Sabe porque algumas pessoas têm dificuldade em assumir um compromisso?

A dificuldade em assumir um compromisso pode causar grande desequilíbrio de poder entre as duas pessoas envolvidas, complicando o futuro de uma relação.

Sabe porque algumas pessoas têm dificuldade em assumir um compromisso?
A dedicação é essencial para a qualidade da relação

É o estabelecimento do compromisso que permite que, numa relação amorosa, os elementos do casal sintam segurança e estabilidade, ingredientes importantes numa relação de sucesso. Todavia, há pessoas que manifestam dificuldade em assumir um compromisso, o que pode pôr em causa o futuro da relação a dois.

O compromisso amoroso


dificuldade em assumir um compromisso casal no cafe

No âmbito de uma relação amorosa, podemos definir compromisso como um sentimento de dedicação e um desejo de continuidade da relação, que implicam a não consideração de outras alternativas e o investimento na relação e no parceiro. Implica desejo e disposição para manter ou melhorar a qualidade da relação para benefício de ambos os parceiros, articulação de sonhos e objetivos pessoais e preocupação com o bem-estar do parceiro e não apenas com o próprio bem-estar.

Naturalmente, a noção de compromisso de cada um de nós não é alheia aos valores e crenças relacionados com a família, casamento e obrigações com os filhos, que possuímos.

Alguns autores afirmam que o grau de dedicação e compromisso amoroso podem ser avaliados tendo em conta estas 6 dimensões centrais:

  1. Agenda relacional: grau em que a pessoa quer continuar a relação;
  2. Primazia da relação: nível de prioridade que a relação tem na hierarquia das atividades pessoais;
  3. Identidade de casal: grau em que o indivíduo pensa na relação como uma equipa e em que tenta maximizar os resultados do conjunto;
  4. Satisfação com o sacrifício: grau de satisfação em fazer coisas que são para o benefício do parceiro;
  5. Consideração de alternativas: consideração de parceiros alternativos ao parceiro atual;
  6. Metacompromisso: nível de compromisso que cada um tem com os compromissos de um modo global; valor que cada indivíduo traz para a relação.

Em suma, o compromisso amoroso leva a que as pessoas tenham uma visão a longo prazo das suas relações amorosas e implica que sejam colocados em prática uma grande variedade de comportamentos que contribuem para a continuidade da relação, quer nos bons, quer nos maus momentos.

Porque é que algumas pessoas têm dificuldade em assumir um compromisso?


dificuldade em assumir um compromisso desilusao amorosa

Se algumas pessoas são extremamente claras acerca do seu desejo de alcançar uma relação amorosa sustentável a longo prazo, outras pessoas não se mostram assim tão interessadas em manter uma relação permanente.

O que acontece é que, por vezes, está presente uma certa ambivalência e dificuldade em assumir um compromisso. Algumas pessoas podem mostrar-se inseguras e confusas acerca daquilo que desejam de uma relação amorosa, acabando por enviar mensagens igualmente confusas àqueles com quem se envolvem romanticamente.

Assim sendo, quando esta ambivalência está presente, persiste uma grande dificuldade em definir com clareza a natureza e o futuro da relação. Se algumas vezes estas pessoas até parecem desejar que a relação amorosa seja permanente, noutras situações tentam a todo o custo fugir da trajetória tradicionalmente seguida pelas relações amorosas de longa duração.

São vários os autores que tentaram justificar esta ambivalência e esta dificuldade em assumir um compromisso amoroso. Algumas das explicações mais apontadas são:

  • Desilusão com relações amorosas passadas: relações desastrosas no passado podem desenvolver medo de viver um novo fracasso;
  • Questões de vida não resolvida e confusão existencial: as dificuldades de compromisso podem estender-se a vários domínios da vida e não apenas às relações românticas;
  • Intensos sentimentos de ansiedade: que aumentam e se tornam mais assustadores à medida que a relação amorosa progride e a expectativa de um compromisso é maior. A esmagadora ansiedade sentida pode levar a que, em situações em que sejam pressionadas a assumir um compromisso, estas pessoas optem por abandonar a relação amorosa;
  • Dificuldade em resolver o conflito entre o desejo de intimidade e o desejo de manter a individualidade e a liberdade;
  • Medo de não estar na relação “certa”;
  • Grande insegurança e desconfiança causadas por mágoas passadas;
  • Dinâmicas familiares complicadas ao longo do crescimento.

 

Em suma…


Se para a maioria das pessoas iniciar e manter uma relação amorosa é relativamente simples e natural, outras pessoas podem experienciar alguma dificuldade em assumir um compromisso amoroso. Para estas pessoas, manter uma relação amorosa pode não ser tarefa fácil, causando medos e ansiedades, e interferindo no bem-estar do parceiro e no futuro da relação.

Quando um dos parceiros não está preparado para assumir um compromisso amoroso, a relação pode ficar marcada por uma desigualdade de poder e o bem-estar dos envolvidos pode sofrer alterações. Este dilema deve ser enfrentado de forma honesta e sincera por ambos os parceiros, que devem discutir o estado e o destino da relação amorosa, procurando um entendimento que seja satisfatório e benéfico para ambos.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!