Publicidade:

Diabetes e impotência sexual: uma relação estreita mas ainda pouco conhecida

A relação entre diabetes e impotência sexual é mais estreita do que aparenta e pode causar um desconforto significativo ao homem diabético.

 
Diabetes e impotência sexual: uma relação estreita mas ainda pouco conhecida
A desregulação dos parâmetros metabólicos é a principal causa de impotência em diabéticos

A Diabetes Mellitus é uma doença metabólica que tem como principal consequência a perda da capacidade em controlar os níveis de glicose no sangue (glicemia), o que origina diversas consequências graves como insuficiência renal, problemas visuais, de circulação e, no caso dos homens, também impotência sexual.

Ao longo deste artigo, iremos abordar de forma mais pormenorizada a relação entre a diabetes e a impotência sexual, pois esta é uma situação relativamente frequente na doença, mas ainda pouco explicada e divulgada.

O que é a diabetes?


diabetes e impotencia medicao da glicemia

Como já referido anteriormente, a diabetes é uma doença metabólica silenciosa que pode acarretar consequências graves a longo prazo.

Nesta doença, a perda de capacidade para regular a glicemia deve-se à insuficiente produção de insulina pelo pâncreas, o que resulta numa diabetes tipo 1, à resistência à sua ação, o que corresponde à diabetes tipo 2.

A diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, afetando essencialmente crianças e jovens. Já a diabetes tipo 2 é uma doença que se desenvolve mais tarde, devido, essencialmente, ao excesso de peso e sedentarismo, e em pessoas com idade mais avançada.

Existem ainda mais tipos de diabetes além da tipo 1 e tipo 2, nomeadamente a gestacional, no entanto, não são tão frequentes.

Qual o papel da insulina na diabetes?

A insulina é uma hormona (uma proteína, mais concretamente) que é produzida e libertada pelo pâncreas sempre que ocorre ingestão de alimentos com hidratos de carbono, proteína, ou ambos (isto é, se o pâncreas funcionar corretamente).

Após libertação pelo pâncreas, a insulina entra na corrente sanguínea e é transportada para vários tecidos, sendo os seus maiores recetores o tecido muscular, adiposo e nervoso.

Quando as moléculas de insulina se ligam ao seu recetor presente nas células, permitem a entrada de glicose e também de alguns aminoácidos na célula, reduzindo e normalizando a sua concentração na corrente sanguínea.

Diabetes e impotência: que relação?


diabetes e impotencia homem preocupado

A relação entre diabetes e impotência sexual é complexa e envolve diversos mecanismos fisiológicos diretamente relacionados com as consequências do descontrolo metabólico.

Com efeito, para ter e manter a ereção peniana o homem necessita de estímulos físicos e psicológicos que irão aumentar a circulação sanguínea na área genital.

Uma vez que a ereção é um processo que resulta da irrigação sanguínea do órgão sexual, só existirá um bom desempenho sexual caso todo o sistema circulatório esteja a funcionar corretamente.

Por mais pequena que seja a irregularidade circulatória, pode ser o suficiente para interferir negativamente com a atividade sexual e dar origem a distúrbios como a disfunção eréctil, que é particularmente comum entre indivíduos que sofrem de determinadas doenças crónicas.

Neste sentido, a diabetes pode causar impotência sexual através das alterações vasculares e sensitivas que provoca, as quais podem dificultar a chegada do sangue ao pénis e a sensibilidade, dificultando assim a ereção e o contato íntimo.

Em diabéticos, a disfunção eréctil tende a ser muito comum, e pode ser potenciada por fatores muito distintos, em particular a desregulação dos valores de glicemia.

A medicação tomada por diabéticos para o controlo da pressão arterial também pode provocar disfunção eréctil, uma vez que a sua composição química apresenta a capacidade de reduzir significativamente o libido nos homens, afetando assim o seu desempenho sexual.

Principais causas da Impotência Sexual no Diabético

Assim, nesta relação entre diabetes e impotência, as causas envolvidas incluem:

  • Alterações circulatórias que diminuem a chegada de sangue na região peniana;
  • Obstrução da artéria peniana, que diminui a concentração de sangue neste local devido a aterosclerose;
  • Alterações nervosas que afetam a sensibilidade peniana, o que diminui o prazer sexual;

Além disso, a diabetes também pode causar ou potenciar a infertilidade.

Tratamento para a Impotência Sexual no Diabético


diabetes e impotencia sexual homem sorridente

Graças aos avanços médicos registados no decorrer dos últimos anos, atualmente é possível para um diabético contornar a disfunção eréctil.

Ainda que este problema possa revelar-se de difícil tratamento, existem algumas medidas que podem ser adotadas, não só para prevenir, como também para tratar a disfunção sexual.

Uma vez que é quando a doença não é devidamente controlada, que as probabilidades de desenvolvimento de disfunções sexuais aumentam, é extremamente importante nunca negligenciar o controlo da doença.

Medidas como o controlo dos valores da glicemia e da pressão arterial, manutenção do peso ideal através de uma dieta equilibrada e exercício físico regular são o primeiro passo para ajudar no tratamento da impotência causada pela diabetes.

Além disso, seguir à risca toda a medicação e posologia receitadas pelo médico para o controlo da diabetes é uma das formas mais eficazes de tratar e prevenir a impotência.

Neste contexto, existem ainda medicamentos vasodilatadores, que podem ajudar a contornar o problema da impotência sexual. No entanto, cada caso deva ser criteriosamente analisado por um médico urologista especializado, pois a automedicação pode ser extremamente prejudicial ao homem, podendo trazer ainda mais complicações.

Em suma…


Apesar de pouco conhecida, a relação entre diabetes e impotência é estreita, pois as alterações a nível vascular e nervoso provocadas pela diabetes influenciam de forma marcada a ereção.

Como tal, e apesar de o controlo da diabetes ser sempre um desafio, deve ser encarado como uma prioridade no sentido de prevenir e minimizar a disfunção eréctil, pois é o descontrolo dos parâmetros metabólicos que potencia esta condição.

Veja também:

Nutricionista Rita Lima Nutricionista Rita Lima

Rita Lima é nutricionista, licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto em 2016 e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade. É membro efetivo da Ordem dos Nutricionistas.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].