Publicidade:

Dálmata: tudo o que precisa de saber sobre esta raça

As manchas bem definidas do Dálmata, imortalizadas no famoso filme da Disney, e o seu temperamento brincalhão fazem desta uma das raças mais populares e reconhecidas do mundo. Com a combinação certa de exercício, amor e disciplina, torna-se facilmente um companheiro para a vida toda . Em suma, um cão com “muita pinta”.

 
Dálmata: tudo o que precisa de saber sobre esta raça
As manchas do Dálmata começam a aparecer após dez dias.

O Dálmata nasceu para se mexer, característica que, aliada à sua inteligência, poderá resultar em alguma teimosia, o que exige um treino firme e consistente.

Também é conhecido por ser um cão que “sorri”, isto é, enrola os lábios e mostra os dentes. E não, não estão a ser agressivos: é apenas uma forma de demonstrarem submissão ou mesmo afeto.

Características gerais do Dálmata


Grupo: Grupo 6 – Cães de levante e Corso e raças semelhantes 

Finalidade: cão de companhia

Ambiente ideal: casa com jardim

País de Origem: Desconhecido. Alguns consideram que a raça nasceu no Antigo Egipto, outros na Grécia, e outros ainda na região que lhe dá nome – Dalmácia (Croácia).

Porte: grande

Altura: de 54cm a 62cm

Peso ideal: de 23kg a 25kg

Cor: branco com manchas pretas, redondas ou ovais

Esperança Média de Vida: entre 10 a 13 anos

Preço médio: de 290€ a 490€

 

Características específicas do Dálmata


Impaciente, incansável, resistente e rápido, é o companheiro ideal de corridas e brincadeiras. Muitas pessoas são atraídas pela sua aparência muito característica, embora ele não seja adequado para todos. Exige donos desportistas e amantes da vida no exterior.

Inteligente e auto-confiante, necessita de autoridade para não tomar as rédeas da casa. O Dálmata gosta de ser o centro das atenções e tem um forte desejo de agradar, podendo destacar-se em provas caninas, como o Agility.

Energia
Inteligência
Tolerância ao frio
Tolerância ao calor
Cuidados de higiene
Queda de pelo
Tendência para problemas de saúde
Facilidade de aprendizagem
Socialização com crianças
Socialização com estranhos
Socialização com cães
Socialização com gatos

Fases da vida do Dálmata


Bebé

0 – 12 meses

Adulto

12 meses – 10 anos

Idoso

10 – 13 anos

 

Físico do Dálmata


dalmata

É um cão possante e musculado, com uma silhueta quadrada e dorso bem arqueado, no prolongamento do qual surge a cauda, grossa na base e delgada na extremidade.

O crânio é achatado, com focinho forte e comprido. As orelhas, de tamanho médio, apoiam-se nos lados da cabeça. O pelo é curto, brilhante e denso em todo o corpo.

Temperamento do Dálmata


Devido à grande variedade de trabalhos para os quais o Dálmata foi utilizado, trata-se de um cão muito ativo e versátil, com grande capacidade de treino e facilidade de aprendizagem. Precisa, no entanto, de espaço para correr e a sua energia inesgotável não combina bem com apartamentos pequenos.

É dócil e sensível, fazendo dele um óptimo cão de companhia para a família, podendo, no entanto, ser desconfiado com estranhos. Quando habituado, mantém um bom relacionamento com outros animais, incluindo cavalos.

Problemas de Saúde do Dálmata


A nível geral, esta é uma raça saudável, mas existem alguns problemas que a podem afetar particularmente. Em especial, e dada a fragilidade do seu sistema urinário, não deve ficar muito tempo em espaços onde não possa fazer as suas necessidades.

Rins

  • Urolitíase (cálculos renais).

Ouvidos

  • Surdez.

Pele

  • Alergias cutâneas.

Sistema nervoso

  • Epilepsia.

 

Cuidados a ter com o Dálmata


Temperatura

  • Não tolera bem as temperaturas baixas, pelo que não deve dormir no exterior nas noites mais frias.

Pelo

  • Solta bastante pelo durante todo o ano, mas a escovagem semanal ajuda a retirar os pelos mortos e diminui a queda.

Unhas

  • Aparar uma a duas vezes por mês para evitar dor e sofrimento.

Ouvidos

  • Verificar semanalmente para despistar possíveis infeções e limpar sempre que necessário, usando um algodão humedecido com um produto suave e de pH equilibrado.

 

Origem do Dálmata


Não se sabe ao certo a época e o local em que a raça surgiu e até mesmo a sua finalidade original suscita dúvidas, uma vez que o Dálmata já foi usado para as mais variadas funções. Algumas teorias afirmam que este cão tem origens muito remotas, aparecendo representado nas culturas antigas do Egipto e da Grécia.

Uma certeza é que o seu nome deriva de Dalmácia, região a oeste da Croácia, para onde viajou e se disseminou através das caravanas ciganas.

Mais tarde, tornou-se bastante popular durante a Inglaterra Vitoriana, sendo usada pela nobreza como cão de carruagem, seguindo ao lado dos cavalos. Mas o Dálmata também já foi cão pastor, de caça, de guarda e até de circo. Nos Estados Unidos, passaram a ser adotados pelos bombeiros para ajudar nos resgates.

Curiosidades sobre o Dálmata


A raça ficou mundialmente conhecida depois de a Disney ter lançado o filme de animação Os 101 Dálmatas, em 1961. Mais tarde, vieram versões com cães e personagens reais, encabeçadas por Glenn Close no papel de Cruella de Ville.

É a única raça canina com pontinhos, que apenas são visíveis a partir dos 10 dias de vida do cachorro. Acredita-se que as manchas do Dálmata, cujo padrão é único para cada animal, são resultado de uma mutação genética.


Conheça mais raças de cães:

Todas as raças de cães

Todas as
raças de cães

Raças de cães pequenos

Raças de
cães pequenos

Raças de cães médios

Raças de
cães médios

Raças de cães grandes

Raças de
cães grandes

Mafalda Braga Mafalda Braga

Depois da licenciatura em Comunicação Social e Cultural e do mestrado em Media e Jornalismo, tirados na Universidade Católica Portuguesa, fez um estágio na extinta Rádio Clube Português e outro na Revista Máxima, onde ficou a trabalhar durante cinco anos e meio. Passou ainda pela Revista Must, suplemento do Jornal de Negócios, e atualmente é jornalista freelancer. Além desta área, tem uma grande paixão por cinema, viagens, animais e comida, de preferência com muito sol a acompanhar.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].