.

Geralmente, a doença de Lyme ocorre no verão e no início do outono, afetando mais frequentemente as crianças e os adultos jovens que habitam áreas florestais.

Há cerca de 25 casos por 100 000 habitantes por ano na Europa.

A doença de Lyme é diagnosticada com base em sintomas, e sinais físicos (por exemplo, erupção cutânea), tendo em conta a possibilidade de exposição a carraças infetadas.

Se não for tratada, a infecção pode se espalhar para as articulações, o coração e o sistema nervoso.

SINAIS E SINTOMAS DA DOENÇA DE LYME


Sinais e sintomas iniciais (3 a 30 dias após a exposição)

doenca de lyme e febre alta

  • Febre, arrepios, dor de cabeça, fadiga, dores musculares e articulares;

Eritema migrans (erupção cutânea):

  • Ocorre em aproximadamente 70 a 80% das pessoas infetadas;
  • Começa 7 dias após a picada, em média;
  • Expande-se gradualmente ao longo do tempo, podendo atingir 30cm;
  • Pode sentir-se quente ao toque, mas raramente provoca dor ou comichão.

Sinais e sintomas posteriores (dias a meses após a exposição)

artrite nas articulacoes

  • Dores de cabeça severas e rigidez do pescoço;
  • Erupções cutâneas adicionais noutras áreas do corpo;
  • Artrite com dor nas articulações e inchaço, particularmente os joelhos;
  • Paralisia facial;
  • Dor intermitente nos tendões, músculos, articulações e ossos;
  • Palpitações cardíacas ou batimentos cardíacos irregulares (cardite de Lyme);
  • Episódios de tonturas ou falta de ar.

 

TRATAMENTO DA DOENÇA DE LYME


tratamento com antibioticos

A maioria dos casos de doença de Lyme pode ser tratada com sucesso através de algumas semanas de antibióticos.

As pessoas tratadas com antibióticos apropriados nos estadios iniciais da doença de Lyme, geralmente, recuperam rapida e completamente. Os antibióticos comummente utilizados para tratamento oral incluem doxiciclina, amoxicilina ou cefuroxima. Pessoas com certas formas de doença neurológicas ou cardíacas podem exigir tratamento intravenoso com antibióticos como ceftriaxona ou penicilina.

É absolutamente essencial cumprir os prazos estipulados pelo médico na toma dos antibióticos, mesmo que entretanto se sinta recuperado.

COMO PREVENIR A DOENÇA DE LYME


spray repelente

As pessoas devem adotar precauções para evitar serem picadas pelas carraças, tais como:

  • Permanecer nos caminhos e trilhos nas áreas florestais;
  • Não se sentar no chão ou muros de pedra;
  • Vestir camisolas de manga comprida;
  • Vestir calças compridas e usar as meias por fora das calças;
  • Vestir roupas de cores claras, pois permite ver as carraças com maior facilidade;
  • Aplicar repelentes de insetos diretamente na pele e na roupa.

A doença de Lyme é transmitida por carraças de tamanho muito pequeno (mais pequeno que as dos cães, por exemplo), pelo que as pessoas expostas devem inspecionar diariamente e cuidadosamente o corpo.

As carraças precisam, geralmente, de mais de 1 dia e meio para transmitir a doença, pelo que fazer esta inspeção pode mesmo impedir o seu desenvolvimento. Se a carraça for descoberta no prazo máximo de 24 horas depois de se alojar no ser humano, a probabilidade de ficar infetado com a bactéria é baixa.

Para a remover devem ser utilizadas pinças pontiagudas, para agarrar a cabeça, não devendo o corpo ser esmagado nem agarrado.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.

Cofidis