6 dicas para começar uma relação amorosa da melhor maneira

Começar uma relação amorosa pode ser divertido, estimulante mas também confuso e stressante. Às vezes o mais difícil é mesmo saber como começar.

6 dicas para começar uma relação amorosa da melhor maneira
Não existe nenhuma fórmula universal que garanta relações felizes

Qual a melhor forma de começar uma relação amorosa? Será que varia consoante cada um de nós e consoantes as características do parceiro escolhido? Vamos descobrir!

6 dicas para começar uma relação amorosa da melhor maneira


homem e mulher a comecar uma relacao amorosa

Uma nova relação amorosa é sempre uma descoberta, cheia de surpresas, desejos e desafios. Contudo, o encantamento e a paixão iniciais precisam ser cuidados para que a relação desenvolva e se prolongue no tempo de forma feliz. Tenha em mente as seguintes dicas para começar essa nova relação amorosa, com o pé direito!

1. Envolva-se emocionalmente

Quebrar o gelo e iniciar uma conversa com a pessoa por quem está apaixonado, será uma tarefa mais bem sucedida quanto melhor forem as suas habilidades de comunicação. Comunique com a pessoa amada de forma honesta e esteja disposto a mostrar os seus sentimentos genuínos, com gentileza e sensibilidade. À medida que a comunicação for evoluindo mais detalhes íntimos e pessoais vão sendo partilhados, a atração vai crescendo e o desenvolvimento emocional acontece.

O investimento no envolvimento emocional é essencial para começar uma relação amorosa da melhor maneira, mas para além da intimidade e amizade importa não descurar as também as componente da paixão e do desejo.

2. Ser direto e claro na sua pretensão de começar uma relação amorosa

Ser direto pode ser uma estratégia muito eficaz, embora implique que esteja preparado para lidar com a ansiedade e com a rejeição.

Demonstrar indiretamente a vontade de começar uma relação amorosa pode diminuir o risco de rejeição, mas pode causar confusão.

3. Seja honesto desde o primeiro momento

Cumpra as promessas, intenções e compromissos que assume perante a pessoa amada. Não faça nenhuma promessa que acredita que não vai ser capaz de cumprir. Seja o tipo de pessoa em quem a pessoa amada pode confiar desde logo. Quando sentimos que perdemos a confiança em alguém, o relacionamento falha muito rapidamente.

Por outro lado, esteja também disposto a confiar. Confiar em alguém numa fase inicial do relacionamento pode não ser tarefa fácil e é natural que tenha medo, mas se não arriscar nunca vai saber.

4. Não desista à primeira dificuldade

Todos nós temos defeitos e características pessoais que precisam ser melhoradas. Se está verdadeiramente comprometido com a pessoa amada não desista perante a primeira dificuldade ou falha que essa pessoa demonstra. Aprenda a estar disponível para o outro e ofereça apoio quando necessário, sem sentir que é seu dever resolver todos os problemas ou dizer ao seu parceiro o que fazer.

Lidar com os conflitos e ultrapassar as fases mais difíceis com maturidade e apoio, é um dos fatores que determina a longevidade e a saúde da relação.

5. Aprenda a colocar-se no lugar do outro

Desenvolva a sua capacidade de empatia e esteja disposto a colocar-se no lugar do outro. Não acredite que a sua maneira de ver o mundo é a única e a mais acertada. Aprender a ver o mundo através dos olhos do outro é essencial para criar uma relação onde a compreensão e a partilha prevalecem.

6. Não se leve demasiado a sério

Aprenda a rir de si mesmo e não se leve demasiado a sério. Os relacionamentos nem sempre são fáceis mas manter o bom humor ajuda certamente, caso contrário pode acabar por ampliar os fatores de stress e transformar pequenos contratempos em obstáculos intransponíveis. Procure as melhores formas de aliviar a tensão e o stress, já que as relações amorosas devem ser solidárias e não combativas.

Em suma…


Estas dicas podem ser úteis para começar uma relação amorosa e mantê-la feliz a longo prazo. Não se esqueça do mais importante: uma boa capacidade de comunicação, partilha, intimidade e, estimulação de oportunidades de crescimento mútuo.

Veja também:

Psicóloga Ana Graça Psicóloga Ana Graça

Mestre em Psicologia, pela Universidade do Minho, com a dissertação “A experiência de cuidar, estratégias de coping e autorrelato de saúde”. Especialização (Pós-Graduada) em Neuropsicologia Clínica, Intervenção Neuropsicológica e Neuropsicologia Geriátrica. Membro efetivo da Ordem dos Psicólogos Portugueses, com especialidade em Psicologia Clínica e da Saúde e Neuropsicologia. Para além da Psicologia é apaixonada por viagens, leitura, boa música, caminhadas ao ar livre e tudo o que proporcione felicidade!