Publicidade:

Como voltar a conquistar a confiança de uma pessoa traída

Conquistar a confiança e a intimidade que foram perdidas devido a uma traição nunca será fácil, mas não é impossível. Há casais que o conseguem fazer, resultando num relacionamento mais satisfatório do que o que tinham anteriormente. Fique a conhecer as etapas deste difícil processo de superar a dor causada pela rutura.

 
Como voltar a conquistar a confiança de uma pessoa traída
Depois de tantos segredos, será que a confiança pode ser recuperada?

Poucas coisas magoam mais do que sentir-se traído pela pessoa que se ama e em quem se confia. A traição pode assumir inúmeras e variadas formas (desonestidade; deslealdade; infidelidade) e todas elas deixam danos psicológicos. As relações amorosas são todas diferentes e complexas e para algumas delas uma traição não significa necessariamente o fim do relacionamento. Alguns casais desejam continuar o relacionamento e conseguem fazê-lo com sucesso. Mas como conquistar a confiança novamente?

A confiança é essencial para que um relacionamento perdure no tempo. Faz com que as pessoas se sintam seguras para estabelecer um elo emocional com a outra pessoa. As pessoas com as quais escolhemos relacionar-nos são consideradas confiáveis até que provem o contrário.

Para que um relacionamento perdure após uma grande quebra na confiança, como no caso de uma traição, é importante voltar a conquistar a confiança não só no outro mas também em si mesmo.

Como voltar a conquistar a confiança?


conquistar a confianca

Perdoar, conquistar a confiança e superar a dor causada pela rutura, nunca serão tarefas simples, mas também não são impossíveis. Há casais que o conseguem fazer, resultando num relacionamento mais satisfatório do que o que tinham anteriormente.

Apimente a sua relação!
Dê o boost que precisa à sua relação com o estimulante sexual certo. Encontre aqui!

Embora o caminho para a reconciliação possa ser longo e difícil há casais que optam por fazê-lo. Estas são algumas das etapas desse processo:

1. Perdoar-se a si mesmo

Uma parte importante do processo de perdão é perdoar-se a si mesmo. Ao tentar entender determinada situação temos tendência a gerar explicações para o porquê das coisas acontecerem, mesmo que sejam irracionais. Muitas vezes culpamo-nos: “se eu fosse menos ingénuo teria percebido o que estava a acontecer”.

Perdoarmo-nos a nós mesmos implica que aprendamos que apesar de todos os nossos defeitos e vulnerabilidades devemos ter uma grande autoestima e merecemos ser bem tratados. O comportamento da outra pessoa foi escolha dela e reflete a pessoa que ela é. Não se culpe por algo que não tem culpa.

2. Perdoar a outra pessoa

É impossível recuperar a confiança sem primeiro recuperar o bem-estar e a paz interior. O perdão não significa isentar a outra pessoa de responsabilidades pelos atos praticados. Perdoar implica que alguém renuncie ao impulso de punir e de guardar rancor. Ouvir a perspetiva da outra pessoa pode ajudar a entender os acontecimentos.

Pensar na outra pessoa como um todo, não tendo apenas em conta os acontecimentos específicos mas também as suas qualidades pode ajudar a ultrapassar a dor emocional e contribuir para a reconquista da confiança.

3. Confiar em si mesmo

É quase impossível confiar em alguém sem que primeiro confie em si mesmo. Boa parte do medo que as pessoas sentem quando equacionam a possibilidade de voltar a confiar em alguém vem da crença de que não ficarão emocionalmente bem se a situação de traição se repetir. Temem ser emocionalmente devastadas pela perda, pela vergonha e humilhação de serem novamente enganadas.

É importante que trabalhe as suas emoções e a sua autoestima de forma a saber que ficaria bem caso a situação voltasse a acontecer, da mesma maneira que, caso seja a sua escolha, é perfeitamente capaz de viver uma vida feliz sem a outra pessoa.

4. Confiar na outra pessoa

A única certeza sobre confiar em alguém é que não há certezas. Depois de uma traição tudo o que pode fazer é uma avaliação sobre qual acha que será o comportamento provável da pessoa amada no futuro.

A pessoa parece sinceramente disposta a fazer as pazes? Age com integridade nas outras áreas da sua vida? A traição parece refletir o seu caráter geral? Essa pessoa já quebrou a sua confiança de forma semelhante no passado? Há mais aspetos positivos do que negativos no relacionamento?

Em conclusão…


Os relacionamentos amorosos são muito importantes para o nosso bem-estar e para a nossa qualidade de vida. Apreciar os bons momentos de uma relação poderia não ser tão fácil se não existissem também momentos menos felizes. Naturalmente, que no caso de uma traição, é natural que os elementos do casal sofram e necessitem de tempo para se recomporem emocionalmente antes de tomar qualquer decisão em relação ao futuro da relação.

O processo de voltar a conquistar a confiança após uma traição pode ser demorado e difícil, mas há casais que o conseguem superar com sucesso, crescendo como pessoas e dando um significado mais profundo ao relacionamento.

A sua relação já não é o que era? Escolha aqui o estimulante sexual à sua medida e sinta a diferença!

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].