Publicidade:

Desejos na gravidez: mito ou uma realidade?

Nem todas as grávidas padecem de tal situação, no entanto a grande maioria refere sentir desejos na gravidez. Mas será um mito ou uma realidade?

 
Desejos na gravidez: mito ou uma realidade?
Perceba mais sobre esta questão que suscita tantas dúvidas!

Os desejos na gravidez são uma realidade para muitas grávidas, mas apenas algumas gestantes acordam a meio da noite com o desejo incontrolável de comer algo muito específico. Mas será que há evidências que sustentem a existências dos desejos na gravidez? Vamos tentar descobrir!

Existe um sem número de ideias relacionadas com a fase da gravidez, embora nem todas possuam qualquer suporte científico. São muitos os mitos e ideiaS preconcebidas existentes sobre a alimentação na gravidez que frequentemente conduzem a hábitos alimentares menos corretos.

Os relatos, as histórias e as vivências que vão passando de geração em geração levam à construção de determinadas representações da gravidez, que nem sempre coincidem com a perceção individual de cada grávida.

Quanto à alimentação na gravidez, importa acima de tudo garantir um bom estado nutricional, assegurando uma alimentação saudável e equilibrada ao longo da gestação, tendo sempre em conta o bem-estar físico e psicológico do bebé e da mãe. Os desejos na gravidez podem ser atendidos desde que sejam seguros e não prejudiquem a gravidez.

Desejos na gravidez: possíveis justificações


desejos na gravidez gravida na cozinha

Antes de mais, importa referir que as opiniões sobre os desejos na gravidez dividem a comunidade científica. Os desejos na gravidez são difíceis de explicar, até porque em alguns casos o objeto de desejo até é algo que no período em que não estava grávida a mulher não gostava ou até mesmo abominava.

Se para muitos especialistas não há relação entre os desejos na gravidez e as necessidades do corpo de uma mulher grávida, outros acreditam que determinadas carências nutricionais podem justifica-los, embora pareçam estar em falta estudos que comprovam esta ideia.

Outra justificação, por vezes, apontada está relacionada com as flutuações hormonais (progesterona e a gonadotropina coriónica humana) típicas da gravidez, que levam a uma mudança do paladar, olfato e do pH da boca, podendo levar a uma vontade súbita de comer alimentos que não gostava anteriormente e a enjoar outros que até aí gostava.

Não havendo até ao momento suficientes evidências científicas que justifiquem os desejos na gravidez, importa, acima de tudo, que esta sensação de apetite, que parece estar mais com o estado psicológico da grávida, não conduza a desequilíbrios alimentares graves.

Desejos na gravidez: quais os mais comuns?


desejos na gravidez gravida a comer bastante

Os desejos são diferentes de grávida para grávida, no entanto parecem existir alguns mais recorrentes, tais como: chocolate, mariscos, frutas exóticas, cozinhados típicos de alguns países, salgados, ou até mesmo uma mistura de coisas doces e salgadas (por exemplo vinagre com mel, fruta com pickles, entre outras combinações possíveis).

No entanto, também pode surgir o desejo de comer algumas coisas mais bizarras, como por exemplo, barro (pode indicar a falta de ferro na alimentação), terra, sabonete, cinzas (pode ser explicado por falta de zinco ou cálcio), pasta dos dentes, entre outros. Este desejo de ingerir estas substâncias não alimentares designa-se de Pica, que pode manifestar-se na gravidez mas também em qualquer fase da vida da pessoa.

Quando a mulher tem desejos bizarros convém comunicá-los ao seu médico assistente para que este possa despistar algum eventual problema orgânico que possa existir. A grávida que manifeste este problema deve contrariar a compulsão e comunicar abertamente o problema.

Por fim, os desejos podem verificar-se em qualquer altura da gravidez, no entanto é frequente aparecerem logo no início da gravidez, altura em que também podem surgir os enjoos. Estes desejos acontecem sem aviso prévio e por vezes a horas inconvenientes, quer do dia ou da noite.

Desejos na gravidez: o que fazer para evitar ceder-lhes


desejos na gravidez gravida a fazer exercicio

A recomendação da maioria dos especialistas no que à gravidez diz respeito passa por seguir uma alimentação saudável, acompanhada da prática adequada de exercício físico. Mais ainda, em caso de dúvidas quanto ao plano alimentar a seguir, a grávida deve esclarecer-se junto da equipa de saúde que a acompanha.

Não sendo possível evitar por completo os desejos na gravidez, existem alguns truques que poderão ajudar a diminuir a sua frequência e intensidade, tais como:

  • Evite saltar refeições! Ingira alimentos a cada 2-3 horas, isto ajuda a reduzir os picos glicémicos e a conter os desejos mais estranhos, além de contribuir para prevenir a diabetes gestacional;
  • Ingira um bom pequeno-almoço todos os dias;
  • Pratique exercício físico adequado à gravidez com regularidade;
  • Cerque-se de pessoas que lhe façam sentir bem, amada e acarinhada;
  • Evite estar pela cozinha. Saia de casa e faça passeios ao ar livre.

 

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].