Publicidade:

3 Motivos para nunca (mesmo nunca) dar chocolate a cães!

A maior parte das pessoas adora chocolate e alguns cães também. No entanto saiba porque nunca, mas nunca mesmo, deve dar chocolate a cães.

3 Motivos para nunca (mesmo nunca) dar chocolate a cães!
Em caso de intoxicação podem surgir vómitos, diarreia, convulsões, arritmias e morte

A maioria dos alimentos que consumimos não devem ser dados aos nossos animais pois podem causar problemas de saúde aos mesmos. No caso do chocolate as consequências podem ser ainda mais graves. Descubra três motivos para nunca dar chocolate a cães.

Por que não deve dar chocolate a cães: toxicidade do chocolate


dar chocolate a caes

O chocolate é produzido a partir de sementes de cacau, que é composto por hidratos de carbono, sais minerais, vitaminas e ácidos orgânicos como, as metilxantinas. Deste grupo fazem parte a cafeína e a teobromina que são tóxicas para os cães.

A teobromina é a substância mais perigosa e principal responsável pela intoxicação após ingestão de chocolate. O grau de intoxicação irá depender sempre da quantidade ingerida, tipo e marca do chocolate, bem como o peso do animal.

A dose tóxica normalmente é de 100mg/kg. No entanto 40mg/kg já provocam sintomas de intoxicação nos cães.

Normalmente, quanto mais amargo o chocolate, mais tóxico será, pois contém maior concentração de teobromina e cafeína. O chocolate branco é o que apresenta menor risco de intoxicação, uma vez que a concentração dessas substâncias é muito pequena, no entanto, ainda assim apresenta potencial tóxico.

Sinais de intoxicação

Os principais sintomas são neurológicos e cardiovasculares, e costumam aparecer entre 6 e 12 horas após a ingestão de chocolate.

  • Vómitos;
  • Diarreia;
  • Polidípsia (aumento de ingestão de água);
  • Distensão abdominal;
  • Inquietação;
  • Poliúria (aumento da frequência urinária);
  • Hiperatividade;
  • Ataxia (descordenação motora);
  • Hipertensão;
  • Hipertermia (aumento da temperatura corporal);
  • Convulsões;
  • Arritmias;
  • Morte.

Tratamento

Não existe um antídoto para o chocolate consumido portanto, é realizado um tratamento de acordo com a sintomatologia do animal.

Na primeira hora após ingestão do chocolate, o vómito pode ser induzido, no entanto, este procedimento só deve ser feito por um profissional e caso o animal esteja consciente, sob risco de provocar pneumonia por aspiração, gastrite (inflamação do estômago) e até morte por asfixia.

Se o seu animal exibir algum destes sintomas ou suspeitar que pode ter ingerido chocolate, deve consultar o seu médico veterinário o mais urgente possível, uma vez que quanto mais cedo o animal recebe ajuda, maior a hipótese de tratamento. Nestes casos, pode ajudar ter um plano de saúde animal para conseguir colmatar despesas de maior que possa ter.

Prevenção

A melhor maneira de evitar a intoxicação é não dar chocolate a cães, e colocar qualquer tipo de chocolate guardado num local em que o seu cão não consiga aceder, para evitar qualquer ingestão acidental.

Por que não deve dar chocolate a cães: consequências em órgãos vitais


dar chocolate a caes animal doente

Dar chocolate a cães pode causar uma pancreatite (inflamação do pâncreas), devido ao alto teor de gordura deste alimento.

O pâncreas é uma glândula localizada atrás do estômago no abdómen superior. De entre as suas funções podemos salientar a digestão de gorduras através do suco pancreático.

Os alimentos e dietas hiperlipídicas (ricas em gordura), como é o caso do chocolate, um alimento com bastante gordura, diminuem a resistência das células do pâncreas a certas enzimas (tripsina) e aumentam a libertação de enzimas pancreáticas, favorecendo a degradação das células pancreáticas.

Sintomas frequentes

Os sintomas de uma pancreatite são transversais, independentemente da sua causa:

  • Dor abdominal severa;
  • vómitos;
  • Anorexia;
  • Desidratação;
  • Febre;
  • Morte.

Tratamento

O tratamento da pancreatite baseia-se fundamentalmente na analgesia (controlo de dor), administração de fluidoterapia (soro) e uma boa alimentação. Basicamente, é um tratamento sintomático (tratamento em que se trata os sintomas exibidos pelo animal).

Por que não deve dar chocolate a cães: alterações gastrointestinais


dar chocolate a caes animal debilitado

Para além do chocolate ser tóxico em determinadas quantidades, se for consumida uma dose menor, o animal pode também sofrer outras consequências, nomeadamente distúrbios digestivos.

De forma geral, devemos evitar dar alimentos aos nossos cães aos quais eles não estão habituados ou fogem da sua dieta, pois uma mudança brusca de alimentação, ou introdução de um novo alimento podem causar uma disbiose (desequilíbrio da flora intestinal), ainda que ingerindo doses baixas de chocolate.

Sintomas típicos

  • Diarreia;
  • Vómitos;
  • Flatulência (gases);
  • Distensão abdominal;
  • Mal-estar;

Tratamento

O tratamento varia consoante a gravidade da situação. Se o animal manifestar apenas sintomas ligeiros, pode ser resolvido com uma dieta adequada e probióticos que ajudam a regular a flora intestinal, caso o cão tenha sintomas mais severos como anorexia (falta de apetite) ou desidratação outro tipos de cuidado podem ser necessários.

Conclusão…


Apesar de ser uma tentação ver o nosso grande amigo de quatro patas a olhar enquanto saboreamos o nosso docinho de chocolate, as implicações de partilhar com ele este alimento que tanto apreciamos podem por em risco a vida do nosso companheiro.

Dar chocolate a cães pode provocar-lhes problemas digestivos, pancreatite e intoxicação grave que pode ser fatal, portanto o melhor é evitar tudo que não seja alimentos próprios para cães.

Para além de não dar chocolate a cães voluntariamente, deve também ter o cuidado de guardar este alimento num local onde o seu cão não terá acesso para evitar acidentes.

Acima de tudo, em qualquer caso, é importante que consulte o seu médico veterinário, refira os sintomas do animal e também refira caso suspeite que o seu animal tenha ingerido algum alimento como por exemplo, o chocolate e nunca deve tentar auto-medicar o seu animal. Saiba também que, na Vetecare, por apenas 13€ por mês, pode ter acesso a uma vasta rede de veterinários e serviços com descontos para poder cuidar do seu patudo.

>> Saiba mais informações sobre o plano de saúde Vetecare e não se preocupe: a equipa entra em contacto consigo!

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].