Como identificar que o gato está com dor: conheça os sinais mais comuns

Como identificar que o gato está com dor pode ser complicado para os seus tutores. Conheça os sinais e entenda o que o seu gato está a tentar transmitir.

Como identificar que o gato está com dor: conheça os sinais mais comuns
Ajude o seu melhor amigo de quatro patas.

Os gatos não são fáceis de interpretar e quando estão doentes pode ser um desafio perceber. Conheça alguns sinais e saiba como identificar que o gato está com dor.

14 Sinais de como identificar que o gato está com dor


 como identificar que o gato esta com dor gato escondido na manta

1. Esconder-se

O sinal mais típico em gatos que há algo de errado é o gato esconder-se e isolar-se. Os felinos, por norma, gostam de estar sozinhos durante alguns períodos do dia, principalmente em sítios altos onde sentem que estão a observar sem serem observados.

No entanto, quando o seu gato passa o dia escondido pode significar que está doente ou tem alguma dor. Os gatos domésticos herdaram este comportamento dos gatos selvagens, pois os felinos, para além de predadores, são também presas.

Por serem presas e estarem expostos ao seus predadores e outros perigos, quando se sentiam debilitados protegiam-se escondendo-se.

2. Alterações comportamentais

Se o seu gato sempre foi dócil mas ultimamente sem razão aparente tem começado a ficar agressivo pode ser um sinal de dor.

Também podem ocorrer outras alterações comportamentais como urinar fora da caixa de areia, ou deixar cair a comida da boca enquanto come.

3. Abanar a cauda

O gato abana a cauda quando brinca, principalmente quando está a “caçar” ou a perseguir. Também, ao contrário dos cães, abana a cauda quando está chateado ou impaciente. Abana a cauda também pode ser um sinal de desconforto e dor.

4. Perda de apetite

Quando os gatos sentem dor deixam de comer, ou comem menos do que o normal. É importante que leve o seu gato ao médico veterinário imediatamente, caso se aperceba que não come, pois um gato não deve nunca ficar mais do que três dias sem se alimentar, sob risco de desenvolver problemas hepáticos.

5. Passa mais tempo a dormir

Um animal com dores irá restringir o movimento ao mínimo possível, passando muito mais tempo parado a descansar.

6. Alterações do pelo

Pelo baço, sem brilho e caspa são alterações que podem surgir no animal por estar desidratado e por deixar de fazer a sua higiene.

Os gatos são animais muito limpos e passam grande parte do seu dia a lavar-se. Quando estão sujos e com aspeto de quem não faz higiene há algum tempo pode ser um sinal de dor.

7. Mancar

Se o seu gato manca pode ser sinal que tem dor em alguma das patas. Também pode apresentar relutância ao movimento e ter dificuldade em saltar ou fazer outros movimento que estava habituado a fazer.

8. Reação quando se lhe toca

Se o animal tiver dor em alguma zona do corpo, ao tocar-lhe poderá reagir gemendo, miando, olhando para a zona dorida, lambendo ou até reagindo de uma forma agressiva.

Se o seu gato reage desta forma quando lhe toca é importante levá-lo ao médico veterinário para avaliar a causa da sua dor.

9. Postura curvada

Um gato com dor, tanto a nível ósseo e articular nas patas ou coluna como dor abdominal tem maior tendência para andar encurvado.

10. Lamber excessivamente

Os gatos são muito asseados e por norma, como já vimos, passam muitas horas do seu dia a higienizarem-se. No entanto, lamberem-se em excesso pode ser um sinal de que algo não esta bem.

Quando se lambem excessivamente podem inclusive acabar por arrancar o pelo e ingeri-lo, formando mais bolas de pelo. Podem fazê-lo por stress e ansiedade ou quando têm uma dor localizada em determinado local podem lamber consecutivamente o mesmo local.

11. Piscar os olhos

Piscar os olhos de vez em quando pode ser normal, mas se o seu gato anda com os olhos entreabertos, lacrimejantes e os pisca muitas vezes pode ser com sensibilidade à luz, o que denota dor. Também pode até evitar locais com muita luz devido a essa sensibilidade.

A dor ocular pode ser sinal de conjuntivite, úlceras na córnea ou glaucoma, sendo estas doenças que podem levar à cegueira se não forem tratadas. Por essa razão é importante consultar de imediato o médico veterinário.

12. Deixar de marcar território

Afiar as unhas, esfregar o queixo, roçar-se são maneiras de os gatos marcarem território. Caso o gato deixe de o fazer, significa que pode estar doente e com dores.

13. Protusão da membrana nictitante

A membrana nictitante ou terceira pálpebra é uma membrana no canto do olho que por norma não se vê porque está retraída. Mas em caso de doença ou dor pode tornar-se proeminente e ficar mais visível.

14. Excesso de salivação

Caso o gato tenha algum problema na boca o único sinal que manifesta pode ser a saída constante de saliva, sem se conseguir alimentar corretamente.

Os gatos são animais difíceis de interpretar, especialmente no que toca à dor. No entanto se estivermos atentos a pequenos sinais podemos identificar precocemente um sinal de dor no seu melhor amigo.

Veja também:

Dra. Patrícia Azevedo Dra. Patrícia Azevedo

Patrícia Azevedo é médica veterinária natural de Braga. Desde a sua infância que é apaixonada por animais e sempre teve a ambição de ser médica veterinária. Trabalhou como voluntária em associações de proteção e ajuda a animais errantes desde os 11 anos de idade . Iniciou o seu percurso como estudante desta área na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e concluiu os seus estudos no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar. Tem três gatos e uma cadela retirados da rua. Trabalha atualmente na sua cidade natal, em medicina e cirurgia de pequenos animais.

O Vida Ativa disponibiliza e atualiza informação, não presta serviços de aconselhamento nutricional, de saúde ou de treino. O Vida Ativa não é proprietário nem responsável pelos produtos e serviços de terceiros apresentados, por conseguinte não será responsável por quaisquer perdas ou danos que possam resultar de quaisquer imprecisões ou omissões. A informação está atualizada até à data apresentada na página e é prestada de forma geral, tratando-se de textos meramente informativos, pelo que não constitui nem dispensa a assistência profissional qualificada e individualizada. Caso pretenda sugerir uma atualização, por favor, envie-nos a sua sugestão para: [email protected].